comprimidos com mineiro
Ultima atualização: 29 de setembro de 2020

Como escolhemos

15Produtos analisados

28Horas investidas

11Estudos avaliados

70Comentários coletados

Se o seu médico receitou um antibiótico para tratar alguma doença, a última coisa que você precisa é que apareçam efeitos colaterais! Infelizmente, todo mundo já teve dor de estômago ou algum desconforto durante o tratamento com antibiótico. Se você tiver muito azar, pode até sofrer uma nova infecção logo depois de terminar o medicamento. Por que?

Os antibióticos são produtos potentes que podem causar muitos efeitos colaterais no organismo se não forem utilizados corretamente. As reações alérgicas e os problemas digestivos podem se tornar um “verdadeiro pesadelo” em alguns casos. Você quer saber como detectar e evitar? Você está no lugar certo!

O mais importante

  • Os antibióticos são medicamentos capazes de destruir bactérias nocivas, mas também micro-organismos benéficos (a “flora”).
  • Os antibióticos podem danificar os tecidos e provocar reações alérgicas graves. Seu principal efeito colateral é o desconforto intestinal (náuseas, vômitos e diarreia).
  • O uso dos probióticos tem sido estudado para prevenir e tratar o aparecimento dos efeitos colaterais durante o uso de antibióticos, mas é recomendado consultar seu médico antes de tomar estes produtos.

Probióticos contra os efeitos colaterais dos antibióticos

Os antibióticos “destroem” o equilíbrio intestinal? Se o seu médico indicou o uso de um probiótico, recomendamos que você escolha um destes produtos. Estes suplementos probióticos vão fornecer cepas bacterianas consideradas efetivas para tratar as alterações do trânsito intestinal causada pelos antibióticos.

O probiótico favorito dos usuários

Este suplemento de probióticos da Puritan’s Pride contém 20 bilhões de culturas probióticas vivas e 10 cepas probióticas em cada cápsula. Os probióticos auxiliam na manutenção do sistema digestivo, o que também ajuda na absorção de nutrientes. Em uma embalagem com 120 cápsulas, a dose ideal para manter o equilíbrio intestinal é de 2 cápsulas ao dia.

O melhor probiótico para veganos

Este probiótico da Now Foods contém 10 cepas bacterianas probióticas que são resistentes aos ácidos e colonizam naturalmente o trato gastrointestinal. Auxilia na manutenção do intestino e contribui para uma digestão mais saudável. Em uma embalagem com 50 cápsulas veganas, a dose recomendada é de 1 cápsula 1 ou 2 vezes ao dia.

O melhor probiótico em pó

Este probiótico em pó da Vitafor contribui para manter a microbiota intestinal saudável. Com cinco cepas diferentes, ele auxilia no reforço das defesas naturais do organismo. Em uma embalagem com 30 sachês de probióticos em pó, para consumir basta misturar o conteúdo de um sachê com 100 ml de água, misturar bem até ficar homogêneo e consumir imediatamente.

Tudo sobre os efeitos colaterais dos antibióticos

Os antibióticos são medicamentos muito úteis, mas não estão carentes de efeitos colaterais. Estas substâncias podem afetar os tecidos de todo o seu organismo ou, inclusive, dar lugar à reações de hiper sensibilidade, mas os efeitos colaterais mais comuns são os gastrointestinais. Os probióticos podem ser úteis para prevenir alguns destes problemas.

menina com dor abdominal

A microbiota intestinal pode ser lesionada ao utilizar antibióticos. (Fonte: Yastremska: 97251187 / 123rf.com)

O que são os antibióticos e por que causam efeitos colaterais?

Os antibióticos são substâncias capazes de destruir bactérias. A medicina moderna recorre frequentemente a estes medicamentes para tratar infecções que, de outro modo, podem afetar gravemente a saúde.

Existe uma grande variedade de antibióticos diferentes que podem ser encontrados em forma de cápsulas, pó, xaropes e injetáveis (1). Porém, os antibióticos podem causar muitos efeitos colaterais.

