açafrão em pó
Ultima atualização: 17 de agosto de 2020

Como escolhemos

21Produtos analisados

25Horas investidas

17Estudos avaliados

83Comentários coletados

Você certamente já ouviu falar de diversos benefícios dos elementos naturais para a saúde. A medicina oriental utiliza, há centenas de anos, muitos condimentos como auxiliares do organismo. Mas nem sempre é possível consumir todos eles. Apesar de todas as vantagens de um composto, você procura saber se existe algum risco no consumo? Há contraindicação para o açafrão, por exemplo?

É justamente sobre isso que vamos falar neste artigo. A ciência já conseguiu comprovar os benefícios antioxidantes e anti-inflamatórios desta planta. Mas é preciso saber se qualquer pessoa pode consumi-lo. Por este motivo, vamos mostrar os principais benefícios trazidos pelo açafrão e quais os cuidados essenciais que é preciso tomar antes de começar a usá-lo no dia a dia.

O mais importante

  • Atualmente, pesquisadores investigam o papel do açafrão — ou cúrcuma — como anti-inflamatório, antioxidante e antisséptico.
  • A contraindicação do açafrão já é comprovada para pessoas com problemas na vesícula biliar, alterações na coagulação, infertilidade, alterações hormonais e enfermidades graves. Os suplementos de cúrcuma não devem ser utilizados por menores, grávidas ou lactantes.
  • Para escolher um bom suplemento de açafrão, é preciso avaliar a procedência do produto, sua formulação e a dosagem oferecida. Analisar estes critérios garantem a sua segurança durante o consumo.

Suplementos de açafrão: Os melhores produtos do mercado

Sempre recomendamos que consulte um especialista antes de iniciar qualquer suplementação. Com a cúrcuma não é diferente. Uma vez conhecida a contraindicação do açafrão e sabendo que você pode consumi-lo, é preciso escolher o produto mais adequado para sua rotina e necessidades.

Para facilitar, selecionamos alguns dos principais suplementos do mercado. Veja os mais vendidos e bem avaliados.

O suplemento de açafrão 100% vegetal

O suplemento de cúrcuma Jiang Huang tem como matéria prima os mais puros grãos indianos certificados na origem. Cada cápsula possui 1000mg de açafrão. Este valor está abaixo da dosagem máxima recomendada por dia para sua segurança, já que a indicação da dose a ser ingerida deve ser feita por um profissional capacitado.

O revestimento das cápsulas é produzido com água purificada, glicerina e gelatina vegetal. Essa formulação coloca o suplemento como 100% vegetal e, portanto, liberado para veganos e pessoas com restrições alimentares ao glúten e à lactose.

O produto em pó vegano e kosher

Se você se preocupa segue um estilo de vida vegano ou respeitas as tradições da lei judaica e pratica a alimentação kosher, este produto pode ser o mais indicado. Além dos benefícios do açafrão em pó, que pode ser usado como tempero, diluído em bebidas e no preparo do Golden Milk, ele é composto por matéria prima produzida por meio de processos ecológicos.

Desta forma, você tem a garantia de um produto totalmente puro, sem adição de qualquer tipo de conservadores ou compostos extras. Não contém glúten, lactose nem traços de outros agente alérgenos.

A máscara de cúrcuma para cuidar da sua pele

Uma das mais eficazes plantas medicinais da Ayurveda para manter a saúde do corpo, pode ser um recurso para deixar a pele mais nutrida e radiante. O uso da máscara de açafrão vai resgatar o brilho e a beleza de sua pele, graças a sua função antibactericida e antisséptica, que promove uma limpeza profunda.

Este composto ajuda, ainda, a remover o excesso de oleosidade, regenerar pequenas cicatrizes promovidas pela acne e reduzir as manchas causadas pelo sol. Ideal para todos os tipos de pele, essa máscara não é recomendada para pessoas que tenham alergia ou alguma doença para a qual haja contraindicação do açafrão.

O que você precisa saber sobre uma possível contraindicação do açafrão

Apesar de ser um composto natural, o açafrão não está livre de trazer efeitos colaterais. Isso quer dizer que o consumo inadequado poderia afetar suas condições de saúde e dar lugar a reações indesejadas.

