alimentos variados e equilibrados
Ultima atualização: 3 de agosto de 2020

Como escolhemos

16Produtos analisados

28Horas investidas

12Estudos avaliados

98Comentários coletados

A dieta cetogênica se tornou muito popular nas últimas décadas, especialmente entre as pessoas que querem emagrecer. Mesmo parecendo ser mais uma “dieta da moda”, tem uma origem médica e é utilizada no tratamento de epilepsia e outras doenças graves.

Esta dieta é alta em gorduras, moderada em proteínas e praticamente nula em carboidratos. Seu objetivo é estimular a oxidação das gorduras e produzir grandes quantidades de corpos cetônicos que vão servir como combustível para as células. Você quer saber o que a ciência diz sobre a dieta cetogênica? Neste guia você vai descobrir.

O mais importante

  • A dieta cetogênica é baseada no consumo de gorduras, que pode representar entre 70 e 90% do total das calorias, de acordo com o seu objetivo. Exerce um efeito neuro protetor (principalmente nos casos de epilepsia), melhora a saúde metabólica e promove um peso saudável.
  • Para induzir a produção de corpos cetônicos, a dieta cetogênica exclui os alimentos ricos em carboidratos simples e complexos (frutas, cereais, legumes e muitas hortaliças). Como consequência, a ingestão de fibras, flavonoides, vitaminas e minerais pode ser insuficiente. Os suplementos de vitamina C, potássio, magnésio e fibra geralmente são necessários.
  • Qualquer pessoa que decida realizar a dieta cetogênica de forma responsável deve consultar um especialista, planejar suas refeições e compra de alimentos e ser paciente até que o organismo se acostume a utilizar os corpos cetogênicos como fonte de energia.

Os melhores suplementos para a dieta cetogênica: Nossas recomendações

Quando a dieta cetogênica é realizada a médio ou longo prazo, pode causar carências nutricionais. Tais deficiências são relacionadas com as restrições de grupos de alimentos muito importantes, tais como as frutas, as hortaliças, os cereais e os legumes. Abaixo, vamos apresentar os melhores suplementos para a dieta cetogênica:

As melhores cápsulas de vitaminas e minerais

O complexo vitamínico da Pharmaton fornece vitaminas, minerais e ômega 3. É vendido em uma embalagem com 60 ou 30 cápsulas gelatinosas, o consumo recomendado é 1 ou 2 cápsulas ao dia, por um período máximo de 12 semanas. Melhora o desempenho físico e mental, para uma vida mais saudável e com mais energia.

A melhor opção de vitamina C e zinco

A vitamina C com zinco da Profit Labs é uma ótima combinação para melhorar o sistema imune e também é antioxidante. Em uma embalagem com 60 cápsulas, a dose recomendada por dia é de 2 cápsulas, cada uma contém 1000mg de vitamina C e 7mg de zinco. Além de ser um produto de ótima qualidade, possui um ótimo custo benefício.

O melhor suplemento para ossos e dentes

Este suplemento de cálcio + magnésio + zinco + vitamina D3 + vitamina K2 da Biovitamin é formulado para proteger a saúde dos ossos e dentes, fortalecer o sistema imunológico, entre muitos outros benefícios. Em uma embalagem com 60 cápsulas de 1750mg cada e a dose recomendada é de 2 cápsulas por dia. Não contém glúten.

A melhor opção de probióticos

Esta opção de probióticos em pó da Vitafor contribui para o equilíbrio da flora intestinal. Esta embalagem contém 30 sachês, que devem ser diluídos em 100ml de água, misturando bem com uma colher até dissolver bem. Deve ser ingerido logo após o preparo.

Tudo que você precisa saber sobre a dieta cetogênica

A dieta cetogênica possui uma distribuição de nutrientes muito diferente de uma alimentação convencional, já que tem como objetivo que o corpo utilize a gordura como combustível. Nesta seção, vamos nos aprofundar nos benefícios, características e os riscos da dieta cetogênica para o corpo humano.

menina cozinha saudável

A dieta cetogênica é baseada no consumo de gorduras, que podem representar entre 70 e 90% do total de calorias consumidas. (Fonte: Lightfieldstudios: 131260981 / 123rf.com)

Definição da dieta cetogênica

A dieta cetogênica, ou simplesmente dieta keto (do inglês, ketogenic), consiste em consumir entre 70 e 90% das calorias totais em forma de gordura.

