Costela de porco com chama de fogo ao fundo.
Ultima atualização: 22 de abril de 2021

Se você está preocupado com algum processo de cicatrização ou com uma recuperação de pós-operatório, já deve ter se deparado com uma questão: Posso comer alimentos remosos? Se essa é sua dúvida, seja bem-vindo. No artigo de hoje vamos desvendar os mistérios desses alimentos.

Sim, porque os alimentos remosos ainda estão envoltos por muitos tabus e crenças populares. Tanto é que a comunidade científica afirma que faltam estudos para comprovar os malefícios desses alimentos em situações específicas. A seguir, vamos explicar isso e muito mais.




Primeiro, o mais importante

  • Alimentos remosos são, na cultura popular, aqueles que podem causar inflamação na pele por reação alérgica, dificultar a cicatrização e piorar quadros de inflamação.
  • Em comum, os alimentos remosos possuem alta concentração de proteína e gordura animal, o que pode causar dificuldade na digestão e alergias.
  • No entanto, ainda faltam provas de que esses alimentos sejam prejudiciais para a cicatrização e a recuperação de pacientes no pós-operatório.

Tudo o que você precisa saber sobre alimentos remosos

Os alimentos remosos de fato existem? Fazem mesmo mal à saúde? Para responder a essas e outras dúvidas, nós criamos um Guia com os principais tópicos referentes a esse tipo de alimento.

Mulher segurando prato de comida.

Os alimentos remosos são considerados pesados para a digestão. (Fonte: sasint/ Pixabay)

O que são alimentos remosos?

Segundo o dicionário Caldas Aulete, remoso ou reimoso é algo que faz mal à saúde. Não à toa, esse é o termo que designa alimentos prejudiciais à saúde no vocabulário de comunidades ribeirinhas do Norte, Centro-Oeste e Nordeste do país.

De modo geral, os alimentos remosos são aqueles com grande concentração de gordura e proteína. Por isso, eles são, de fato, de difícil digestão e, se consumidos em excesso, podem causar alergias, dor de estômago, diarreia ou intoxicações.

Você sabia que a “reima” é uma variação da palavra grega “reuma”, que deu origem a outras palavras, entre elas, a palavra “reumatismo” e "reimoso"?

No ditado popular, reimoso também significa mal-humorado, rabugento, genioso e brigão.

Lista de alimentos remosos, segundo a sabedoria popular

Os alimentos considerados remosos acabam variando bastante dependendo da região do país. Ainda assim, nós reunimos em uma lista os mais populares. Confira:

  • Amendoim;
  • Calabresa;
  • Camarão;
  • Caranguejo;
  • Arraia;
  • Carne de Paca;
  • Carne de Capivara;
  • Carne de Carneiro;
  • Carne de Pato;
  • Peixe com couro;
  • Peru;
  • Carne de Porco;
  • Lagosta;
  • Manga;
  • Moluscos;
  • Melancia;
  • Mortadela;
  • Ovo.

Alimentos remosos e seu efeito no processo de cicatrização

Por serem considerados alimentos “pesados” e que fazem mal à saúde, os alimentos remosos não deveriam, na crendice popular, ser consumidos por pessoas que estão passando por situações específicas.

Entre elas, quadros de infecção, inflamação e cicatrização. Isso porque, segundo a crença, os alimentos remosos dificultariam a cura e o tratamento.

No entanto, até agora, não existem evidências científicas de que os alimentos remosos prejudiquem a cicatrização e processos inflamatórios.(1)

De acordo com especialistas, o que ocorre é que existem alguns alimentos, como os crustáceos, que produzem substâncias inflamatórias quando ingeridos e podem, dessa forma, retardar ou prejudicar a cicatrização.

Fatias de salaminho, ovo, pepino, tomate, alface e um garfo sobre uma tábua redonda de madeira.

Não há provas de que os alimentos remosos prejudiquem o processo de cicatrização. (Fonte: RitaE/ Pixabay)

Talvez por conta dessas reações, tenha surgido a crença de que os alimentos remosos podem interferir no processo de cicatrização, inclusive de quem tenha feito uma tatuagem. Mas isso não é verdade.

Até porque, no caso de alguns alimentos remosos como peixes, carne de porco e ovo existem nutrientes importantes que ajudam na cicatrização como, por exemplo, as vitaminas do complexo B. Em todo caso, a dica é consumir os alimentos remosos com moderação.

Quais são os alimentos que ajudam a cicatrizar ferimentos?

Para que ocorra o fechamento de uma lesão de maneira satisfatória é necessário um conjunto de fatores que incluem repouso, uso correto de medicamento e uma nutrição adequada.

As proteínas têm participação em todas as fases da cicatrização de feridas.

Curiosamente, as proteínas, tão presentes nos alimentos remosos, têm participação em todas as fases da cicatrização de feridas. (2)

Além disso, entre os aminoácidos que mais atuam positivamente no processo saudável e rápido da cicatrização estão a arginina e a glutamina.

Outros nutrientes presentes na alimentação natural que são importantes nesse processo são: Vitamina A, C, E e K, além do ferro e do cobre.

Pós-operatório e alimentos remosos: Qual a relação?

Outra situação na qual a crença popular diz que os alimentos remosos são prejudiciais é no pós-operatório. E até faz sentido, já que alimentos ricos em gordura de fato são contraindicados para pessoas que estão debilitadas ou se recuperando de uma cirurgia.

Além disso, existe o receio de que pessoas que estão se recuperando de uma cirurgia e consumam alimentos remosos tenham como reação os pruridos, além de alergias e diarreia.

Também nesse caso, ainda são necessários estudos mais aprofundados para comprovar uma correlação entre os alimentos remosos e as reações nesses pacientes.

O que se tem como certo atualmente é que, em princípio, essa recomendação de não ingerir alimentos remosos após uma cirurgia costuma ocorrer pelo simples fato de o médico não ter certeza se haverá ou não uma reação alérgica no paciente.

Resumo

Alimentos remosos são aqueles ricos em gorduras e proteínas. De acordo com a crença popular, eles não devem ser consumidos por pessoas que estão se recuperando de uma cirurgia, que estão passando por um processo de cicatrização ou de inflamação.

No entanto, ainda que esses alimentos sejam, de fato, de difícil digestão e tenham potencial de gerar alergias, ainda não há comprovação científica sobre a atuação deles nos processos de cicatrização e de pós-operatório.

(Fonte da imagem destacada: Shutterbug75/ Pixabay)

Referências (3)

1. Tabus alimentares em medicina: uma hipótese para fisiopatologia referente aos alimentos remosos - Rev. Assoc. Med. Bras. vol.59 no.3 São Paulo May/June 2013
Fonte

2. A relevância da nutrição no processo de cicatrização
Fonte

3. A qualidade dos alimentos: análise de algumas categorias da dietética popular Rev. Nutr. vol.20 no.2 Campinas Mar./Apr. 2007
Fonte

Por que você pode confiar em mim?

Trabalho acadêmico
Tabus alimentares em medicina: uma hipótese para fisiopatologia referente aos alimentos remosos - Rev. Assoc. Med. Bras. vol.59 no.3 São Paulo May/June 2013
Ir para a fonte
Trabalho de Conclusão de Curso de Enfermagem da Universidade Estadual da Paraíba
A relevância da nutrição no processo de cicatrização
Ir para a fonte
Ensaio
A qualidade dos alimentos: análise de algumas categorias da dietética popular Rev. Nutr. vol.20 no.2 Campinas Mar./Apr. 2007
Ir para a fonte
Resenhas