Estas substâncias não são inofensivas e, ao interagir com o corpo humano, podem causar reações alérgicas, irritação, inflamação ou danos nos tecidos. Além disso, os antibióticos podem eliminar as bactérias “boas” do corpo, tornando o corpo vulnerável a novas infecções (2).

Quais são os principais efeitos colaterais dos antibióticos?

Seu médico receitou um antibiótico? Se você seguir as instruções fornecidas, provavelmente vai terminar o seu tratamento sem problemas. Porém, em algumas ocasiões, podem surgir efeitos colaterais a estes medicamentos.

É possível classificá-los levando em consideração sua repercussão sobre os diferentes tecidos do corpo humano:

Tecido afetado Tipos de efeitos colaterais (3)
Sangue Anemia
Redução do número de glóbulos brancos (células defensivas)
Problemas para a coagulação sanguínea (excesso ou defeitos)
Sistema nervoso e músculos Dores musculares
Tremores
Convulsões
Paralisia muscular
Encefalopatia (alteração grave da função cerebral)
Surdez
Cegueira
Pulmões Problemas respiratórios leves (tosse ou irritação)
Problemas respiratórios graves (dificuldade para respirar ou lesões pulmonares permanentes)
Coração Arritmia
Problemas de pressão arterial (hipotensão ou hipertensão)
Aparelho digestivo Desconforto intestinal
Náuseas
Vômitos
Diarreia
Infecções secundárias
Infecção por Clostridium difficile
Fígado e pâncreas Lesões hepáticas
Colestase (obstrução à passagem da bile)
Inflamação do pâncreas
Rins Dano renal (transitório)
Dano renal (permanente)

Além dessa classificação, existem outros efeitos colaterais inespecíficos, como o surgimento de manchas na pele, infecções vaginais, sensibilidade à luz solar, dores das articulações e ruptura do tendão.

Você também não pode esquecer das reações de hipersensibilidade, onde o corpo reconhece o antibiótico como uma substância estranha, podendo aparecer (3):

  • Febre;
  • Alterações no sangue (anemia, problemas com as defesas e destruição das células responsáveis pela coagulação);
  • Erupção cutânea (a pele fica avermelhada, surgindo inflamações e coceiras);
  • Reação anafilática (grave reação alérgica ao antibiótico, com dificuldade para respirar, inchaço generalizado da língua e lábios e queda na pressão arterial. É necessário atendimento médico urgente).

Felizmente, a maioria dos efeitos colaterais dos antibióticos são leves se eles forem utilizados corretamente e desaparecem quando o tratamento for finalizado. Os efeitos colaterais mais comuns são os gastrointestinais (2).

foco

Se durante o uso do antibiótico surgir dificuldade para respirar, enjoos ou inflamação na boca, lábios ou garganta, pare de tomar o medicamento e procure o atendimento de emergência mais perto de você.

Como os antibióticos afetam o meu bem estar intestinal?

Os antibióticos têm a capacidade de prejudicar o bem estar intestinal por vários motivos. Por um lado, estes medicamentos podem lesionar diretamente a parede do estômago e do intestino.

Os antibióticos podem causar diarreia e inflamações intestinais.

Por outro, os antibióticos podem destruir sua flora intestinal, desprotegendo o intestino contra a invasão de bactérias perigosas.

Felizmente, muitas pessoas não sofrem nenhum tipo de desconforto gastrointestinal durante o tratamento com antibióticos. Outras, no entanto, podem notar que o estômago “sofre” após ingerir estes medicamentos, surgindo cólicas, náuseas e até vômito e diarreia.

Estes efeitos colaterais podem durar até duas semanas após a finalização do tratamento. Em alguns casos, o uso de antibióticos pode favorecer a infecção do trato intestinal por Clostridium difficile, uma bactéria agressiva e difícil de tratar.

