girl taking a drink
Ultima atualização: 7 de janeiro de 2021

Como escolhemos

22Produtos analisados

22Horas investidas

9Estudos avaliados

77Comentários coletados

Mesmo que a maioria das pessoas já tenha feito uma dieta leve em alguma ocasião, ainda existe muita confusão em relação à este plano alimentar. Uma dieta leve é a mesma coisa que uma de fácil mastigação? Quando é indicada? O que é possível comer além de frango e arroz?

Por ser restrita, a dieta leve é destinada a reduzir o trabalho digestivo do estômago e, em alguns casos, minimizar os estímulos intestinais. Mesmo sendo formada por alimentos fáceis de digerir, a dieta leve pode incluir alimentos mais duros, como o pão torrado. Você quer saber mais? Então não deixe de conferir o nosso guia.




O mais importante

  • A dieta leve tem como objetivo oferecer alimentos que sejam fáceis de digerir e que não exijam muito trabalho por parte do estômago e do intestino. Também pode ser destinada à facilitar a mastigação.
  • Os alimentos, a consistência, a temperatura, o sabor e a textura da dieta leve variam de acordo com a indicação terapêutica. Uma coisa é uma dieta para um idoso com problemas dentais, outra uma pessoa com diarreia.
  • Para realizar a dieta leve corretamente, as seguintes dicas serão muito úteis: consultar um profissional da nutrição, considerar os suplementos, evitar a repetição de alimentos, cuidar da apresentação e monitorar a temperatura e o fracionamento da dieta.

Alguns suplementos que podem complementar a dieta leve

Apesar da dieta leve não implicar no consumo obrigatório de suplementos, alguns produtos podem ajudar muito a preservar o estado nutricional. A escolha do suplemento alimentar varia, dependendo se a dieta leve for desenvolvida para facilitar a mastigação ou para reduzir o trabalho digestivo.

O melhor suplemento energético-proteico

Este suplemento energético-proteico em pó, está disponível em uma lata de 900 g. Com 28 vitaminas e minerais, fornece proteínas, carboidratos, gorduras e é livre de glúten e lactose. Disponível no sabor chocolate. Este suplemente é ideal para complementar uma dieta leve, para preparar, basta misturar 6 colheres medidoras com 195 ml de água, misturar bem e consumir imediatamente.

A melhor opção de proteína em pó

A proteína do soro de leite (whey) em pó é uma ótima opção para complementar a ingestão diária de proteínas. No sabor baunilha, pode ser preparado sozinho ou com outras frutas e preparações. Possui 30 g das melhores proteínas por porção e é baixo em carboidratos.

A melhor opção de proteína vegana

Proteína vegana, feita com base da proteína da amêndoa e da ervilha, com vitaminas e minerais em sua melhor forma, para melhor absorção do organismo. Cada porção oferece 22 g de proteínas. Uma ótima opção para veganos ou não veganos, já que enriquece a dieta de uma forma saudável e muito prática. Para consumir, basta misturar uma dose em um copo de água, misturar bem até a completa absorção e consumir imediatamente.

Tudo que você precisa saber sobre a dieta leve

Não existe apenas uma dieta leve, mas suas características variam de acordo com a doença, o sintoma ou a situação que motivou sua indicação. Nesta seção, vamos falar sobre os tipos de dieta leve, os alimentos que a integram e como realizá-la adequadamente para que não ocorram deficiências nutricionais.

a happy couple

A dieta leve tem como objetivo oferecer alimentos que sejam fáceis de digerir, e não exijam muito trabalho por parte do estômago e intestino. Também pode ser destinada à facilitar a mastigação. (Fonte: Shironosov: 37750617 / 123rf.com)

O que é exatamente a dieta leve?

O conceito médico-nutricional de uma dieta leve não se refere à uma alimentação fácil de mastigar e "leve" no sentido literal da palavra. Na verdade, esta dieta é realizada para suavizar o estômago e intestino, diminuindo o trabalho digestivo.

Também é chamada de dieta de proteção gástrica (1). Muitas pessoas a confundem com uma alimentação de fácil mastigação, neste artigo vamos abordar a dieta leve com ambas abordagens.