A dieta cetogênica consiste em uma alimentação rica em gorduras.

O suprimento de proteína é moderado, enquanto a quantidade de carboidrato é limitada drasticamente, para que o organismo entre em um estado de cetose e utilize a gordura como fonte de energia (1, 2).

Em uma dieta convencional , a glicose (carboidrato) é o principal combustível das células. Diante da falta de carboidratos na alimentação cetogênica, as células começam a oxidar (“queimar”) as gorduras e, como resultado, são produzidos os corpos cetônicos, que servem como fonte energética. Nesta situação, é afirmado que o corpo está em cetose (1).

Muitas pessoas seguem esta dieta com o objetivo de emagrecer e perder gordura corporal, porém, esta dieta surgiu como tratamento para a epilepsia refratária (que não melhora com medicamentos), principalmente em crianças e adolescentes. Nestes casos, a dieta cetogênica diminuiu notavelmente os episódios de convulsões (1, 2, 3).

Importância dos corpos cetônicos na dieta cetogênica

A dieta cetogênica simula um jejum prolongado e, graças a isso, as gorduras são utilizadas como principal fonte de energia. A falta de carboidratos (glicose) estimula a cetogênese, ou seja, a produção massiva de três corpos cetônicos: acetona, acetoacetato e o beta-hidroxibutírico.

Se forem consumidos carboidratos, sejam os simples ou os complexos, o estado de cetose é encerrado (1, 4). Os corpos cetônicos se tornam combustível primordial do cérebro, músculos e coração. O fígado não utiliza corpos cetônicos, mas extrai sua energia dos ácidos graxos.

Como os glóbulos vermelhos apenas utilizam a glicose como combustível, alguns aminoácidos e ácidos graxos são convertidos em glicose para satisfazer esta necessidade (4). Em algumas doenças, os neurônios não podem utilizar a glicose como fonte energética e assim, ocorrem as convulsões.

Nestes casos, os corpos cetônicos fornecem energia e reduzem os sintomas da doença. Por outro lado, muitas pessoas seguem a dieta cetogênica para emagrecer porque os corpos cetônicos exercem um efeito supressor do apetite (1, 5).

alimentos saudáveis ​​e equilibrados

Para induzir a produção de corpos cetogênicos, a dieta cetogência exclui os alimentos ricos em carboidratos simples e complexos (frutas, cereais, legumes e hortaliças). (Fonte: Elena: 43428392 / 123rf.com)

Quais são os benefícios da dieta cetogênica?

A dieta cetogênica se destaca por seus efeitos neuro protetores contra casos de epilepsia refratária, déficit no transportador GLUT-1 e deficiência de pivurato desidrogenase (PDH).

No entanto, a maioria das pessoas que realizam esta dieta fazem para perder peso e reduzir gordura. Os benefícios desta dieta são (6, 7):

  • Reduz o número e a duração das convulsões na epilepsia que não responde ao tratamento com medicamentos, principalmente em crianças e adolescentes (2, 6).
  • Melhora os sintomas do déficit de piruvato desidrogenase (convulsões, falta de coordenação, dificuldades respiratórias) e no déficit do transportador GLUT-1 (convulsões, espasticidade, retardo psicomotor). Nestes casos, existem problemas no metabolismo de glicose e as células que dependem dos corpos cetônicos para obter energia (2, 6).
  • Favorece a perda de peso às custas da redução de gordura corporal. A dieta cetogênica estimula a oxidação (“queima”) de gordura para obter energia e, ao mesmo tempo, inibe a síntese de gordura corporal. Os corpos cetônicos também suprimem o apetite e, portanto, a ingestão calórica é reduzida (7).
  • Pode retardar o crescimento de tumores, já que as células tumorais não possuem a mesma possibilidade de utilizar corpos cetônicos que as células normais. Porém ainda não foram obtidos resultados conclusivos e é necessário continuar estudando este possível benefício desta dieta (2, 7).
  • Promove a saúde metabólica. A dieta keto é relacionada com a melhora da sensibilidade à insulina e do controle glicêmico, uma diminuição de lipídios (colesterol e triglicerídeos) no sangue e redução de inflamações (8).
  • Pode prevenir doenças neurodegenerativas, como Alzheimer, Parkinson e a esclerose múltipla (2, 7).

