pó de colágeno
Ultima atualização: 1 de setembro de 2020

Como escolhemos

16Produtos analisados

22Horas investidas

10Estudos avaliados

87Comentários coletados

Todo mundo fala dos suplementos de colágeno, mas, é possível enriquecer a dieta por meio de alimentos com colágeno? Existem fontes vegetais desta proteína? É possível estimular a síntese de colágeno sem recorrer aos suplementos? Neste artigo, você vai encontrar as respostas para estas perguntas e muitas outras.

O colágeno é uma proteína que faz parte da estrutura de cartilagens, ossos, tendões, cabelo, unhas e pele. Por isso, as partes dos alimentos que são ricas em colágeno compreendem os ossos, a espinha, a cartilagem e a pele (ou couro) dos animais. O caldo de osso é uma fonte de colágeno natural e econômica.

O mais importante

  • Os alimentos ricos em colágeno são o caldo de ossos, gelatina, o couro de porco, pés de porco, pés de galinha, a espinha e escamas dos peixes, entre outros.
  • Existem caldos de ossos comerciais que são apresentados em diferentes formatos e também é possível comprar os suplementos de colágeno hidrolisado. Estes produtos são, geralmente, de origem bovina ou de peixes silvestres.
  • Para estimular a síntese de colágeno, não basta aumentar a ingestão de alimentos ricos em colágeno ou consumir suplementos, mas sim é necessário evitar os comportamentos que aumentam a perda desta proteína.

Suplementos para aumentar a ingestão de colágeno: Nossas recomendações

No mercado, existem muitas opções diferentes de colágeno, principalmente aqueles recomendados para conservar a firmeza da pele e preservar a saúde. Então, selecionamos alguns suplementos que você pode conferir abaixo:

O suplemento de colágeno favorito dos usuários

Este suplemento de colágeno hidrolisado em cápsulas da New Millen é composto por peptídeos de colágeno e enriquecido com vitaminas e minerais. É ideal para consistência e elasticidade da pele e efeito regenerativo, atuando nos ossos e nas articulações. Em uma embalagem com 120 cápsulas, a dose recomendada é de 2 cápsulas, 2 vezes ao dia.

O colágeno em pó mais prático

Este suplemento de colágeno em pó da Essential Nutrition, com vitaminas e minerais, tem sabor de limão e vem em uma embalagem com 30 sachês, cada um equivale a uma dose diária e para consumir, basta misturar com água ou outra bebida. É muito prático para o dia a dia, além de ajudar para uma rotina saudável.

O melhor colágeno com betacaroteno e vitamina C

O colágeno hidrolisado em cápsulas da Dark Lab com vitamina C e betacaroteno tem efeito regenerativo em ligamentos e articulações, neutraliza os radicais livres, previne o envelhecimento da pele e também na manutenção do cabelo e unhas. Em uma embalagem com 120 cápsulas, a sugestão de uso é de 4 cápsulas ao dia.

Tudo que você precisa saber sobre os alimentos com colágeno

Mesmo existindo uma grande variedade de suplementos de colágeno no mercado, muitas pessoas querem uma opção mais natural. Por isso, nesta seção, vamos nos aprofundar nos alimentos com colágeno e as formas de promover a síntese desta proteína também na dieta vegana.

menina com pele perfeita

Um dos benefícios do colágeno é que reduz a profundidade das rugas. (Fonte: Samborskyi: 91548634 / 123rf.com)

Uma breve revisão sobre o colágeno

O colágeno é uma proteína estrutural que é encontrada na matriz extracelular, que é o espaço entre as células. Sua função é manter os tecidos conjuntivos unidos e proporcionar sustentação e resistência, conservando a flexibilidade.

O colágeno serve para manter os tecidos conjuntivos unidos.

No corpo humano, o colágeno é a proteína majoritária e representa cerca de 26 a 30% do total proteico (1). A prolina, a hidroxiprolina e a glicina são aminoácidos predominantes nas fibras de colágeno.

Foram identificadas 28 variedades de colágeno, mas o tipo I é o mais abundante. Esta proteína está localizada em maior parte na pele, ossos, tendões e cartilagem. Estes últimos tecidos são componentes básicos das articulações (1, 2).