Portanto, é fundamental esclarecer todas as dúvidas para que você tenha certeza de que alguma contraindicação do açafrão não traga impacto negativo à sua saúde. É isso que veremos a partir de agora:

menina com dor de cabeça no escritório

O açafrão é contraindicado ara pessoas com pedras na vesícula.
(Fonte: Ragiboglu : 83742294/ 123rf.com)

Açafrão: redescobrindo a medicina tradicional

O açafrão, ou cúrcuma (Curcuma longa) é uma planta milenar originária da Índia. Ao longo dos séculos, foi utilizada como corante de tecido, couro e papel, como especiaria e como remédio. Já no ocidente, a cúrcuma em pó costumava ser utilizada apenas como corante e tempero em alimentos e receitas específicas.

Recentemente, porém, com a comprovação das propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes e antissépticas da planta, sua popularidade cresceu em todo o mundo. Assim, o açafrão passou a ser consumido n alívio de dores nas articulações e como prevenção ao envelhecimento precoce, entre uma série de outras utilizações (1).

No entanto, nem todos os especialistas concordam com o uso do açafrão em altas doses, sob a forma de suplemento. As justificativas para esta precaução estão expostas abaixo (2):

  • Problemas de absorção: a curcumina é a molécula presente na cúrcuma responsável pelos ativos medicinais da planta, como os efeitos anti-inflamatório e antioxidante. Infelizmente, o organismo tem problemas para absorvê-la, a menos que se adicione pimenta negra ao suplemento;
  • Problemas de dosagem: nem o açafrão nem a curcumina são medicamentos. Atualmente, a planta não é recomendada contra nenhuma enfermidade. Por este motivo, não existe uma dose diária recomendada para que a ação da curcumina seja eficaz como preventiva no combate à doenças. Isto pode dificultar a padronização do uso;
  • Benefícios em estudo: o açafrão já demonstrou um grande potencial como auxiliar na regulação dos níveis de colesterol, para tratar os sintomas de alergias, diminuir as dores decorrentes de artroses e até melhorar o humor. No entanto, estes achados ainda carecem de confirmação científica, com estudos mais aprofundados, envolvendo humanos;
  • Risco de complicações: a cúrcuma não é totalmente inofensiva. Especialistas afirmam que o consumo em doses elevadas pode ser perigoso. Normalmente, a alta dosagem pode causar dor de cabeça ou náuseas. Porém, o consumo acima de 3000 mg diários pode causar outros problemas mais graves, como a arritmia cardíaca.

Mesmo que a medicina ocidental não tenha conseguido encontrar — ainda — um espaço de destaque para o açafrão nas prateleiras, os seguidores da medicina indiana tradicional apreciam muito este suplemento.

Se você é um adulto saudável e está decidido a experimentar os efeitos do composto, ciente de uma possível contraindicação do açafrão, recomendamos que consulte um médico para acompanhar o processo e aproveite os benefícios desta planta milenar!

Coagulação sanguínea: posso usar o açafrão antes de uma cirurgia?

Esta é uma das principais advertências para quem pretende começar a utilizar um suplemento de cúrcuma. O composto pode afetar a capacidade de coagulação do sangue, tornando-o mais fino e fluido. Essas características podem facilitar a ocorrência de uma hemorragia em casos de cirurgia.

Por este motivo, os especialistas aconselham que o açafrão não seja utilizado por, pelo menos, duas semanas antes de se submeter a um procedimento cirúrgico (2).

Quando terminar o período de cuidados pós-cirúrgicos, o ideal é orientar-se com o seu medico sobre o uso do suplemento. Para quem convive com problemas de coagulação, como a hemofilia, ou utiliza medicamentos anticoagulantes, o aval médico é fundamental antes de optar pela suplementação.

Todas essas recomendações dizem respeito principalmente à cúrcuma concentrada (em forma de suplementos). O açafrão que se utiliza na cozinha é considerado mais seguro, pois a quantidade ingerida é muito pequena. Ainda assim, se você tem problemas de coagulação, fale com seu médico sobre evitar o condimento (2).