Indicações da dieta cetogênica

Pessoas com sobrepeso ou obesidade não devem seguir a dieta cetogênica. Este tipo de dieta não deve ser a primeira opção para emagrecer. No entanto, ela pode beneficiar pessoas com excesso de peso que não tiveram sucesso em outras dietas e tem comorbidades (diabetes, colesterol alto, resistência à insulina) (5, 7, 8).

As indicações médicas para a dieta cetogênica compreendem diversas doenças neurológicas e metabólicas, entre as quais podemos mencionar (2, 6):

  • Epilepsia refratária, que não melhora com tratamento com remédios, principalmente em crianças e adolescentes;
  • Síndrome de Dravet;
  • Síndrome de West;
  • Deficiência no transportador GLUT-1;
  • Déficit de piruvato desidrogenase (PDH);
  • Síndrome de Rett;
  • Esclerose tuberosa.
Carme FonsNeurologista pediátrica

“Para algumas doenças metabólicas minoritárias como o déficit GLUT-1, o déficit de PDH e algumas epilepsias refratárias, a dieta cetogênica não só melhora a qualidade de vida dos pacientes, mas é o único tratamento possível.”

Quais tipos de dieta cetogênica existem?

Existem diversos tipos de dietas cetogênicas e todas se caracterizam pelo predomínio de alimentos gordurosos. Quando utilizada no tratamento da epilepsia ou outras doenças, geralmente é mais restritiva e rígida. Existem 4 principais critérios que podem variar neste tipo de dieta (2, 10):

  • Distribuição de macronutrientes (gorduras, proteínas e carboidratos): o fornecimento de gordura pode variar entre 80 e 90%, as proteínas entre 10 e 15% e os carboidratos, cerca de 5%.
  • Jejum intermitente (ou não): em algumas dietas cetogênicas, é iniciado com um jejum de 24 a 72 horas para alcançar rapidamente o estado de cetose. No entanto, não é o mais frequente, nem o mais recomendado (11).
  • Tipo de gorduras: a dieta cetogênica clássica permite consumir ácidos graxos de cadeia longa, enquanto outras dietas modificadas estabelecem que cerca da metade das gorduras devem corresponder a triglicerídeos de cadeia média (TCM).
  • Tipo de carboidratos: mesmo que o consumo de carboidratos seja mínimo, algumas dietas permitem incorporar um pouco mais, mas devem vir de alimentos com índice glicêmico baixo, menor que 50. O objetivo é evitar variações bruscas na glicemia (nível de glicose no sangue).
carne saudável

A dieta cetogênica possui uma distribuição de nutrientes muito diferente de uma alimentação convencional, já que tem como objetivo que o corpo utilize a gordura como combustível. (Fonte: Gkrphoto: 104073542 / 123rf.com)

Alimentos permitidos e proibidos na dieta cetogênica

Começar uma dieta cetogênica implica em eliminar quase todos os alimentos com carboidratos e somar uma grande quantidade de gorduras, tanto vegetal quanto animal. A quantidade ideal de carboidratos é de cerca de 20g diárias e no máximo 50g.