A partir dos 25 anos de idade começa a perda de colágeno pela degradação desta proteína ser maior que a síntese. Como a pele e as articulações são as estruturas mais afetas pela sua diminuição, as pessoas estão cada vez mais interessadas em suplementos e alimentos ricos em colágeno (3).

Perguntas frequentes sobre o colágeno Respostas
O que é o colágeno? Uma proteína estrutural
Onde o colágeno se encontra? Na cartilagem, tendões, ligamentos, ossos, pele e articulações
Também é encontrado em menor quantidade nas artérias, músculos e alguns órgãos, como o fígado e os pulmões
Quais são as funções do colágeno? Manter os tecidos conjuntivos unidos
Fornecer suporte e resistência, mas sem formar uma estrutura rígida
Fornecer resistência e flexibilidade
Quais benefícios os suplementos de colágeno oferecem? Reduzem a profundidade das rugas
Melhoram a firmeza e suavidade da pele
Contribuem para melhorar a hidratação da pele
Melhoram a amplitude de movimentos em casos de osteoartrite
Previnem o deterioramento das articulações
Reduzem a fragilidade capilar e previnem as unhas quebradiças
Aceleram a cicatrização de feridas
Previnem a desmineralização dos ossos

Fontes alimentares de colágeno

As dietas convencionais raramente oferecem muito colágeno, já que esta proteína se encontra em espinhas, nadadeiras, escamas, pele, ossos, cartilagem e couro de animais (peixes, aves, porco, bovino) e a maioria destes componentes são descartados.

No entanto, existem alguns alimentos ricos em colágeno para incluir na dieta (4):

  • Caldo de ossos;
  • Gelatina (é obtida de ossos, tendões, cartilagem e pele de animais);
  • Pé de porco e pé de galinha;
  • Pequenas espinhas e escamas comestíveis, presentes em sardinhas, anchova e cavala em conserva;
  • Couro de porco.
colágeno natural e comestível

Os alimentos ricos em colágeno são o caldo de ossos, gelatina, o couro de porco, pés de porco, pés de galinha, a espinha e escamas dos peixes, entre outros. (Fonte: Aksoy: 111999244 / 123rf.com)

Diferenças entre a gelatina, o caldo de ossos e os suplementos de colágeno

Algumas pessoas acreditam que o colágeno da gelatina não pode ser assimilado. Outras pensam que o caldo de ossos é a melhor alternativa para enriquecer a dieta com colágeno de forma natural.

Como acontece em vários assuntos relacionados à nutrição, a informação é confusa. Abaixo, vamos mostrar as diferenças entre a gelatina, o caldo de ossos e o colágeno hidrolisado (5, 6).