Com a "dieta leve mecânica" nos referimos aquela que exige pouca ou nenhuma mastigação, enquanto a expressão "dieta leve" expressará a dieta de fácil digestão (2).

Giuseppe RussolilloPresidente da Academia Espanhola de Nutrição
"A dieta leve é indicada para favorecer digestões leves em situações que você quer promover um repouso a nível intestinal ou para momentos em que é impossível mastigar, por alguma intervenção maxilofacial."

Qual é a diferença entre a dieta leve mecânica e a dieta leve de proteção gástrica?

A dieta leve mecânica é aquela desenvolvida para facilitar a mastigação. A diferença básica com uma dieta normal é que sua textura e consistência foram modificadas para que a alimentação exija o mínimo possível de mastigação.

Nesta dieta, são utilizadas preparações em purê, pastas, smoothies, carne moída, mingaus, cremes, entre outros (1, 2).

A dieta leve de proteção gástrica/intestinal tem como objetivo reduzir o trabalho digestivo e, por isso, são incluídos alimentos de fácil digestão, que não necessariamente exigem pouca mastigação.

Por exemplo, o biscoito é um alimento típico deste tipo de dieta e sua consistência é dura e seca (1, 2).

Na dieta leve para facilitar a digestão os vegetais fibrosos, carnes com muito tecido conjuntivo e temperos são restringidos, porque estimulam o trabalho digestivo. Também é importante evitar temperaturas muito quentes ou muito frias, e que o volume das refeições seja pequeno (3).

Em quais situações a dieta leve é indicada?

Existem muitas situações em que um profissional da nutrição indica uma dieta leve, seja de fácil mastigação ou digestão. Muitas vezes, a dieta leve é utilizada com uma transição entre a dieta líquida e a normal.

As indicações terapêuticas podem ser observadas na seguinte tabela (1, 2):

Indicações da dieta leve mecânica (fácil mastigação) Indicações da dieta leve de proteção gástrica/intestinal
Problemas mastigatórios (doenças dentais, idosos).
Estenose esofágica (estreitamento do esôfago).
Acalasia (dificuldade para que os alimentos desçam pelo esôfago até o estômago).
Cirurgia oral e esofágica.
Aftas, feridas e úlceras orais.
Gastrite.
Diarreia.
Úlceras gástricas e duodenais.
Gastroenterite.
Transição entre a dieta líquida completa e a dieta normal após uma cirurgia.
Cólon irritável (Síndrome do intestino irritável).

Cabe mencionar que a dieta leve para gastrite pode diferenciar em alguns aspectos da dieta leve para diarreia, como o uso do leite. Enquanto a caseína do leite pode aliviar os sintomas da gastrite, a lactose deste alimento muitas vezes não é tolerada na diarreia (3).

Quais alimentos fazem parte da dieta leve?

Na dieta leve mecânica, todos os alimentos são permitidos, sempre que estiverem triturados, ralados ou transformados em purê. Nesta dieta, não são limitados os temperos, nem os vegetais fibrosos.

Se houver aftas, feridas ou úlceras na boca, é melhor evitar os produtos picantes e alimentos ácidos, porque podem provocar dor.

A dieta leve de fácil mastigação inclui líquidos, sempre que sejam bem tolerados pela pessoa. É importante retirar a pele e sementes das frutas e vegetais, bem como evitar sopas e caldos com pedaços de vegetais, porque podem causar problemas ao engolir (1, 2, 5).

Na dieta leve de proteção gástrica, a escolha alimentar é mais precisa e os alimentos fibrosos, ricos em tecidos conjuntivos, picantes, fritos e altos em gorduras são limitados.