Na seguinte tabela vamos mostrar os alimentos permitidos e os proibidos na dieta keto (2):

Alimentos permitidos na dieta cetogênica Alimentos proibidos na dieta cetogênica
– Óleo de girassol ou coco, azeite de oliva
– Abacate
– Carne bovina, suína, aves, peixes e frutos do mar
– Embutidos e carnes processadas
– Manteiga, margarina
– Queijos ricos em gorduras
– Queijos cremosos
– Iogurte integral natural em pequenas quantidades
– Nata, creme de leite
– Vegetais com folhas verdes (espinafre, acelga, alface), cebola, tomate, couve, couve de Bruxelas, aspargos, pimentão, aipo, couve flor, brócolis (em quantidades moderadas)
– Ovos
– Molhos gordurosos, como maionese
– Oleaginosas (nozes, amêndoas, castanhas) e sementes
– Café, chá preto e chás de ervas
– Adoçantes não calóricos (como stevia)
– Frutas vermelhas, kiwi, cítricos (em pequenas quantidades, como ½ kiwi ou 3 morangos médios)
– Bebidas vegetais de oleaginosas
– Azeitonas
– Sal, pimenta, ervas e especiarias
– Adoçantes calóricos como açúcar comum, açúcar mascavo ou mel
– Batata, batata doce, arroz, aveia e legumes
– Farinhas e seus derivados (pães, massas, biscoitos), sejam integrais ou não
– Frutas, especialmente aquelas ricas em carboidratos, como banana, uva, manga e figo
– Frutas secas (uvas passas, damasco)
– Vegetais doces, como cenoura, abóbora ou beterraba
– Leite e iogurte adoçados (é permitido somente um pouco de leite integral com café)
– Bebidas açucaradas, sucos de frutas
– Doces, chocolates, sorvetes, sobremesas
– Cerveja, cidra, vinhos doces e a maioria das bebidas alcoólicas

Quais são as vantagens e desvantagens da dieta cetogênica?

Embora algumas dietas keto sejam vendidas como solução mágica para emagrecer, a verdade é que tem prós e contras. Além disso, quando utilizadas com fins médicos, estas dietas são muito rígidas e restritas, apesar dos benefícios.

Abaixo, vamos mostrar as vantagens e desvantagens da dieta keto:

Vantagens
  • Estimula a queima de gorduras e é associada a uma redução de peso corporal
  • As quantidades de alimentos ricos em gorduras são livres e não é necessário contar calorias, exceto quando indicada para o tratamento da epilepsia, o déficit de GLUT-1 e outras condições graves
  • É baseada em preparações simples e saborosas
  • Suprime o apetite e produz muita saciedade
  • É possível combinar com dietas hipocalóricas (baixa em calorias) convencionais quando a perda de peso é lenta e é necessário tirar o organismo do platô
Desvantagens
  • Se realizada por longos períodos, pode causar riscos para a saúde
  • É uma dieta desequilibrada, que elimina os carboidratos e grupos inteiros de alimentos (cereais, legumes)
  • As pessoas que a seguem muitas vezes se isolam e deixar de participar de reuniões sociais porque não podem comer ou beber quase nada
  • É permitido comer embutidos e alimentos fritos ricos em gorduras saturadas, gorduras trans e sódio
  • A médio e longo prazo pode causar carências nutricionais de vitaminas e minerais, bem como de fibras, probióticos e flavonóides

Efeitos colaterais da dieta cetogênica

A dieta cetogênica pode produzir, durante as fases iniciais, alguns efeitos colaterais leves, como náusea, dor de cabeça ou cansaço. Outras reações colaterais mais graves, que podem até te levar a suspender a dieta, são (2, 7):

  1. Acidose metabólica, muito grave e frequente em pessoas com diabetes tipo I. Os corpos cetônicos se acumulam no sangue e o acidificam, gerando uma descompensação que pode levar a morte;
  2. Vômitos;
  3. Constipação;
  4. Hipoglicemia (nível de glicose no sangue abaixo do normal);
  5. Diminuição drástica do rendimento físico e mental;
  6. Em crianças, param de crescer;
  7. Pancreatite;
  8. Cálculos renais;
  9. Alterações no ritmo cardíaco
  10. Aumento do ácido úrico;
  11. Gota.

