ayurveda
Ultima atualização: 30 de maio de 2020

Como escolhemos

18Produtos analisados

30Horas investidas

17Estudos avaliados

106Comentários coletados

Mens sana in corpore sano”. A frase em latim é traduzida como “Mente sã, corpo são”. Formulada pelo poeta romano Juvenal, no século I, a citação continua atual e faz total sentido quando se pensa em equilíbrio físico e emocional. Se você acredita que a alimentação tem um papel fundamental nesta harmonia, certamente vai se identificar com a Ayurveda.

De acordo com essa medicina, existem três forças vitais, os chamados doshas. Para cada um deles, há recomendações de alimentação e cuidados que vão manter seu corpo e mente em completo equilíbrio para uma vida mais longa e plena. Ficou interessado? Então, siga conosco e saiba tudo para colocar em prática os ensinamentos dessa medicina milenar.

O mais importante

  • A Ayurveda considera o ser humano como um todo unificado. Isto significa que todo ser é a união inseparável entre corpo, mente e espírito. A dieta é uma parte central dessa prática médica originária da Índia.
  • Segundo a medicina ayurvédica, existem três biótipos ou forças vitais. Os chamados doshas são: vata, pitta e kapha. Do seu equilíbrio ou desequilíbrio surgem saúde ou doença, respectivamente. Em cada pessoa, pode haver a predominância de um ou dois doshas.
  • Na Ayurveda, é comum adotar o uso de suplementos alimentares ​​para manter ou restituir a saúde. A cúrcuma e o shatavari são alguns dos exemplos. Antes de comprar qualquer um desses produtos, é essencial avaliar critérios como a adequação a veganos e alérgenos.

Os melhores suplementos da Ayurveda: nossas recomendações

Um dos ativos mais utilizados na ayurveda

Um dos suplementos mais utilizados na ayurveda, a cúrcuma — ou açafrão da terra — tem ação antimicrobiana e antifúngica. Além disso, age como anti alérgico e cicatrizante. A apresentação deste produto é com a cúrcuma em pó, revestida por cápsula de celulose e água purificada.

Poderoso antioxidante, acredita-se que o açafrão da terra também tenha influência na diminuição da pré-disposição à formação de tumores e má formação genética.

O suporte ideal ao tratamento de dores e fadiga

O extrato concentrado de Ren Shen, como é chamado o Ginseng na medicina oriental, é muito indicado para melhorar o desempenho físico e mental.

A utilização deste suplemento ajuda na saúde do sistema circulatório e é reconhecida como eficaz no combate à depressão, promovendo grande sensação de bem estar. A orientação é que se consuma 20 gotas diluídas em 20ml de água, duas vezes ao dia, sempre após as refeições.

A junção de ervas para nutrir o corpo e a alma

Duas das ervas mais famosas da Índia — Tulsi e Gotu Kola — estão presentes neste chá muito adotado pela ayurveda. A infusão é saudável e purificadora. Age nutrindo e equilibrando o sistema nervoso. Assim, oferece calma, equilíbrio e clareza mental.

Além disso, fornece inúmeros benefícios para o organismo, promovendo bem-estar físico e emocional. Possui certificação de cultivo natural, livre de pesticidas e agrotóxicos, com respeito à natureza e às pessoas.

O que você precisa saber sobre a Ayurveda

A Ayurveda é muito mais do que apenas a adoção de uma dieta baseada em alimentos vegetais. Ela representa um modo de vida que aborda o ser humano de maneira integrada, sem separar as dimensões física e espiritual. A partir de agora, vamos mostrar os princípios básicos desta filosofia e como a dieta influencia no alcance do desejado equilíbrio.

people in yoga class

A Ayurveda considera o ser humano como um todo. Ou seja, uma união inseparável entre corpo, mente e espírito (Fonte: Dolgachov: 80282633/ 123rf.com)

O que é a Ayurveda?

A Ayurveda é o sistema médico tradicional da Índia. Ela surgiu naquela região há mais de 3 mil anos. Há algum tempo, passou a despertar o interesse da sociedade ocidental. Assim, começou a ser adotada para melhorar a qualidade de vida, promover a longevidade e prevenir doenças (1, 2).