Gelatina Caldo de ossos Colágeno hidrolisado (suplemento)
Quantidade de colágeno por porção A porção geralmente é de 20g de gelatina em pó, que fornece entre 1,5 e 2g de colágeno A porção de caldo de ossos comercial é muito variável e pode variar entre 10g (se for concentrado e deve ser dissolvido em água quente) e 200ml se não for concentrado e apresentado pronto para consumo. No primeiro, a quantidade de colágeno é 4g por porção, enquanto no caldo pronto para consumo a quantidade de proteína é de 8 a 10g A porção diária recomendada de colágeno em pó é de 10 a 15g e fornece entre 9 e 14g de colágeno
Para o colágeno líquido, a dose recomendada é de 10ml por dia e proporciona 5g de colágeno
Para o colágeno em cápsulas, a porção de 2 cápsulas fornece entre 800 e 1300 mg desta proteína
Digestibilidade Boa Boa Muito boa
Modo de consumo Deve ser dissolvido em água quente e logo depois adicionar água fria, após o resfriamento, a gelatina solidifica, ela não é solúvel em água fria O caldo de ossos pode ser bebido sozinho ou pode ser utilizado como base para sopas e ensopados, também é possível melhorar o sabor adicionando temperos ou suco de limão O colágeno hidrolisado em pó é solúvel em água fria, pode ser dissolvido em água ou vitaminas e também pode ser adicionado em massas de tortas ou pudins
O colágeno hidrolisado também é comercializado em forma de cápsulas, que devem ser ingeridas com água
As opções líquidas estão prontas para consumo
Vantagens É econômica
O preparo é simples
As gelatinas de frutas geralmente tem sabor agradável
A gelatina de sabor neutro pode ser utilizada em diversos preparos, doces e salgados
Existem gelatinas com pouco ou 0 açúcar
Existem caldos de ossos comerciais que garantem que os ossos, cartilagem, espinhas e outros componentes utilizados para elaborar o produto são de origem de animais criados no pasto, aves de granja e peixes silvestres
Nos caldos comerciais, é avaliado o conteúdo de metais pesados para garantir a qualidade do produto
Os caldos caseiros são econômicos e fáceis de fazer
O sabor natural é suave, mas é possível adicionar temperos ou suco de limão para melhorar o sabor
É possível utilizar como base de sopas, ensopados e molhos
O colágeno hidrolisado é facilmente assimilado porque é submetido a uma pré-digestão
A maioria dos suplementos são enriquecidos com vitamina C e zinco, dois nutrientes essenciais para a síntese de colágeno
O sabor pode ser neutro ou frutal
Existem 3 formas de apresentação práticas: pó, líquido ou em cápsulas
O colágeno hidrolisado em pó neutro pode ser utilizado no preparo de tortas, bolos e biscoitos
Desvantagens A gelatina convencional tem açúcar simples
Contém saborizantes, corantes e adoçantes artificiais
Se consumido em excesso ou diariamente, pode causar constipação
Os caldos caseiros podem ter metais pesados em quantidades que superam o limite máximo permitido
Os caldos de ossos comerciais são caros, se você pensa em consumir diariamente
Algumas pessoas podem pensar que os suplementos de colágeno hidrolisado substituem as demais proteínas da dieta, mas não é assim, o colágeno é carente de um aminoácido essencial muito importante, chamado triptófano
Não é recomendado para pessoas com doenças renais ou hepáticas
O colágeno hidrolisado marinho não é apto para pessoas com alergia a frutos do mar

O colágeno na dieta vegana

A dieta vegana é pobre em colágeno porque são eliminados todos os alimentos de origem animal e o colágeno é encontrado apenas em ossos, tendões, articulações, cartilagem e pele.

No entanto, se a dieta é suficiente em proteínas vegetais e rica em vitamina C, zinco, selênio, enxofre e cobre, o organismo terá todos os nutrientes para sintetizar o colágeno (7, 8).

flor e creme para a pele

O colágeno hidrolisado em pó é solúvel em água fria. Pode ser dissolvido em água ou vitaminas e também pode ser adicionado em tortas e pudins. (Fonte: Urrea: 141304254 / 123rf.com)

Receita do caldo de ossos

O caldo de ossos caseiro é fácil de preparar e pode ser feito com ossos bovinos, de frango ou peixe. O tempo de cozimento ideal para o caldo de ossos bovino é de 48 horas, enquanto o caldo de ossos de frango ou peixe exigem 24 e 8 horas, respectivamente.

Ele pode ser conservado por cinco dias na geladeira, mas também pode ser congelado. É importante que os ossos sejam de bois criados no pasto, aves de granja e peixes silvestres, já que os ossos são reservatórios de metais pesados e tóxicos que passam ao caldo no cozimento.

Quanto mais natural for a dieta do animal, menos tóxicos serão os ossos. O passo a passo para preparar um caldo de ossos caseiro são estes:

  • Assar os ossos durante 30 a 45 minutos a uma temperatura média (180°C).
  • Colocar os ossos em uma panela (pode ser utilizada uma panela de cozimento lento) e completar com água até alguns centímetros da borda da panela.
  • Adicionar uma ou duas colheres de vinagre e uma colher de chá de sal.
  • Deixar repousar durante 15 a 20 minutos.
  • Opcional: Adicionar temperos, especiarias (pimenta, cúrcuma), alho-poró e/ou folhas de louro.
  • Começar o cozimento em fogo baixo durante o tempo recomendado de acordo com o tipo de ossos. As panelas slow cooker são ideais para preparar o caldo de ossos com cozimento prolongado, como os bovinos e de frango.
  • Coar o caldo para separar os ossos do líquido.
  • Deixar esfriar e refrigerar.
Jim WhiteNutricionista

“A função do colágeno em nosso corpo é manter os tecidos conjuntivos móveis, elásticos e fortes, para evitar a fragilidade.”