Victoria TaylorNutricionista

“A dose elevada de cúrcuma pode afetar a coagulação do sangue. Quem consome este suplemento junto com anticoagulantes, corre um alto risco de sofrer uma hemorragia”.

Obstrução da vesícula biliar: qual a contraindicação do açafrão?

A vesícula biliar é um pequeno órgão que se encontra junto ao fígado. Em forma de uma bolsa, ela armazena a bile, uma secreção necessária para a digestão dos alimentos, especialmente das gorduras e para a eliminação de substâncias desnecessárias.

Em algumas ocasiões, podem se formar depósitos de minerais dentro desta pequena bolsa. São as chamadas “pedras na vesícula”. Dependendo da sua idade, sexo e rotina diária e de alimentação, uma pessoa estará mais ou menos propenso ao cálculo biliar. Esta condição, quando presente, pode até passar despercebida.

Você pode estar se perguntando: Mas qual o papel do açafrão neste quadro? Segundo alguns estudos, a ingestão desta especiaria provoca a contração da vesícula biliar, levando à expulsão do seu conteúdo com mais força (3).

E o que ocorre quando há “pedras” na vesícula, ao se contrair? Se o tamanho das pedras for muito grande, a contração não consegue eliminá-la. Neste caso, o cálculo vai obstruir a saída da bile. É esta obstrução que causa a dolorosa cólica na vesícula.para ser eliminada.

Esta condição provoca dor, náuseas e vômitos. Além disso, se ocorrer uma infecção biliar, ela pode evoluir para problemas mais sérios, que podem exigir intervenção cirúrgica. Por este motivo, os especialistas recomendam que pessoas com pré-disposição a problemas na vesícula evitem o consumo de cúrcuma (2).

açafrão inteiro e em pó

Atualmente existem estudos sobre a influência do açafrão na infertilidade masculina.
(Fonte: Neumiler: 98795745/ 123rf.com)

Diabetes: a cúrcuma afeta os níveis de açúcar no sangue?

Estão sendo desenvolvidas pesquisas sobre as propriedades do açafrão contra a diabetes e as complicações da doença. Estima-se que este composto possa ajudar a reduzir os níveis de açúcar no sangue e, assim, evitar que os rins, os olhos e o sistema cardiovascular sofram danos decorrentes do diabetes.

O açafrão pode ajudar na redução dos sintomas da diabetes.

No entanto, os experimentos que mostraram tais benefícios ainda foram desenvolvidos apenas em animais. Por esta razão, ainda são necessários estudos complementares com voluntários humanos para que se possa compreender melhor as ações do açafrão e sua real influência nos níveis de açúcar no sangue (4).

Certamente, até que se tenha uma comprovação de seus efeitos, é prudente evitar o consumo da cúrcuma como suplemento. Isso porque uma contraindicação do açafrão é justamente a reação adversa na ingestão combinada com medicamentos usados no controle da diabetes, provocando a queda do açúcar no sangue.

É muito pouco provável que a cúrcuma em pó, utilizada como tempero, também possa interferir nos níveis glicêmicos. Ainda assim, vale a pena buscar informações com seu médico ou nutricionista antes de consumir o condimento, caso você seja diabético (2). É sempre bom manter a saúde segura, antes de tudo!

Refluxo: melhora ou piora com o açafrão?

O uso do açafrão para tratar os sintomas de diferentes enfermidades do trato digestivo está sendo investigado. As pesquisas buscam verificar se o extrato da planta é capaz de aliviar a dor decorrente de úlceras, melhorar a indigestão e remediar a acidez estomacal — o refluxo gastroesofágico (5).

O que se sabe até agora é que, ao contrário do esperado, o refluxo é uma das consequências do consumo do açafrão. No entanto, até que se encontre respostas definitivas, é melhor evitar o consumo deste tipo de suplemento se você sofre com o refluxo (2).

Anemia: o açafrão impede a absorção do ferro?

Esta é uma grande contraindicação do açafrão. Se você tem problemas de anemia — enfermidade em que há diminuição das células sanguíneas, provocando cansaço, palidez e outros efeitos — este suplemento não deve ser consumido.

Isso porque, a cúrcuma pode impedir entre 20 e 90% da absorção do ferro pelo organismo. Este elemento é fundamental para a reconstrução celular. Com a diminuição do ferro no corpo, a doença pode se agravar, trazendo sintomas ainda mais intensos e severos.