A medicina ayurvédica se baseia em várias técnicas e produtos naturais para manter ou recuperar o equilíbrio entre corpo, mente e espírito — dimensões que constituem o ser humano. Qualquer doença está associada ao desequilíbrio desta união. Por esse motivo, se concentra em recuperar o equilíbrio (1, 2).

O que são os doshas?

Os doshas, também chamados de ​​biótipos ou forças vitais, são a combinação dos cinco elementos da natureza: ar, espaço, fogo, terra e água. De acordo com a filosofia ayurvédica, eles compõem uma pessoa e são responsáveis pelas características físicas e mentais de cada um.

Existem três doshas que coexistem em cada pessoa: vata, pitta e kapha. Normalmente, uma ou duas destas forças vitais predominam (1, 2, 3). Acredita-se que cada ser humano nasce com um equilíbrio particular entre os doshas. Quando quebrada, essa harmonia pode gerar as doenças.

Jess CordingNutricionista

“Foi demonstrado que a cúrcuma protege o coração de várias maneiras, melhorando a função endotelial e reduzindo a inflamação e os danos dos radicais livres”.

Quais as características de cada dosha?

Cada dosha ou força vital carrega determinados traços físicos e características da personalidade. Vata (espaço + ar) está associado à respiração, coordenação e movimento. Pitta (fogo + água) corresponde a reações metabólicas e temperatura, e kapha (água + terra) está relacionado ao crescimento e apoio  (1, 3, 4).

Todos os doshas estão presentes em todas as pessoas. No entanto, é o biótipo dominante que determina as particularidades de um indivíduo e o estilo de vida que ele deve levar para manter ou recuperar o equilíbrio, como mostramos na tabela a seguir (2, 3).

Vata Pitta Kapha
Características físicas Magro
Ombros e quadris estreitos
Estatura alta ou baixa
Apetite variável. Costuma não manter regularidade nos horários de alimentação
Mãos e pés frios
Pele seca e fina
Olhos opacos
Dificuldade para ganhar peso
Tendência a prisão de ventre, intestino irritável, psoríase e insônia
Estatura mediana
Mais facilidade para ganhar peso e massa muscular
Bom apetite e muita sede, até durante a noite
Boa digestão
Pele quente e pálida, com tendência a sardas e vermelhidão
Cabelo com tendência a ficar grisalho mais rapidamente
Tendência a acidez e úlceras estomacais e hemorroidas
Pele com propensão a acne
Pele oleosa, suave e pálida. Pode ter espinhas, ocasionalmente
Olhos grandes, com bolsas
Corpulento, ganha peso facilmente, tendência a obesidade
Digestão lenta
Resistente a enfermidades
Pode sofrer dores articulares, angina e sinusite
Personalidade Tendência a ansiedade e depressão
Nível de energia variável
Tem pressa ao caminhar ou realizar outras tarefas
Humor variável
Imaginativo e criativo
Irritabilidade
Intelectualidade
Pontual, não gosta de perder tempo
Tem boa capacidade de concentração
Organizado
Paciente, despreocupado
Humor e energia estáveis
Afetuoso
Tem boa memória
foco

Para determinar o dosha predominante em um indivíduo, o profissional da Ayurveda examina o pulso, a personalidade, o rosto, os olhos, a língua e, às vezes, até mesmo o tom de voz da pessoa.

Como manter ou recuperar o equilíbrio entre os doshas?

Diante de uma dor ou outros sintomas de doença, a medicina ayurvédica procura encontra o ponto gerador do desequilíbrio. Assim, é possível restaurar a harmonia naquele assunto. Para isso, utiliza várias estratégias como meditação, yoga, massoterapia, fitoterapia, aromaterapia e, sobretudo, adequação da dieta (1, 2 ).

A Ayurveda também adota respeita especialidades médicas como geriatria, cardiologia e pediatria, por exemplo e, quando necessário, utiliza técnicas como a cirurgia (1). Mesmo se não há indicio de doenças, o sistema ayurvédico defende a manutenção do estilo de vida para prevenção e qualidade de vida.

foco

Ayurveda significa «ciência da vida» (ayur: vida e veda: conhecimento).

Quais os princípios da dieta ayurvédica?