Esta “invasora” pode provocar diarreia grave e inflamação do trato digestivo. A infecção por C. difficile pode colocar sua vida em risco, por isso exige atenção médica urgente (2, 4).

menina em consulta médica

É muito importante que você não deixe de tomar seu antibiótico até que o seu médico indique. (Fonte: Tom: 37598800 / 123rf.com)

Como evitar os efeitos colaterais dos antibióticos?

Utilize os antibióticos apenas quando for necessário. Nunca tome estes medicamentos por conta própria. Lembre-se que os antibióticos não servem para tratar infecções por vírus (como a gripe) e só podem ser comprados com uma receita médica.

Cumpra com o tratamento. Muitas pessoas param de tomar o antibiótico quando se sentem melhor. Este ato aparentemente “inocente” pode fazer com que as bactérias que não foram eliminadas fiquem resistentes aos medicamentos.

Para destruí-las, será necessário utilizar antibióticos mais potentes e com maior probabilidade de causar efeitos colaterais.

Consulte seu médico se surgirem dúvidas. Você acha que o antibiótico não está fazendo efeito? Começou a aparecer desconforto? Você esqueceu de uma dose? Antes de tomar decisões precipitadas, é recomendado consultar seu médico.

O médico dará as orientações adequadas para continuar seu tratamento de forma segura e vai te ajudar se aparecer algum efeito colateral (5).

Dr. Jason NewlandMédico especialista em Pediatria (EUA)

“Outro efeito dos antibióticos sobre o qual sabemos o seu impacto é na microbiota. Motivo para não utilizar mais do que você realmente precisa.”

Probióticos e antibióticos: O que os especialistas dizem?

Se a sua microbiota sofreu após o tratamento com antibióticos, talvez você esteja pensando em utilizar um probiótico para “devolver o equilíbrio” a sua flora bacteriana. Se você está pensando em recorrer a um destes suplementos, recomendamos que você não perca esta seção. Vai responder mais algumas das suas dúvidas!

Os probióticos podem evitar a diarreia associada ao uso de antibióticos

De acordo com alguns estudos, utilizar um probiótico durante e depois do tratamento com antibiótico pode reduzir de forma significativa a probabilidade de pessoas sensíveis sofrerem de diarreia.

Além disso, nestes estudos, os probióticos foram seguros e não provocaram efeitos colaterais consideráveis (6).

Infelizmente, os suplementos probióticos não parecem diminuir a probabilidade de que apareçam outras complicações associadas ao uso de antibióticos (7). Atualmente, estes produtos parecem favorecer apenas o restabelecimento da flora intestinal.

Efeitos colaterais dos antibióticos.

Consulte seu médico antes de utilizar antibióticos. (Fonte: Lightfieldstudios: 110349352 / 123rf.com)

Nem todos os probióticos são iguais

Nem todos os probióticos demonstraram ser capazes de exercer um efeito positivo durante o tratamento com antibióticos. Realmente, existem algumas cepas (“famílias” de micro-organismos) que os especialistas consideram efetivas para prevenir e tratar diarreia associada ao antibiótico.

De acordo com alguns estudos, Saccharomyces boulardii e Lactobacillus rhamnosus GG são os probióticos que demonstraram uma maior efetividade na hora de fortalecer a microbiota depois do tratamento com antibiótico.

Para que sejam efetivos, devem ser tomados com uma dose de, pelo menos, 5×109 de UFC (5 mil milhões de Unidades Formadoras de Colônias) (8).

Tomar probióticos e antibióticos ao mesmo tempo é uma má ideia?

Se você ingerir seu probiótico e seu antibiótico ao mesmo tempo, é possível que o medicamento destrua não apenas as bactérias que estão te “invadindo”, mas também os “recém chegados” probióticos.

Por isso, geralmente se recomenda que o antibiótico seja tomado duas horas antes ou duas horas depois (no mínimo) do probiótico.