Se você utiliza suplementos de ferro, o consumo do açafrão também é desaconselhado. Em resumo, quem precisa “recarregar” os estoques deste mineral, precisa se manter afastado da cúrcuma. Se você gosta de utilizar o condimento nas receitas, consulte a opinião do seu médico sobre este consumo (6).

casal em consulta médica

O consumo de açafrão pode não ser seguro durante a gravidez.
(Fonte: Bialasiewicz: 40342973/ 123rf.com)

Infertilidade e endometriose: indicação ou contraindicação do açafrão?

Este é mais um tema em que o açafrão divide os pesquisadores. Por um lado, as propriedades antioxidantes da planta podem evitar a destruição prematura de espermatozoides, aumentando as chances de fertilização (7). Por outro, as doses elevadas se mostraram como paralisantes dos espermatozoides (8).

Algo parecido ocorre com a endometriose. Nesta enfermidade, o endométrio, que é o tecido do útero, invade outros órgãos, provocando menstruações abundantes e extremamente dolorosas. Em casos graves, essa condição pode levar à infertilidade. Apesar de não serem conclusivos, estudos indicam que a cúrcuma poderia afetar essas células (9, 10).

Por este motivo, a recomendação para quem sofre de infertilidade — independentemente do sexo — e para as mulheres com endometriose, é que o uso do açafrão seja comedido. Antes de utilizar um suplemento cm doses mais altas do composto, é importante passar por uma avaliação médica (2).

Fármacos: o açafrão pode ter interação com medicamentos?

Quem utiliza o açafrão como suplemento deve ter em conta que este composto pode interferir no efeito de outros medicamentos. Antes de começar um tratamento com fármacos, é importante informar seu médico sobre o uso de suplementos.

O contrário é verdadeiro: fale com o especialista caso esteja em tratamento e pretenda começar a suplementação com açafrão. Isto porque há muitos medicamentos que podem ter o efeito comprometido com a ingestão da cúrcuma. Os mais comuns deles são os fármacos para tratamento de (2):

  • Doenças cardíacas ou cardiovasculares;
  • Doenças do trato digestivo;
  • Diabetes;
  • Alergias;
  • Problemas de coagulação;
  • Problemas psiquiátricos;
  • Reposição hormonal;
  • Câncer;
  • AIDS.

Alergia: é possível ser intolerante ao açafrão?

O açafrão pode desencadear reações alérgicas tanto pela ingestão quanto na aplicação tópica. Em forma de suplementos ou utilizado como especiaria nas receitas, ele pode causar mal estar, coceiras e até dificuldade para respirar em pessoas alérgicas. Sobre a pele, pode causar irritações e erupções cutâneas (11).

Se, em alguma situação, você percebeu algum destes sintomas depois do consumo da cúrcuma, você pode ter algum nível de intolerância ou alergia ao composto. Neste caso, recomendamos que converse com um alergologista antes de iniciar a suplementação, pois esta é, certamente, uma contraindicação do açafrão.

menina interna no hospital

Suspenda a suplementação com cúrcuma por, pelo menos, duas semanas antes de uma cirurgia.
(Fonte: Rodphan: 130330355/ 123rf.com)

Uma nota de cautela sobre o açafrão (2)

A Curcuma longa tem um impressionante potencial antioxidante e anti-inflamatório, como já mostramos aqui. No entanto, as investigações sobre esta planta ainda se encontram em estágio inicial. O açafrão, em qualquer uma de suas formas, trata-se de uma medida preventiva. Ou seja, ele não tem propriedade para curar enfermidades e não substitui o tratamento médico adequado para cada caso.

Por este motivo, o uso por pessoas gravemente doentes não é recomendado. Assim, pacientes oncológicos e pessoas com problemas hepáticos, renais, neurológicos ou cardíacos não devem utilizar este produto. Ao contrário, é preciso manter o tratamento indicado pelo médico especialista em cada doença.