É importante saber que há uma dieta mais adequada para cada dosha. Nem sempre os alimentos que beneficiam o vata terá o mesmo efeito para pitta ou kapha e vice-versa. No entanto, as diretrizes básicas da dieta ayurvédica  se aplicam a todos os biótipos (3, 5, 6):

  1. Evitar alimentos processados como enlatados, embutidos e fast food. Escolher alimentos frescos, livre de aditivos e conservantes;
  2. Consumir apenas alimentos de origem vegetal, de preferência os frutos da estação.
  3. Reduzir o consumo de alimentos de origem animal, quando não desejar eliminá-los por completo da dieta;
  4. Cozinhar e comer em um ambiente tranquilo e agradável. O estresse e a tensão nestes momentos são tão prejudicial quanto a má qualidade dos alimentos;
  5. Manter horários regulares para as refeições;
  6. Evitar os excessos na alimentação e jantar o mais cedo possível;
  7. Manter a cozinha limpa e organizada;
  8. Adotar dieta variada, aromática e colorida, que seja atraente a todos os sentidos e não só ao paladar;
  9. Optar por alimentos orgânicos, com cultivo ecológico e sem utilização de fertilizantes sintéticos;
  10. Consumir diariamente legumes, cereais integrais, hortaliças e temperos como cúrcuma, louro e pimenta;
  11. Incluir os seis sabores em cada refeição: amargo, salgado, doce, picante, adstringente e ácido.

orange milk

O leite dourado (golden milk) é uma bebida quente, típica da medicina ayurvédica que, além dos benefícios como anti-inflamatório e antioxidante, ainda é muito reconfortante. (Fonte: Rubisco: 70366812/ 123rf.com)

O que é o leite dourado e como prepará-lo?

Considerada a “bebida de ouro” da Ayurveda, o leite dourado é uma combinação saborosa. Ingerido quente, é capaz de promover ação anti-inflamatória e antioxidante. Além disso, traz sensação reconfortante, diminuindo o estresse e a ansiedade.

Preparar o leite dourado é simples e rápido. A seguir, trazemos a receita e o passo a passo para que você possa aproveitar os benefícios dessa bebida ainda hoje!

  1. Aqueça 200ml de leite vegetal ou leite de vaca desnatado;
  2. Adicione 1 colher (de chá) de cúrcuma pura em pó e uma pitada de pimenta preta;
  3. Misture bem e deixe cozinhar, sempre mexendo;
  4. Coloque meia colher (de chá) de óleo de coco ou ghee (manteiga clarificada).
  5. Não deixe o leite ferver. Quando estiver bem quente, retira do fogo e consuma imediatamente;
  6. Se desejar, adoce com mel e adicione uma colher (de chá) de gengibre em pó.

Quais os suplementos alimentares mais utilizados na Ayurveda?

A medicina ayurvédica adota muitos produtos naturais ​​como suplemento alimentar. O gengibre, açafrão e garcínia são alguns dos exemplos (7). Alguns deles são adequados para os três tipos de doshas. Outros, ​​favorecem uma força vital específica. Abaixo, apresentamos os melhores suplementos utilizados pela Ayurveda:

  • Cúrcuma: também conhecida como açafrão, é uma fonte de curcumina. Este composto possui propriedades anti-inflamatórias, expectorantes, antibacterianas, digestivas e antioxidantes. Acredita-se, ainda, que possa reduzir a incidência de câncer. A cúrcuma é recomendado em casos de diabetes tipo II, úlcera digestiva, flatulência e distúrbios inflamatórios, como a artrite (8, 9);
  • Ginseng indiano ou Ashwagandha: a Withania somnifera é indicada em casos de fadiga, ansiedade, estresse e insônia. Estudos mostram que ele é capaz de fortalecer o sistema imunológico e tem efeito rejuvenescedor. Acredita-se que pode ajudar a prevenir doenças neurodegenerativas, como demência, Alzheimer e Parkinson (7, 10, 11);
  • Shatavari ou Aspargo indiano: o nome científico é Asparagus racemosus. O suplemento utiliza a raiz da planta e é especialmente benéfico para mulheres, sobretudo durante a amamentação, pois estimula a produção do leite materno. Ajuda a fortalecer o sistema imunológico. Além disso, há estudos em andamento sobre seu potencial para melhorar a fertilidade feminina (7, 12);
  • Gotu kola: também conhecido como centella asiática. O consumo deste suplemento melhora a memória, reduz a pressão sanguínea e favorece a cicatrização de úlceras gástricas. Suas propriedades venotônicas (capacidade de aumentar a tonicidade das veias) podem diminuir o surgimento de varizes e vasinhos nas pernas (13);
  • Triphala: É um suplemento composto pelos frutos da Terminalia bellerica, Terminalia chebula e Emblica officinalis. É indicado especialmente para tratar a constipação crônica, porque tem um efeito laxante. Promove a recuperação da flora intestinal, restabelecendo a saúde do sistema digestivo (7, 14).