Alguns fabricantes de suplementos probióticos insistem que seu produto pode ser ingerido ao mesmo tempo que o antibiótico, o que simplifica muito o tratamento e evita que você esqueça de tomar.

Se você não tem certeza se o probiótico é capaz de “resistir” as ações do antibiótico, pergunte ao seu médico ou farmacêutico (9).

garota tomando minerais

Os antibióticos podem provocar reações alérgicas. (Fonte: Davydov: 107344134 / 123rf.com)

Os probióticos podem atrasar a recuperação da sua microbiota

Um estudo interessante de 2018 (10) descobriu que tomar os probióticos junto com o antibiótico pode, paradoxalmente, atrasar a recuperação da microbiota. A recuperação espontânea das bactérias benéficas pode ser afetada ao incluir um probiótico, por isso é importante agir com precaução ao utilizar estes suplementos.

O veredito: probióticos que se adaptam às suas necessidades

Por um lado, os probióticos são suplementos acessíveis e seguros, que podem reduzir a probabilidade de ocorrer diarreia durante o uso de antibióticos, mantendo o temido C. difficile longe.

Por outro lado, estes complementos podem fazer que sua recuperação prolongue mais do que o necessário. Um dilema!

A favor dos probióticos (10, 11) Contra os probióticos (10, 11)
Podem prevenir o aparecimento de diarreia associada aos antibióticos Pode atrasar a recuperação da microbiota
Podem reduzir a probabilidade de infecção por C. difficile Eficácia não comprovada em desequilíbrios da microbiota vaginal
Preço acessível Nem todas as cepas são adequadas
Poucos ou nenhum efeito colateral em pessoas saudáveis Possibilidade de efeitos colaterais em pessoas doentes ou imunossuprimidas (“com as defesas baixas”)

Se você é uma pessoa saudável que geralmente não sofre com complicações aos antibióticos, pode “deixar de lado” os probióticos. Porém, se você sofre com desconforto gastrointestinal durante o tratamento medicamentoso, estes suplementos podem te ajudar. Avalie com seu médico se um probiótico é a opção mais adequada para você.

Resumo

Os antibióticos são ótimos aliados da medicina moderna. Estes medicamentos permitem lutar contra as infecções bacterianas, destruindo germes que, de alguma forma, podem ameaçar a nossa vida. No entanto, os antibióticos também são capazes de gerar efeitos colaterais e reações que podem ser graves.

Utilizar os antibióticos exclusivamente com prescrição médica e cumprir com as indicações dos especialistas pode reduzir a probabilidade de que surjam efeitos colaterais graves. Em alguns casos, é possível utilizar probióticos para evitar que os antibióticos lesionem a delicada flora intestinal. Pergunte ao seu médico se você quiser testar!

Se graças a este artigo você compreendeu melhor os efeitos colaterais dos antibióticos, por favor, deixe um comentário e compartilhe este artigo em suas redes sociais.

(Fonte da imagem destacada: Olegdudko: 48311032 / 123rf.com)

Referências (11)

1. Calhoun C, Wermuth HR, Hall GA. Antibiotics. StatPearls. StatPearls Publishing; 2020.
Fonte

2. Antibiotics – Side effects – NHS.
Fonte

3. Cunha BA. Antibiotic Side Effects Explained. Chem Eng News Arch. 2013 May 27;91(21):9.
Fonte

4. Mullish BH, Williams HRT. Clostridium difficile infection and antibiotic-associated diarrhoea. Clin Med J R Coll Physicians London . 2018 Jun 1 ;18(3):237–41.
Fonte

5. Qué hacer y qué no hacer con los antibióticos | Uso de antibióticos | CDC .
Fonte

6. Blaabjerg S, Artzi DM, Aabenhus R. Probiotics for the prevention of antibiotic-associated diarrhea in outpatients—A systematic review and meta-analysis . Vol. 6, Antibiotics. MDPI AG; 2017.
Fonte