Contraindicações da dieta cetogênica

Existem muitas contraindicações da dieta keto, que são relacionados com doenças prévias ou dados incertos sobre a sua segurança em determinadas etapas biológicas. As situações em que não se deve realizar esta dieta são (2, 6, 7):

  1. Gravidez e amamentação;
  2. Distúrbios na oxidação de gorduras no nível das mitocôndrias celulares;
  3. Diabetes tipo I e II não controladas;
  4. Alterações na síntese de ácidos graxos;
  5. Porfiria (doença hereditária na qual a porfirina, um composto que contribui com a função normal da hemoglobina, é acumulado em excesso);
  6. Deficiências enzimáticas que interferem em diversas reações metabólicas: piruvato carboxilase, acil CoA desidrogenase;
  7. Déficit primário de carnitina;
  8. Doença hepática, renal ou cardíaca grave.

Durante quanto tempo a dieta cetogênica pode ser realizada?

A dieta cetogênica é realizada durante períodos que variam desde 2 a 4 semanas até vários anos. Na epilepsia refratária, as crianças seguem esta dieta por muito tempo porque é o tratamento para diminuir ou eliminar convulsões.

É importante esclarecer que quando a dieta cetogênica é feita para emagrecer, geralmente o peso perdido é recuperado (efeito sanfona).

A dieta cetogênica é recomendada para atletas?

Os atletas, tanto de resistência (maratonistas, ciclistas) como de força (levantamento de pesos) precisam de carboidratos para conseguir um bom desempenho.

Algumas dietas cetogênicas incluem carboidratos nos momentos do treino, enquanto outras alternam dias keto com dias de consumo normal de carboidratos (dieta cetogênica cíclica).

alimentos balanceados sem gordura

Você pode começar testando o hummus de couve flor, o pão nuvem e o brownie de amêndoas. (Fonte: Thitarees: 89937142 / 123rf.com)

Existe risco de sofrer de carências nutricionais ao realizar a dieta cetogênica?

Sim, se a dieta cetogênica for realizada durante meses ou anos é comum que cause deficiência de diversos princípios nutritivos, como vitaminas (D, C e algumas do complexo B), minerais (magnésio, potássio, cálcio), fibras alimentares e flavonoides. A escassez de frutas e hortaliças é responsável por estas carências nutricionais.

Dicas para a dieta cetogênica

Se você acredita que a dieta cetogênica é uma boa opção para você e você decidiu começá-la o quanto antes, faça de maneira responsável para não correr riscos desnecessários que possam afetar sua saúde de forma irreversível. Nesta seção, você vai encontrar dicas úteis para realizar a dieta cetogênica:

Consulte sempre um médico e um nutricionista

Antes de começar a dieta keto, você deve consultar seu médico e um nutricionista. É fundamental fazer um exame de sangue e urina para avaliar a glicemia e as funções renal e hepática, entre outros indicadores.

Um nutricionista vai te ajudar a preparar o menu e a realizar a transição alimentar. Já que a dieta keto não é equilibrada, é fundamental que você faça consultas periódicas a estes profissionais da saúde para:

  1. Controlar seu peso;
  2. Avaliar as modificações na porcentagem de gordura e de músculos no seu corpo;
  3. Repetir periodicamente os exames pertinentes;
  4. Detectar carências nutricionais e/ou efeitos colaterais;
  5. Realizar uma educação alimentar para escolher os melhores alimentos dentro das opções disponíveis e para evitar a monotonia.
filé de salmão preparado de forma saudável

Alguns alimentos que não podem faltar na sua deita keto são: peixes gordurosos (salmão, atum, sardinha) e frutos do mar. (Fonte: Rawpixel: 109896706 / 123rf.com)

Planeje a compra dos alimentos

A dieta cetogênica deve ser rigorosamente seguida para obter mudanças no peso e na composição corporal e, principalmente, se utilizada no tratamento das doenças que mencionamos.

Planejar a compra de alimentos permite ter sempre a disposição os alimentos corretos e previne as transgressões alimentares. Você pode se organizar para uma compra semanal, quinzenal ou mensal. Os alimentos que não podem faltar na sua dieta keto são:

  • Peixes gordurosos (salmão, atum, sardinha) e frutos do mar;
  • Queijos cremosos, mussarela, emmental e parmesão;
  • Carnes bovina, suína, de aves, algumas magras e outras com mais gordura;
  • Embutidos (presunto, bacon);
  • Ovos;
  • Abacate, azeitonas;
  • Azeite de oliva, óleo de coco e girassol;
  • Manteiga;
  • Oleaginosas.