Critérios de compra

Para que os suplementos alimentares sejam eficazes, é preciso combinar com outras mudanças de hábitos, como mostramos ao longo deste guia. Além disso, antes de comprar, é importante verificar outros critérios que garantem a qualidade do suplemento. Por isso, para fazer uma escolha responsável, avalie os seguintes aspectos:

Autenticidade

A recomendação é para que você tenha confiança na procedência do produto e na idoneidade do fabricante. Nosso alerta não é à toa. Em alguns suplementos ayurvédicos contra dores e inflamação em casos de artrite, foram detectados medicamentos anti-inflamatórios sintéticos, usados na medicina alopática (1).

A regulamentação para suplementos nutricionais ainda é muito deficiente no Brasil. Isso abre espaço para esse tipo de adulteração. Por esse motivo, é importante comprar produtos com certificação de qualidade e com boa reputação no mercado (15).

a green drink

Entre os produtos mais utilizados na Ayurveda está a centella asiática, também conhecida como gotu kola. (Fonte: Kachatong: 40562171/ 123rf.com)

Apresentação

Os suplementos nutricionais utilizados na Ayurveda podem ser consumidos em diferentes formas de apresentação: pó, cápsulas e extratos. As cápsulas são as mais comuns e têm concentração padrão dos ativos. Já os produtos em pó tem o inconveniente de precisar ser dissolvidos em alguma bebida.

Produto Apresentação Dose recomendada Como consumir
Cúrcuma Pó, cápsulas e comprimidos Pó: de meia a uma colher de chá por dia

Cápsulas e comprimidos: 1 ou 2 unidades diárias

Pó: como condimento nas refeições ou dissolvido em bebidas frias ou quentes. Acompanhada por pimenta preta ou azeite, têm absorção mais rápida

Cápsulas e comprimidos: ingerir com bastante água. Já tem pimenta na composição

Shatavari (aspargo indiano) Pó, cápsulas e comprimidos Pó: 2 colheres pequenas por dia

Cápsulas e comprimidos: 1 a 4 unidades diárias

Pó: dissolvido em água ou sucos

Cápsulas e comprimidos: ingerir com água

Ashwagandha (ginseng indiano) Cápsulas e pó Pó: 1 colher de chá por dia

Cápsulas: 1 a 2 unidades diárias

Pó: misturado com água ou suco de frutas

Cápsulas: consumir com água

Gotu kola (centella asiática) Cápsulas, pó ou extrato líquido Pó: 1 a 2 colheres pequenas por dia

Cápsulas: 2 a 3 unidades diárias

Extrato líquido: 40 gotas, de 1 a 3 vezes ao dia

Pó: dissolvido na água ou outra bebida

Cápsulas: ingerir com água, durante a refeição principal

Extrato líquido: diluído em água

Triphala Cápsulas, pó e comprimidos Pó: 1 a 2 colheres de chá ao dia. Recomenda-se consumir apenas 1 colher por dia na primeira semana e aumentar o consumo gradualmente

Cápsulas e comprimidos: 1 a 2 unidades diárias

Pó: dissolvido em água ou sucos

Cápsulas e comprimidos: ingerir com água, durante a refeição principal

Alérgenos

Embora a maioria dos suplementos ayurvédicos sejam baseados em ingredientes naturais, é preciso estar atento a elementos que possam causar reações alérgicas, como a possível presença de glúten, por exemplo. Pessoas com  intolerância ao glúten ou doença celíaca, devem sempre procurar o selo de produto sem glúten.