Abaixo, vamos mostrar os alimentos recomendados e desaconselhados para a dieta leve de fácil digestão (1, 3):

Alimentos permitidos Alimentos que devem ser evitados
Lácteos Leite sem lactose (principalmente na dieta leve para diarreia), iogurte desnatado, queijos frescos, ricota magra. Os veganos podem optar por leite de aveia, arroz ou amêndoas. Leite com lactose, queijos curados, queijos de alta maturação. Evitar leite de soja e coco.
Carnes e frios Peixes com pouca gordura (brancos), aves sem pele (preferencialmente peito de frango e peru). Quantidades moderadas de presunto. Carnes vermelhas duras e fibrosas (com muito tecido conjuntivo) e embutidos.
Substitutos de carne para veganos e vegetarianos Tofu (sem muitos temperos), seitan. -
Ovo Primeiro é indicada a clara e, se bem tolerada, a gema também pode ser incluída. Evitar ovo frito ou preparado com gordura.
Vegetais e hortaliças Abóbora, batata, cenoura, polpa de abobrinha, polpa de tomate (sem pele e sementes). Cozidos e triturados, em purê ou pedaços pequenos. Podem ser cozidas, no vapor ou no forno. Os caldos e sopas de vegetais devem ser caseiros, já que os comerciais são altos em sódio e gorduras. Evitar vegetais crus em geral. Não consumir crucíferas (couve flor, brócolis, rabanete), nem aliáceos (cebola, alho, alho-poró). Os vegetais folhosos (espinafre, acelga, aipo, rúcula ou alface) também não são indicados.
Frutas Sem casca e sementes, cozidas (assadas ou cozidas com água), raladas, batidas ou em purê. Banana, maçã, pera madura, damasco e pêssego são as frutas mais indicadas. Evite frutas cítricas: morango, kiwi e outras ricas em fibras. As frutas desidratas e oleaginosas não são indicadas, por conter muitas fibras.
Cereais Arroz decorticado (não integral), macarrão fino, pão branco, bolachas salgadas tipo crackers, biscoitos com pouca gordura, flocos de milho sem açúcar. Os pães, biscoitos integrais, aveia e granola são restritos. As bolachas recheadas também não são indicadas.
Açúcares São permitidas pequenas quantidades de açúcar refinado e doces. Evitar o excesso de açúcar, marmeladas e doces compactos.
Bebidas Água sem gás, caldos de frutas caseiros, chás. Álcool, café, chá muito concentrado, sucos comerciais e bebidas com gás não são permitidas.
Temperos Noz moscada e orégano podem ter boa tolerância. Sal com moderação. Evitar os picantes (pimentas e pimentão) porque são estimulantes a nível de estômago e intestino.

Como é um menu típico da dieta leve?

O menu para a dieta leve mecânica é diferente da dieta leve de fácil digestão, não apenas na textura e consistência, mas também na escolha dos tipos de alimentos e condimentos. Na seguinte tabela, vamos comparar os menus para a dieta leve (1, 3):

Dieta leve mecânica (fácil mastigação) Dieta leve de fácil digestão
Café da manhã Iogurte (integral ou desnatado, de acordo com a preferência).
Banana amassada.
Pasta de amendoim.
Iogurte desnatado.
Flocos de milho sem açúcar.
Maçã assada no forno (sem casca).
Almoço Sopa de legumes.
Peixe branco assado.
Suflê de abóbora.
Sobremesa: pudim.
Caldo de vegetais, sem gordura e caseiro.
Peito de frango grelhado.
Purê de batata e abóbora.
Sobremesa: gelatina sem açúcar.
Lanche Vitamina de banana, morango e laranja.
Ovos mexidos.
Abacate amassado, temperado com sal, pimenta e suco de limão.
Leite sem lactose com chá claro.
Pão torrado com queijo fresco.
Jantar Almôndegas cozidas com molho de tomate.
Purê de brócolis.
Sobremesa: pera em calda.
Peixe assado.
Arroz branco.
Sobremesa: purê de maçã e pera.

Durante quanto tempo é necessário realizar a dieta leve?

Quando a dieta leve mecânica é indicada após a extração de um dente, sua duração é de 1 a 2 dias. Para a dieta leve de fácil digestão, nos casos de diarreia, gastrite ou transição para uma dieta normal após uma cirurgia, sua duração varia entre 3 e 7 dias. Porém, em algumas situações a dieta leve pode durar mais tempo.