Dicas para estimular a síntese de colágeno

Consumir suplementos ou alimentos ricos em colágeno não é o suficiente para aumentar a síntese desta proteína na pele e nas articulações. Para que estes produtos sejam efetivos, é importante seguir um estilo de vida saudável e ter uma alimentação completa. Estas simples dicas vão te ajudar a reduzir a perda de colágeno:

Aumente o consumo de alimentos com colágeno

Como explicamos ao longo deste artigo, existem diversas opções para incluir suplementos e alimentos ricos em colágeno na dieta. O caldo de ossos (caseiro ou comercial) é uma boa alternativa para quem quer aumentar a dose de colágeno sem recorrer aos suplementos.

Outras fontes de colágeno são: a gelatina, ensopados e sopas com pés de galinha ou porco, sardinha ou cavala enlatadas, que já possuem pequenas espinhas e escamas cozidas. Lembre-se que o colágeno no estado natural, sem cozimento, não pode ser assimilado (4, 5).

casal de corredores

Uma das funções do colágeno é fornecer resistência e flexibilidade. (Fonte: Bogicevic: 53102203 / 123rf.com)

Considere ingerir suplementos de colágeno

Os suplementos de colágeno hidrolisado são recomendados a partir dos 35 anos, especialmente se você deseja estimular a síntese de colágeno para manter a pele firme, suave e jovem.

Por outro lado, em casos de osteoartrite ou em idosos com risco de sarcopenia e desmineralização óssea, os suplementos também podem ser efetivos (5).

Incremente a ingestão de nutrientes essenciais para a síntese de colágeno

A vitamina C, o zinco, o cobre, o enxofre e o selênio são micronutrientes essenciais para a síntese e proteção do colágeno. Garantir a ingestão suficiente destes nutrientes é fundamental para pessoas veganas e vegetarianas, que não vão ingerir caldos de ossos ou suplementos de colágeno.

Os nutrientes mais recomendados são (7, 8):

  • Vitamina C: cítricos (limão, laranja, tangerina), morango, kiwi, salsinha fresca, tomate, pimentão fresco.
  • Zinco: carnes vermelhas, oleaginosas, carne de aves, frutos do mar e legumes.
  • Cobre: ostras, oleaginosas, sementes, vísceras (fígado), espirulina.
  • Selênio: carnes (bovina, suína, peru), peixes, oleaginosas, ovos.
  • Enxofre: legumes, peixes, frutos do mar, carnes, vísceras, cebola, crucíferas (repolho, brócolis, couve de Bruxelas), ovos, queijos.

Não deixe de consumir outras proteínas

O colágeno obtido a partir de um suplemento ou do caldo de ossos não irá diretamente para a pele ou para as articulações. Cada proteína é formada por uma cadeia de aminoácidos, que são suas unidades básicas.

Cada aminoácido absorvido faz parte de um fundo comum, também chamado de pool de aminoácidos (9). Quando o organismo precisa sintetizar uma proteína, utiliza os aminoácidos deste fundo comum.

Então, se o organismo exige aminoácidos para produzir proteínas musculares, os tomará do pool e não vai importar se estes aminoácidos são originais do colágeno. Para que um suplemento deste tipo seja efetivo, a dieta deve ser suficiente em proteínas.

Libby MillsNutricionista

“Para a maioria dos vegetarianos, obter proteínas de uma variedade de alimentos vegetais ao longo do dia é suficiente para garantir que o corpo tenha todos os aminoácidos que necessitam para construir o colágeno.”

Evite os comportamentos que favorecem a perda de colágeno

De nada adianta comer alimentos ricos em colágeno, caldo de ossos ou suplementos se o seu estilo de vida acelera a destruição das fibras de colágeno. A ingestão excessiva de açúcar simples prejudica a reparação das fibras de colágeno e acelera o envelhecimento da pele (10).