Tenha paciência durante as primeiras semanas

Levará algum tempo para você se acostumar a sua nova dieta e aprender a preparar seu menu semanal. Além disso, durante as 2 primeiras semanas você pode sentir mais cansaço, tonturas e dor de cabeça, até seu corpo de acostumar.

Um exemplo de menu comum para a dieta cetogênica é:

  • Café da manhã: café puro + ovos mexidos + abacate.
  • Almoço: atum grelhado com manteiga de ervas + salada de aspargos, tomate, bacon e mussarela (temperada com azeite de oliva) + ½ kiwi (sobremesa).
  • Lanche: sanduíche de pão nuvem apto para keto com presunto e queijo emmental + café batido com creme de leite (se for adoçar, utilize stevia).
  • Jantar: Hambúrguer bovino com queijo cheddar (sem pão) + salada de espinafre com queijo azul, temperada com azeite de oliva + 1 porção de nozes e castanhas.

Teste receitas novas

Como muitas pessoas realizam este dieta, sempre aparecem novas receitas aptas para este tipo de alimentação. Incluir receitas novas vai facilitar sua aderência a esta dieta e você vai evitar os alimentos proibidos. Você pode começar provando o hummus de couve flor, o pão nuvem e o brownie de amêndoas.

Fique longe dos suplementos “queimadores de gordura”

No mercado, existem diversos suplementos comercializados como “queimadores de gordura para dieta keto“, os quais não oferecem benefícios para a saúde, nem são necessário para obter sucesso.

Os únicos suplementos que você pode necessitar são vitaminas, minerais, fibras ou probióticos. Evite os produtos com as seguintes descrições:

  • Fat burner queimador de gordura potente”;
  • “Emagrecedor rápido”;
  • “Bloqueador de carboidratos”.

Resumo

A dieta keto, rica em gorduras, moderada em proteínas e quase nula em carboidratos, é mais do que uma dieta alimentar. Mesmo que tradicionalmente tenha sido utilizada para tratar a epilepsia refratária, tudo indica que cada vez mais pessoas a adotaram como forma de alimentação permanente e como um método para emagrecer e reduzir a gordura corporal.

É importante que médicos e nutricionistas (com formação acadêmica, claro) sejam especialistas para acompanhar e guiar seus pacientes na realização de uma dieta cetogênica segura. As carências de fibras, vitaminas e minerais são frequentes, por isso não é estranho que algumas pessoas que seguem esta dieta precisem tomar alguns suplementos.

Se você gostou do nosso guia sobre dieta cetogênica, não deixe de compartilhar em suas redes sociais.

(Fonte da imagem destacada: Elena: 73882014 / 123rf.com)

Referências (12)

1. Metaanálisis. Freeman J et al. The Ketogenic Diet: From Molecular Mechanisms to Clinical Effects [Internet]. 2006.
Fonte

2. Artículo científico. Amado Salvatierra J et al. Dieta cetogénica. Aspectos clínicos. Aplicación dietética [Internet]. 2012.
Fonte

3. Metaanálisis. Henderson B et al. Efficacy of the Ketogenic Diet as a Treatment Option for Epilepsy: Meta-analysis [Internet]. 2006.
Fonte

4. Artículo científico. Owen O. Ketone bodies as a fuel for the brain during starvation [Internet]. 2006.
Fonte

5. Artículo científico. Covarrubias P, Aburto M, Sámano L. Dietas cetogénicas en el tratamiento del sobrepeso y la obesidad [Internet]. 2013.
Fonte

6. Artículo científico. Halevy A, Peleg-Weiss L, Cohen R, Shuper A. An Update on the Ketogenic Diet [Internet]. 2012.
Fonte