Ainda que considerada segura na forma de especiaria, a cúrcuma deveria ser evitada por gestantes e lactantes. Esta é uma expressa contraindicação do açafrão, reforçada por médicos e pesquisadores. Da mesma forma, os estudiosos desaconselham o uso do suplemento, por mais de três meses consecutivos, até que se tenha comprovação de seus efeitos.

Conselhos para escolher um bom suplemento

Diante de tudo o que expusemos, você já está ciente sobre a possibilidade de utilizar a suplementação à base de cúrcuma, de acordo com suas condições de saúde. Porém, antes de comprar o suplemento, é importante conhecer alguns fatores que afetam a qualidade e a segurança do produto. Confira cada um destes pontos. Assim, você terá toda a informação necessária para fazer a melhor escolha!

Procedência

O principal fator que traz impactos à qualidade de um suplemento de açafrão é a forma como a planta é produzida e processada. A procedência da matéria prima, portanto, é um dos pontos que você precisa observar antes da compra, para manter sua saúde em segurança.

Para fazer essa verificação, consulte no rótulo do produto, se o suplemento possui registros nas agências de saúde e certificados de boas práticas na manipulação dos compostos. Se ficar em dúvida, a dica é sempre procurar as marcas mais reconhecidas no mercado.

açafrão sendo analisado

Os efeitos dos suplementos de cúrcuma — ou açafrão — estão sendo estudados. Em algum tempo, será possível determinar a dose ideal e a forma de administração mais eficaz. (Fonte: Microgen: 108305604 123rf.com)

Restrições alimentares

Se você sofre com algum tipo de intolerância alimentar aos alérgenos mais comuns (glúten, lactose, frutos do mar, soja e outros grãos), procure por produtos que sejam livres destes ingredientes. Este tipo de suplemento já é relativamente comum no mercado. Essa informação deve aparecer em destaque na embalagem.

O mesmo ocorre com os suplementos veganos, que trazem a explicação sobre a composição e origem da matéria prima no rótulo do produto. Se você é vegano, tenha especial atenção à composição do revestimento das cápsulas. Em muitos casos, tem como base a gelatina de origem animal.

Dose

Infelizmente ainda não existe uma dose reconhecidamente ideal para a ingestão diária do açafrão. Por isso, antes de iniciar o processo de suplementação, o ideal é aconselhar-se com um médico. No entanto, sabe-se que a dose segura do composto varia entre 500 e 2000 mg por dia (12, 13, 14).

Uma dica é escolher o suplemento com a menor dose possível. Assim, você poderá aproveitar os limites seguros da planta sem sofrer com qualquer reação indesejada caso tenha alguma contraindicação ao açafrão, ainda que desconhecida. As altas doses podem alterar o ritmo cardíaco em algumas pessoas (2).

foco

De acordo com a “Autoridade Européia de Segurança Alimentar”, é aceitável o consumo de, no máximo, 3 mg de curcumina por quilo do peso corporal. Ou seja, uma pessoa de 70 quilos não deveria ultrapassar os 210 mg de curcumina por dia (15).

Ingredientes adicionais

Para poder aproveitar da melhor forma os benefícios do açafrão, muitas pessoas recorrem à combinação com a pimenta negra, já que a piperina potencializa a absorção do composto (16). Se esta for sua escolha, procure optar por suplementos que contenham dose baixa de piperina (em torno de 20 mg).

Muitos suplementos também incluem gengibre como uma alternativa para potencializar a ação anti-inflamatória e antioxidante. Assim como a contraindicação do açafrão, o gengibre não deve ser consumido por quem sofre com doenças cardíacas ou na vesícula, diabetes, problemas de coagulação e pressão alta (17).

menina analisando medicamentos

Para escolher um bom suplemento de açafrão, é importante estar atento à origem do produto, a dosagem ideal e os ingredientes adicionais. (Fonte: Popov: 50690979/ 123rf.com)

Resumo

O açafrão foi, durante milênios, um dos segredos mais guardados da medicina indiana. A fama de seus efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios, no entanto, se espalhou pelo mundo e atualmente, atrai a atenção de pesquisadores em diversos institutos, na busca pela comprovação de seus benefícios e na confirmação de alguma possível contraindicação do açafrão e seus ativos.

