girl with stomachache
Ultima atualização: 26 de agosto de 2020

Como escolhemos

17Produtos analisados

29Horas investidas

14Estudos avaliados

135Comentários coletados

Todo mundo já sentiu algum tipo de dor abdominal pelo menos uma vez na vida, seja por um jantar mais pesado ou até por algum problema emocional. O abdômen poderia até ter uma boca, pois costuma se expressar quando algo está errado.

A cavidade abdominal é considerada uma “caixa de Pandora” no mundo médico, já que abriga cerca de 100 milhões de neurônios em aproximadamente 12 metros de trato digestivo e múltiplos órgãos. Estes neurônios são capazes de aprender e regular os ciclos de fome e saciedade, além de expressar a dor de formas únicas e em alguns casos inesperados.

Se você quer conhecer um pouco mais sobre tudo que o seu abdômen abriga e como as dores podem se manifestar, continue lendo!

O mais importante

  • A dor abdominal é um dos motivos mais comuns de consultas médicas, principalmente em crianças e mulheres grávidas.
  • Existem muitas causas de dor abdominal, entre elas as úlceras estomacais ou intestinais, o refluxo gastroesofágico, apendicite, problemas digestivos e também problemas cardíacos e pulmonares.
  • Os antiácidos e os probióticos são suplementos relativamente seguros que podem ser utilizados para diminuir os sintomas gastrointestinais e, inclusive, fazer parte do tratamento.

Os melhores produtos para a dor abdominal

A dor abdominal é um sintoma muito complexo. Se for um problema recorrente, será necessário um diagnóstico médico apropriado e a indicação de tratamentos para sua solução. Existem muitos produtos no mercado que podem te ajudar nestes casos. Por isso, selecionamos os melhores suplementos para o seu bem estar.

Os melhores probióticos para a flora intestinal

O probiótico da Puritan’s Pride é um grande aliado para manutenção da flora intestinal, ajuda a manter a saúde do intestino e favorece a absorção de nutrientes. O intestino que mantém em dia o sistema imunológico, o que previne muitos outros problemas. A dose recomendada é de 2 cápsulas ao dia.

As melhores enzimas digestivas para aliviar a indigestão

As enzimas digestivas da Now Foods são veganas e recomendadas para melhorar a digestão de produtos lácteos, fibras, carboidratos, proteínas e gorduras. Desta forma, combate o desconforto abdominal e também otimizam a absorção de nutrientes pelo organismo. A dose recomendada é de 1 cápsula ao dia. Tem um bom custo benefício, tendo em vista que melhoram o bem estar geral.

O melhor suplemento de psyllium

Este psyllium da Unilife é vegano e rico em fibras solúveis. Auxilia na redução da absorção de gordura no organismo e auxilia no funcionamento intestinal. O suplemento ajuda a diminuir desconfortos gastrointestinais, inchaços e gases. Disponível em uma embalagem com 120 cápsulas.

Tudo que você precisa saber sobre a dor abdominal

A dor abdominal é uma sensação desagradável que, felizmente, costuma se resolver sozinha na maioria das vezes. A causa mais frequente para este tipo de desconforto é a digestão pesada, que pode ser aliviada com o uso de medicamentos de venda livre ao público geral. É importante estar atendo para reconhecer os problemas mais graves que exigem atenção médica urgente.

menina com dor abdominal

Existem muitas causas de dor abdominal, entre elas as úlceras estomacais ou intestinais, o refluxo gastroesofágico, apendicite, problemas digestivos e também problemas cardíacos e pulmonares. (Fonte: Belchonock: 97251185 / 123rf.com)

O que é a dor abdominal?

O abdômen é a região que se estende desde a parte inferior das costelas até a pélvis. Nesta área, estão localizados muitos órgãos, como o estômago, fígado, baço, pâncreas, intestino delgado e grosso, rins e ovários nas mulheres.

A dor abdominal é a sensação desagradável nesta área que pode atingir qualquer um dos órgãos citados ou, inclusive, ter origem em infecções cardíacas ou pulmonares. Uma das curiosidades deste sintoma é que nem sempre dói onde está o problema.

Em alguns casos, como na inflamação do apêndice ou apendicite (que fica embaixo do abdômen), a dor pode se apresentar na “boca do estômago” (1). Por este motivo, é importante estar sempre atento aos sinais e sintomas que iremos mostrar neste artigo.

Arlene WrightEnfermeira

“No caso de dor abdominal, é necessário procurar os sinais de alerta. Existe uma perca repentina de peso? Perda de apetite? Existe diarreia com sangue? Todos esses sintomas são importantes e exigem cuidado médico.”

Quais são as causas mais frequentes de dor abdominal?

A dor abdominal pode ser causada por muitas condições diferentes. É fácil confundir a origem dos sintomas, já que existem muitos órgãos nesta área que se conectam entre si e com o restante do corpo por meio de múltiplas terminações nervosas.

Esta dor pode ser de curta duração (aguda) ou durar meses e anos (crônica). As causas mais frequentes da dor abdominal são as seguintes (1, 2, 3, 4):

  • Causas estomacais: acidez, úlceras (feridas no interior do estômago), refluxo gastroesofágico (“acidez de estômago”) ou gastrite.
  • Causas intestinais: constipação, diarreia, apendicite, síndrome do intestino irritável, doença celíaca, infecções virais, bacterianas ou parasitárias.
  • Causas extra-abdominais: isquemia miocárdica (diminuição do fluxo sanguíneo para o coração) ou pneumonia (5).
  • Causas renais: infecções ou cálculos (“pedras nos rins”).
  • Outras causas: problemas com a gravidez, infecções no fígado, baço ou pâncreas, rupturas musculares ou outras doenças graves (como tumores).