Dicas para fazer corretamente uma dieta leve

Quando a dieta leve dura apenas alguns dias, as carências nutricionais não são comuns. No entanto, a medida que a dieta é estendida, a falta de alguns nutrientes passa a ser uma ameaça, especialmente em relação às vitaminas, proteínas e minerais. Siga estas dicas para preservar seu estado nutricional:

Consulte um nutricionista

Ninguém procura um nutricionista para tratar uma diarreia ou para acalmar uma acidez estomacal após algum excesso. Porém, quando existe uma doença ou algum problema que faça com que a dieta leve se prolongue, é importante consultar um nutricionista.

O especialista, além de elaborar um plano alimentar nutritivo, também pode adequar a dieta leve à outras condições que podem coexistir com o problema mastigatório ou digestivo, como diabetes, hipertensão ou outros problemas.

a healthy soup

Os alimentos, a consistência, temperatura, sabor e textura na dieta leve variam de acordo com a indicação. (Fonte: Gayvoronskaya: 98256362 / 123rf.com)

Considere os suplementos

Os problemas mastigatórios em idosos muitas vezes coexistem com a perda de apetite. Nestes casos, é difícil fornecer todas as calorias e proteínas necessárias através dos alimentos comuns. Os suplementos proteicos são ótimos reforços, seja em líquido ou pó (6).

O Whey Protein e os suplementos proteicos vegetais podem enriquecer a dieta das pessoas que foram submetidas à intervenções buco maxilares complexas e estejam fazendo uma dieta leve. Os nutrientes oferecidos são ideais para complementar a dieta leve (7, 8).

Evite a monotonia alimentar

A monotonia alimentar é inimiga do apetite. Se a dieta leve durar apenas dois ou três dias, não será um problema. Porém, se for uma dieta por problemas mastigatórios ou digestivos e for preciso fazer por mais tempo, é importante prevenir a monotonia alimentar.

As dietas muito restritas, rígidas e pouco estimulantes para o apetite fazem com que as pessoas consumam cada vez menos alimentos. Considere os gostos, momentos de apetite e tamanho das porções para seguir uma dieta leve (ou qualquer outra) (9).

girl cutting some vegetables

A dieta leve de fácil mastigação inclui alimentos líquidos, sempre que forem bem tolerados pela pessoa. (Fonte: Dolgachov: 53890486 / 123rf.com)

Cuide da apresentação das refeições

Na dieta leve mecânica para facilitar a mastigação, todas as preparações devem ter uma consistência e textura similar: purê, triturada, moída, amassada ou em vitamina. A apresentação pouco atrativa é outro fator que impacta negativamente no apetite.

Existem moldes que podem ser usados para dar forma aos purês e mingaus, ou podem ser feitos desenhos no prato. Misturar cores também é uma boa estratégia para melhorar a apresentação dos alimentos. Cozinhar no forno ou grelhar também pode ser melhor que cozinhar os alimentos.

Monitore a temperatura e o fracionamento das porções

Na dieta leve para facilitar a mastigação, são permitidas todas as temperaturas: frias, quentes e mornas.

Por outro lado, na dieta leve de proteção gástrica e intestinal é recomendado consumir os alimentos mornos, já que temperaturas quentes estimulam a secreção dos sucos gástricos e as frias exercem um efeito laxante no intestino (3).

O fracionamento das refeições é uma característica comum na dieta leve mecânica e de proteção gástrica. Algumas pessoas toleram bem quatro refeições ao dia, mas para outras pode ser necessário fracionar mais (1, 2, 3).

Resumo

Todo mundo já realizou a dieta leve alguma vez, principalmente para facilitar a digestão diante de uma gastrite ou diarreia, na maioria das vezes esta dieta é implementada com um menu muito limitado: frango, arroz e purê. Esta monotonia alimentar pode ser um problema quando a dieta leve deve ser mantida por mais dias.

A variedade de alimentos, os volumes reduzidos, as temperaturas adequadas e o uso de apresentações e técnicas de cozimento que estimulem o apetite são ferramentas para ter sucesso na implementação de uma dieta leve. Os suplementos de proteína, os eletrólitos e as vitaminas reforçam a ingestão de nutrientes nesta dieta terapêutica.

Se você gostou do nosso guia sobre a dieta leve, deixe um comentário para nós ou compartilhe em suas redes sociais!

(Fonte da imagem destacada: Jahmaica: 46731671 / 123rf.com)

Por que você pode confiar em nós?

Resenhas