Neste artigo, mostramos os estudos preliminares que apontam para riscos do consumo deste suplemento para grupos específicos. Se você é uma adulto saudável e pretende iniciar a suplementação de cúrcuma para manter o organismo mais forte e prevenir a ação dos radicais livres, aproveite nossas dicas para escolher o melhor produto e aproveitar todos os benefícios desta planta milenar. Lembre-se de ficar atento aos critérios que destacamos para realizar a melhor compra possível.

Esperamos que este material tenha ajudado a esclarecer sobre uma possível contraindicação do açafrão na sua rotina e sobre como utilizar este ativo da melhor maneira. Se gostou, aproveite para compartilhar com seus amigos. Muito obrigado!

(Fonte da imagem destacada: Pinkomelet : 65350263/ 123rf.com)

Referências (17)

1. Amalraj A, Pius A, Gopi S, Gopi S. Biological activities of curcuminoids, other biomolecules from turmeric and their derivatives – A review [Internet]. Vol. 7, Journal of Traditional and Complementary Medicine. 2017 . p. 205–33.
Fonte

2. Turmeric: Health Benefits, Uses, Side Effects, Dosage & Interactions [Internet].
Fonte

3. Rasyid A, Lelo A. The effect of curcumin and placebo on human gall-bladder function: An ultrasound study. Aliment Pharmacol Ther [Internet]. 1999 ;13(2):245–9.
Fonte

4. Zhang DW, Fu M, Gao SH, Liu JL. Curcumin and diabetes: A systematic review [Internet]. Vol. 2013, Evidence-based Complementary and Alternative Medicine. 2013 .
Fonte

5. GERD: Acid Reflux Symptoms, Treatment [Internet].
Fonte

6. Smith TJ, Ashar BH. Iron Deficiency Anemia Due to High-dose Turmeric. Cureus [Internet]. 2019
Fonte

7. Khalaji N, Namyari M, Rasmi Y, Pourjabali M, Chodari L. Protective effect of curcumin on fertility of rats after exposure to compact fluorescent lamps: An experimental study. Int J Reprod Biomed [Internet]. 2018 Jul 1 ;16(7):447–54.
Fonte

8. Naz RK. Can curcumin provide an ideal contraceptive? Mol Reprod Dev [Internet]. 2011 ;78(2):116–23.
Fonte

9. Zhang Y, Cao H, Yu Z, Peng HY, Zhang CJ. Curcumin inhibits endometriosis endometrial cells by reducing estradiol production. Int J Reprod Biomed [Internet]. 2013 ;11(5):415–22.
Fonte

10. Arablou T, Kolahdouz-Mohammadi R. Curcumin and endometriosis: Review on potential roles and molecular mechanisms [Internet]. Vol. 97, Biomedicine and Pharmacotherapy. 2018 . p. 91–7.
Fonte

11. Chaudhari SP, Tam AY, Barr JA, Tan J. Curcumin: A contact allergen [Internet]. Vol. 8, Journal of Clinical and Aesthetic Dermatology. 2015 . p. 43–8.
Fonte

12. Pakfetrat M, Basiri F, Malekmakan L, Roozbeh J. Effects of turmeric on uremic pruritus in end stage renal disease patients: A double-blind randomized clinical trial. J Nephrol [Internet]. 2014 ;27(2):203–7.
Fonte

13. Belcaro G, Cesarone MR, Dugall M, Pellegrini L, Ledda A, Grossi MG, et al. Efficacy and safety of Meriva®, a curcumin-phosphatidylcholine complex, during extended administration in osteoarthritis patients. Altern Med Rev [Internet]. 2010 ;15(4):337–44.
Fonte

14. Pashine L, Singh J V., Vaish AK, Ojha SK, Mehdi A. Effect of turmeric (Curcuma longa) on overweight hyperlipidemic subjects: Double blind study. Indian J Community Heal [Internet]. 2012 ;24(2):107–12.
Fonte

15. Scientific Opinion on the re-evaluation of curcumin (E 100) as a food additive. EFSA J [Internet]. 2010 ;8(9).
Fonte

16. Hewlings S, Kalman D. Curcumin: A Review of Its’ Effects on Human Health. Foods [Internet]. 2017 Oct 22 ;6(10):92.
Fonte

17. Ginger (African Ginger): Side Effects, Dosages, Treatment, Interactions, Warnings [Internet].
Fonte

Por que você pode confiar em nós?