7. Artículo científico. Paoli A, Rubini A, Volek J, Grimaldi K. Beyond weight loss: a review of the therapeutic uses of very-low-carbohydrate (ketogenic) diets [Internet]. 2013.
Fonte

8. Artículo científico. Gershuni V, Yan S, Medici V. Nutritional Ketosis for Weight Management and Reversal of Metabolic Syndrome [Internet]. 2018.
Fonte

9. Artículo científico. Pesta D, Samuel V. A high-protein diet for reducing body fat: mechanisms and possible caveats [Internet]. 2014.
Fonte

10. Artículo científico. Carroll J, Koenigsberger D. The Ketogenic Diet: A Practical Guide for Caregivers [Internet]. 1998.
Fonte

11. Ensayo clínico. Bergqvist C et al. Fasting versus Gradual Initiation of the Ketogenic Diet: A Prospective, Randomized Clinical Trial of Efficacy [Internet]. 2005.
Fonte

12. Artículo científico. Harvey K, Holcomb L, Kolwicz S. Ketogenic Diets and Exercise Performance [Internet]. 2019.
Fonte

Por que você pode confiar em nós?

Romina Cerutti Nutricionista
Licenciada em Nutrição e coach de saúde e bem-estar. Logo depois da graduação, começou a escrever artigos sobre alimentação e nutrição, pois percebeu que as pessoas liam muito sobre esse tema, mas na maioria das vezes, a informação obtida estava errada ou era falsa. Seu objetivo é escrever artigos verídicos, úteis e interessantes para o leitor.
Redatora do Saudável&Forte, Luiza pesquisa com muito cuidado e auxiliar na redação e edição de artigos relevantes que envolvem um dos temas que mais lhe interessam: o universo da suplementação.
Artigo científico
Metaanálisis. Freeman J et al. The Ketogenic Diet: From Molecular Mechanisms to Clinical Effects [Internet]. 2006.
Ir para a fonte
Artigo científico
Artículo científico. Amado Salvatierra J et al. Dieta cetogénica. Aspectos clínicos. Aplicación dietética [Internet]. 2012.
Ir para a fonte
Estudo de dados
Metaanálisis. Henderson B et al. Efficacy of the Ketogenic Diet as a Treatment Option for Epilepsy: Meta-analysis [Internet]. 2006.
Ir para a fonte
Artigo científico
Artículo científico. Owen O. Ketone bodies as a fuel for the brain during starvation [Internet]. 2006.
Ir para a fonte
Artigo científico
Artículo científico. Covarrubias P, Aburto M, Sámano L. Dietas cetogénicas en el tratamiento del sobrepeso y la obesidad [Internet]. 2013.
Ir para a fonte
Artigo científico
Artículo científico. Halevy A, Peleg-Weiss L, Cohen R, Shuper A. An Update on the Ketogenic Diet [Internet]. 2012.
Ir para a fonte
Estudo científico
Artículo científico. Paoli A, Rubini A, Volek J, Grimaldi K. Beyond weight loss: a review of the therapeutic uses of very-low-carbohydrate (ketogenic) diets [Internet]. 2013.
Ir para a fonte
Artigo científico
Artículo científico. Gershuni V, Yan S, Medici V. Nutritional Ketosis for Weight Management and Reversal of Metabolic Syndrome [Internet]. 2018.
Ir para a fonte
Artigo científico
Artículo científico. Pesta D, Samuel V. A high-protein diet for reducing body fat: mechanisms and possible caveats [Internet]. 2014.
Ir para a fonte
Artigo científico
Artículo científico. Carroll J, Koenigsberger D. The Ketogenic Diet: A Practical Guide for Caregivers [Internet]. 1998.
Ir para a fonte
Estudo clínico
Ensayo clínico. Bergqvist C et al. Fasting versus Gradual Initiation of the Ketogenic Diet: A Prospective, Randomized Clinical Trial of Efficacy [Internet]. 2005.
Ir para a fonte
Artigo científico
Artículo científico. Harvey K, Holcomb L, Kolwicz S. Ketogenic Diets and Exercise Performance [Internet]. 2019.
Ir para a fonte