Por outro lado, algumas das plantas medicinais tradicionalmente usadas no Ayurveda podem constituir um alérgeno por si mesmas. Existem pessoas alérgicas a aspargo, ginseng ou açafrão, normalmente com reações alérgicas manifestadas na pele.

ayurveda powder

De acordo com a medicina ayurvédica, existem 3 doshas: vata, pitta y kapha. É do equilíbrio de cada um que surge a saúde. Cada pessoa tem a influência predominante de um ou dois doshas. (Fonte: Indianfoodimages: 104115128/ 123rf.com)

Adequação para veganos

A dieta ayurvédica é baseada em alimentação natural e por isso, pode ser considerada uma dieta vegana. Assim, todos os suplementos são isentos de ingredientes de origem animal. Embora recomende a ingestão predominante de alimentos vegetais, a Ayurveda não exige uma dieta vegetariana.

Os veganos devem estar especialmente atentos ao material do qual as cápsulas são feitas. Pode ocorrer o uso de gelatina animal no revestimento dos comprimidos. No entanto, é fácil identificar, já que os produtos veganos geralmente são certificados e trazem essa informação no rótulo da embalagem.

Resumo

A Ayurveda é uma prática médica antiga, nascida na Índia, que entende o ser humano em todas as suas dimensões: corpo, mente e espírito. Além da cura, ela se concentra na prevenção de doenças e na harmonia entre cada aspecto da vida para garantir mais felicidade e longevidade. De acordo com essa filosofia, os doshas Vata, Pitta e Kapha são as forças vitais que precisam conviver em equilíbrio para uma vida plena.

A dieta é um dos pilares fundamentais da medicina ayurvédica. Neste sentido, os suplementos alimentares são um grande aliado para garantir as doses recomendadas de cada elemento importante para a manutenção do bem estar. Ao longo deste artigo, mostramos como identificar cada dosha e de que forma cada biótipo pode utilizar a alimentação para manter-se em constante equilíbrio. Alertamos, também, sobre pontos de atenção na hora da compra, para garantir um produto de qualidade.

Se este guia foi útil para aprofundar seus conhecimentos sobre a alimentação ayurvédica, aproveite para compartilhar com outras pessoas. Ficamos gratos por isso!

(Fonte doa imagem destacada: Chikitzo1: 34708187491/ 123rf.com)

Referências (17)

1. Parasuraman S, Thing G, Dhanaraj S. Polyherbal formulation: Concept of ayurveda [Internet]. 2014.
Fonte

2. Alcalde M. La tradición ayurvédica [Internet]. 2006.
Fonte

3. Velázquez R. Beneficios del Ayurveda, como Medicina Alternativa en Salud [Internet]. 2015.
Fonte

4. Frawley D. Ayurvedic Healing: A Comprehensive Guide [Internet]. 2000.
Fonte

5. Guha A. Ayurvedic Concept of Food and Nutrition [Internet]. 2006.
Fonte

6. Lauría A, Ciarlotti F. Cocina Ayurvédica [Internet]. 2009.
Fonte

7. Samy R, Pushparaj P, Gopalakrishnakone P. A compilation of Bioactive Compounds from Ayurveda[Internet]. 2008.
Fonte

8. Krup V, Prakash H, Harini A. Pharmacological Activities of Turmeric (Curcuma longa linn): A Review [Internet]. 2013.
Fonte

9. Chattopadhyay I, Biswas K, Bandyopadhyay U, Banerjee R. Turmeric and curcumin: Biological actions and medicinal applications [Internet]. 2004.
Fonte

10. Dar P, Singh L, Kamal M, Dar T. Unique Medicinal Properties of Withania somnifera: Phytochemical Constituents and Protein Component [Internet]. 2016.
Fonte

11. Arora R et al. Asian Medicinal Remedies for Alleviating Aging Effects [Internet]. 2013.
Fonte

12. Alok S et al. Plant profile, phytochemistry and pharmacology of Asparagus racemosus (Shatavari): A review [Internet]. 2013.
Fonte