7. Pirotta M, Gunn J, Chondros P, Grover S, O’Malley P, Hurley S, et al. Effect of lactobacillus in preventing post-antibiotic vulvovaginal candidiasis: A randomised controlled trial. Br Med J. 2004 Sep 4 ;329(7465):548–51.
Fonte

8. Agamennone V, Krul CAM, Rijkers G, Kort R. A practical guide for probiotics applied to the case of antibiotic-associated diarrhea in The Netherlands. BMC Gastroenterol . 2018 Aug 6 ;18(1):103.
Fonte

9. Taking probiotics with antibiotics | Probiotics Learning Lab.
Fonte

10. Suez J, Zmora N, Zilberman-Schapira G, Mor U, Dori-Bachash M, Bashiardes S, et al. Post-Antibiotic Gut Mucosal Microbiome Reconstitution Is Impaired by Probiotics and Improved by Autologous FMT. Cell . 2018 Sep 6;174(6):1406-1423.e16.
Fonte

11. Rodgers BM, Kirley KM, Mounsey AM. Pair it with probiotics. J Fam Pract . 2013 ;62(3):148–50.
Fonte

Por que você pode confiar em nós?

Anabel Rodríguez Formada em Medicina
Formada em Medicina, tem como missão utilizar o método científico para encontrar novas formas de potencializar o rendimento esportivo e intelectual das pessoas. Quer conversar com as pessoas que desejam se informar sobre suplementação com base em evidências. Seus suplementos favoritos são a L-teanina e as vitaminas do grupo B.
Redatora do Saudável&Forte, Luiza pesquisa com muito cuidado e auxiliar na redação e edição de artigos relevantes que envolvem um dos temas que mais lhe interessam: o universo da suplementação.
Livro
Calhoun C, Wermuth HR, Hall GA. Antibiotics. StatPearls. StatPearls Publishing; 2020.
Ir para a fonte
Site oficial NHS
Antibiotics – Side effects – NHS.
Ir para a fonte
Artigo científico
Cunha BA. Antibiotic Side Effects Explained. Chem Eng News Arch. 2013 May 27;91(21):9.
Ir para a fonte
Artigo científico
Mullish BH, Williams HRT. Clostridium difficile infection and antibiotic-associated diarrhoea. Clin Med J R Coll Physicians London . 2018 Jun 1 ;18(3):237–41.
Ir para a fonte
Site oficial CDC
Qué hacer y qué no hacer con los antibióticos | Uso de antibióticos | CDC .
Ir para a fonte
Revisão sistemática
Blaabjerg S, Artzi DM, Aabenhus R. Probiotics for the prevention of antibiotic-associated diarrhea in outpatients—A systematic review and meta-analysis . Vol. 6, Antibiotics. MDPI AG; 2017.
Ir para a fonte
Estudo em humanos
Pirotta M, Gunn J, Chondros P, Grover S, O’Malley P, Hurley S, et al. Effect of lactobacillus in preventing post-antibiotic vulvovaginal candidiasis: A randomised controlled trial. Br Med J. 2004 Sep 4 ;329(7465):548–51.
Ir para a fonte
Guia clínica
Agamennone V, Krul CAM, Rijkers G, Kort R. A practical guide for probiotics applied to the case of antibiotic-associated diarrhea in The Netherlands. BMC Gastroenterol . 2018 Aug 6 ;18(1):103.
Ir para a fonte
Site de fabricante
Taking probiotics with antibiotics | Probiotics Learning Lab.
Ir para a fonte
Artigo científico
Suez J, Zmora N, Zilberman-Schapira G, Mor U, Dori-Bachash M, Bashiardes S, et al. Post-Antibiotic Gut Mucosal Microbiome Reconstitution Is Impaired by Probiotics and Improved by Autologous FMT. Cell . 2018 Sep 6;174(6):1406-1423.e16.
Ir para a fonte
Artigo científico
Rodgers BM, Kirley KM, Mounsey AM. Pair it with probiotics. J Fam Pract . 2013 ;62(3):148–50.
Ir para a fonte