O cigarro, a contaminação ambiental, o excesso de álcool, a dieta pobre em proteínas de bom valor biológico e a exposição solar também favorecem a perda de colágeno. As fontes alimentares e os suplementos com colágeno são efetivos apenas se fazem parte de um conjunto de comportamentos saudáveis.

Resumo

A maioria das dietas são pobres em colágeno porque geralmente não utilizamos os ossos, cartilagem, pele, escamas e couro dos animais, que são os tecidos onde esta proteína se encontra. Os alimentos ricos em colágeno são: o caldo de ossos, a gelatina, os pés de porco e galinha.

Os suplementos de colágeno hidrolisado são uma boa alternativa para aumentar a ingestão desta proteína de maneira simples e prática. O caldo de ossos é uma preparação muito antiga que, além dos seus benefícios pelo colágeno que oferece para a pele e articulações, se tornou uma moda alimentar.

Se você gostou do nosso guia sobre os alimentos ricos em colágeno, deixe um comentário para nós ou compartilhe em suas redes sociais!

(Fonte da imagem destacada: Acevedo: 110893217 / 123rf.com)

Referências (10)

1. Shoulders M, Raines R. Collagen structure and stability. 2010.
Fonte

2. Principios de bioquímica médica. Meisenberg G, Simmons W. 2018. Editorial Elsevier.
Fonte

3. León López et al. Hydrolyzed Collagen—Sources and Applications. 2019.
Fonte

4. Silvipriya K et al. Collagen: Animal Sources and Biomedical Application. 2015.
Fonte

5. Haltiwanger S. The Therapeutic Uses of Hydrolyzed Collagen. 2014.
Fonte

6. Monro J, Leon R, Puri B. The risk of lead contamination in bone broth diets. 2013.
Fonte

7. Unger M, Chiappe M. Importancia fisiológica de los microminerales en el metabolismo óseo. 2008.
Fonte

8. Basabe Tuero B. Funciones de la vitamina C en el metabolismo del colágeno. 2000.
Fonte

9. Restrepo J, Fajardo L, Angel L. Metabolismo de aminoácidos y metodología simplificada para la evaluación de calidad proteínica en humanos. 1993.
Fonte

10. William Danby F. Nutrition and Aging Skin: Sugar and Glycation. 2010.
Fonte

Por que você pode confiar em mim?

Romina Cerutti Nutricionista
Licenciada em Nutrição e coach de saúde e bem-estar. Logo depois da graduação, começou a escrever artigos sobre alimentação e nutrição, pois percebeu que as pessoas liam muito sobre esse tema, mas na maioria das vezes, a informação obtida estava errada ou era falsa. Seu objetivo é escrever artigos verídicos, úteis e interessantes para o leitor.
Artigo científico
Shoulders M, Raines R. Collagen structure and stability. 2010.
Ir para a fonte
Livro
Principios de bioquímica médica. Meisenberg G, Simmons W. 2018. Editorial Elsevier.
Ir para a fonte
Artigo científico
León López et al. Hydrolyzed Collagen—Sources and Applications. 2019.
Ir para a fonte
Artigo científico
Silvipriya K et al. Collagen: Animal Sources and Biomedical Application. 2015.
Ir para a fonte
Artigo científico
Haltiwanger S. The Therapeutic Uses of Hydrolyzed Collagen. 2014.
Ir para a fonte
Artigo científico
Monro J, Leon R, Puri B. The risk of lead contamination in bone broth diets. 2013.
Ir para a fonte
Artigo científico
Unger M, Chiappe M. Importancia fisiológica de los microminerales en el metabolismo óseo. 2008.
Ir para a fonte
Artigo científico
Basabe Tuero B. Funciones de la vitamina C en el metabolismo del colágeno. 2000.
Ir para a fonte
Artigo científico
Restrepo J, Fajardo L, Angel L. Metabolismo de aminoácidos y metodología simplificada para la evaluación de calidad proteínica en humanos. 1993.
Ir para a fonte
Artigo científico
William Danby F. Nutrition and Aging Skin: Sugar and Glycation. 2010.
Ir para a fonte