13. Alonso M. Centella asiática. Una planta con historia e interesantes propiedades [Internet]. 2009.
Fonte

14. Peterson C. Denniston K, Chopra D. Therapeutic Uses of Triphala in Ayurvedic Medicine [Internet]. 2017.
Fonte

15. Paudyal B et al. Adverse events with ayurvedic medicines- possible adulteration and some inherent toxicities [Internet]. 2019.
Fonte

16. Gogtay N, Bhatt H, Dalvi S, Kshirsagar N. The Use and Safety of Non-Allopathic Indian Medicines [Internet]. 2012.
Fonte

17. Saper R, Kales S, Paquin J. Heavy Metal Content of Ayurvedic Herbal Medicine Products [Internet]. 2004.
Fonte

Por que você pode confiar em nós?

Romina Cerutti Nutricionista
Licenciada em Nutrição e coach de saúde e bem-estar. Logo depois da graduação, começou a escrever artigos sobre alimentação e nutrição, pois percebeu que as pessoas liam muito sobre esse tema, mas na maioria das vezes, a informação obtida estava errada ou era falsa. Seu objetivo é escrever artigos verídicos, úteis e interessantes para o leitor.
Redatora do Saudável&Forte, Vera pesquisa com muito cuidado e auxiliar na redação e edição de artigos relevantes que envolvem um dos temas que mais lhe interessam: o universo da suplementação.
Artigo científico
Parasuraman S, Thing G, Dhanaraj S. Polyherbal formulation: Concept of ayurveda [Internet]. 2014.
Ir para a fonte
Artigo informativo
Alcalde M. La tradición ayurvédica [Internet]. 2006.
Ir para a fonte
Artigo informativo
Velázquez R. Beneficios del Ayurveda, como Medicina Alternativa en Salud [Internet]. 2015.
Ir para a fonte
Artigo informativo
Frawley D. Ayurvedic Healing: A Comprehensive Guide [Internet]. 2000.
Ir para a fonte
Artigo informativo
Guha A. Ayurvedic Concept of Food and Nutrition [Internet]. 2006.
Ir para a fonte
Artigo científico
Lauría A, Ciarlotti F. Cocina Ayurvédica [Internet]. 2009.
Ir para a fonte
Artigo científico
Samy R, Pushparaj P, Gopalakrishnakone P. A compilation of Bioactive Compounds from Ayurveda[Internet]. 2008.
Ir para a fonte
Artigo informativo
Krup V, Prakash H, Harini A. Pharmacological Activities of Turmeric (Curcuma longa linn): A Review [Internet]. 2013.
Ir para a fonte
Artigo informativo
Chattopadhyay I, Biswas K, Bandyopadhyay U, Banerjee R. Turmeric and curcumin: Biological actions and medicinal applications [Internet]. 2004.
Ir para a fonte
Artigo científico
Dar P, Singh L, Kamal M, Dar T. Unique Medicinal Properties of Withania somnifera: Phytochemical Constituents and Protein Component [Internet]. 2016.
Ir para a fonte
Artigo científico
Arora R et al. Asian Medicinal Remedies for Alleviating Aging Effects [Internet]. 2013.
Ir para a fonte
Artigo científico
Alok S et al. Plant profile, phytochemistry and pharmacology of Asparagus racemosus (Shatavari): A review [Internet]. 2013.
Ir para a fonte
Artigo informativo
Alonso M. Centella asiática. Una planta con historia e interesantes propiedades [Internet]. 2009.
Ir para a fonte
Artigo científico
Peterson C. Denniston K, Chopra D. Therapeutic Uses of Triphala in Ayurvedic Medicine [Internet]. 2017.
Ir para a fonte
Artigo científico
Paudyal B et al. Adverse events with ayurvedic medicines- possible adulteration and some inherent toxicities [Internet]. 2019.
Ir para a fonte
Artigo acadêmico
Gogtay N, Bhatt H, Dalvi S, Kshirsagar N. The Use and Safety of Non-Allopathic Indian Medicines [Internet]. 2012.
Ir para a fonte
Artigo informativo
Saper R, Kales S, Paquin J. Heavy Metal Content of Ayurvedic Herbal Medicine Products [Internet]. 2004.
Ir para a fonte