Artigo científico
Amalraj A, Pius A, Gopi S, Gopi S. Biological activities of curcuminoids, other biomolecules from turmeric and their derivatives – A review [Internet]. Vol. 7, Journal of Traditional and Complementary Medicine. 2017 . p. 205–33.
Ir para a fonte
Site oficial RxList
Turmeric: Health Benefits, Uses, Side Effects, Dosage & Interactions [Internet].
Ir para a fonte
Artigo científico
Rasyid A, Lelo A. The effect of curcumin and placebo on human gall-bladder function: An ultrasound study. Aliment Pharmacol Ther [Internet]. 1999 ;13(2):245–9.
Ir para a fonte
Revisão sistemática
Zhang DW, Fu M, Gao SH, Liu JL. Curcumin and diabetes: A systematic review [Internet]. Vol. 2013, Evidence-based Complementary and Alternative Medicine. 2013 .
Ir para a fonte
Site oficial RxList
GERD: Acid Reflux Symptoms, Treatment [Internet].
Ir para a fonte
Artigo científico
Smith TJ, Ashar BH. Iron Deficiency Anemia Due to High-dose Turmeric. Cureus [Internet]. 2019
Ir para a fonte
Estudo com animais
Khalaji N, Namyari M, Rasmi Y, Pourjabali M, Chodari L. Protective effect of curcumin on fertility of rats after exposure to compact fluorescent lamps: An experimental study. Int J Reprod Biomed [Internet]. 2018 Jul 1 ;16(7):447–54.
Ir para a fonte
Estudo in vitro
Naz RK. Can curcumin provide an ideal contraceptive? Mol Reprod Dev [Internet]. 2011 ;78(2):116–23.
Ir para a fonte
Artigo científico
Zhang Y, Cao H, Yu Z, Peng HY, Zhang CJ. Curcumin inhibits endometriosis endometrial cells by reducing estradiol production. Int J Reprod Biomed [Internet]. 2013 ;11(5):415–22.
Ir para a fonte
Artigo científico
Arablou T, Kolahdouz-Mohammadi R. Curcumin and endometriosis: Review on potential roles and molecular mechanisms [Internet]. Vol. 97, Biomedicine and Pharmacotherapy. 2018 . p. 91–7.
Ir para a fonte
Artigo científico
Chaudhari SP, Tam AY, Barr JA, Tan J. Curcumin: A contact allergen [Internet]. Vol. 8, Journal of Clinical and Aesthetic Dermatology. 2015 . p. 43–8.
Ir para a fonte
Estudo em humanos
Pakfetrat M, Basiri F, Malekmakan L, Roozbeh J. Effects of turmeric on uremic pruritus in end stage renal disease patients: A double-blind randomized clinical trial. J Nephrol [Internet]. 2014 ;27(2):203–7.
Ir para a fonte
Estudo em humanos
Belcaro G, Cesarone MR, Dugall M, Pellegrini L, Ledda A, Grossi MG, et al. Efficacy and safety of Meriva®, a curcumin-phosphatidylcholine complex, during extended administration in osteoarthritis patients. Altern Med Rev [Internet]. 2010 ;15(4):337–44.
Ir para a fonte
Estudo em humanos
Pashine L, Singh J V., Vaish AK, Ojha SK, Mehdi A. Effect of turmeric (Curcuma longa) on overweight hyperlipidemic subjects: Double blind study. Indian J Community Heal [Internet]. 2012 ;24(2):107–12.
Ir para a fonte
Declaração oficial EFSA
Scientific Opinion on the re-evaluation of curcumin (E 100) as a food additive. EFSA J [Internet]. 2010 ;8(9).
Ir para a fonte
Artigo científico
Hewlings S, Kalman D. Curcumin: A Review of Its’ Effects on Human Health. Foods [Internet]. 2017 Oct 22 ;6(10):92.
Ir para a fonte
Site oficial RxList
Ginger (African Ginger): Side Effects, Dosages, Treatment, Interactions, Warnings [Internet].
Ir para a fonte