Quais são os tipos de dor abdominal?

A dor abdominal pode ser descrita de acordo com a localização e suas características.

Localização (5):

  • Dor abdominal localizada: está limitada a uma área específica e sua localização pode ser identificada com o dedo. Pode ser causada por úlceras estomacais ou apendicite.
  • Dor abdominal difusa: este tipo de dor é difícil de localizar com o dedo. Você pode sentir de forma geral em todo o abdômen e, inclusive, em outras partes do corpo. Sua origem pode ser de infecções do aparelho digestivo, infecções urinárias ou obstrução intestinal.

Características (5):

  • Dor tipo cólica: esta dor geralmente é descrita como um desconforto inespecífico, que aumenta e diminui de intensidade com “ondas”. Frequentemente relacionada com dores menstruais ou dores na vesícula biliar.
  • Dor ardente (queimação): pode ser como uma chama ou uma dor corrosiva. É frequente em úlceras e acidez estomacal.
  • Dor tipo “facadas”: é caracterizada por uma dor aguda, localizada e muito agravante. É comum em rupturas musculares.
menina bebendo água

Beba pelo menos dois litros de água por dia e faça exercícios pelo menos por 30 minutos por dia, 3 vezes na semana. (Fonte: Tidty: 96232830 / 123rf.com)

A flora intestinal pode ser responsável pela dor abdominal?

Em poucas palavras: sim. As bactérias intestinais vivem em um delicado equilíbrio com o corpo, chamado “mutualismo”. Nesta relação, o corpo recebe muitos benefícios destes micro-organismos, proteção contra infecções, digestão de alimentos, entre outros.

As bactérias intestinais vivem em equilíbrio com o corpo.

Em troca, o corpo oferece uma casa e alimento. A “quebra” deste equilíbrio pode causar muitas doenças, como diarreia, constipação, inchaço abdominal e infecções. Muitos destes problemas vão se manifestar como dor abdominal. Para evitar isso, é importante cuidar do intestino.

O que fazer para prevenir a dor abdominal?

Embora não possamos prevenir todas as causas da dor abdominal, existem algumas muito recorrentes como a acidez estomacal, inchaço abdominal, constipação ou diarreia que podem sim ser prevenidos. Para isso, não esqueça do seguinte (6):

  1. Coma alimentos ricos em fibras.
  2. Evite os alimentos fritos, processados ou que contenham açúcar refinado.
  3. Beba água o suficiente (cerca de dois litros por dia, incluindo sopas, chás e alimentos ricos em água).
  4. Evite os refrigerantes.
  5. Lave bem os alimentos e suas mãos antes de comer.
  6. Faça exercícios pelo menos por 30 minutos ao dia, 3 vezes na semana.
  7. Se você sofre com estresse ou ansiedade, tente meditar ou realizar atividades relaxantes.

Posso aliviar a dor abdominal em casa?

Levando em consideração que você não está apresentando nenhum dos sinais de alerta mencionados, você pode tentar aliviar as dores abdominais na sua própria casa fazendo o seguinte (7):

  1. Se você vomitou, é recomendado esperar uma hora antes de ingerir sólidos ou líquidos. Depois desse tempo, tente ingerir pequenas quantidades de líquidos a cada 10-15 minutos.
  2. Beba muita água para se manter hidratado.
  3. Se a dor abdominal ocorre depois de comer, você pode utilizar antiácidos sobre supervisão médica.
  4. Evite alimentos cítricos, gordurosos ou fritos, cafeína e álcool.
  5. Faça refeições menores (5 ou 6 ao dia). Evite consumir grandes porções em uma só refeição.

O que não fazer ao sentir uma dor abdominal intensa?

Você nunca deve se automedicar com analgésicos quando estiver com alguma dor abdominal intensa. A dor, por mais desconfortável que seja, é uma advertência de que algo está acontecendo e se você “maquiar” ao invés de procurar um médico, pode correr riscos.

Este pode ser o caso da apendicite, onde a automedicação demonstrou atrasar seu diagnóstico e aumentar suas complicações (8).

Sinais de alerta: Quando procurar um médico?

As dores abdominais, em geral, são frequentes, passageiras e inofensivas. Como diferenciar a dor inofensiva da dor que pode colocar a saúde em risco? Com tantos órgãos e sistemas no abdômen, isso pode ser complicado.

Mas, não se preocupe. Vamos simplificar para você, basta responder algumas perguntas:

  • A dor é intensa e não deixa você realizar suas atividades diárias?
  • Você tem febre acima de 37,7ºC?
  • Você defecou ou vomitou sangue?
  • Você perdeu peso de forma inexplicável?
  • Você tem náuseas e vômitos persistentes?
  • Você teve diarreia por mais de 5 dias?
  • Já passou mais de uma semana desde o início da dor?
  • Você está em tratamento para câncer?

Se você respondeu sim para qualquer uma destas perguntas, é hora de procurar um médico.

lavando os tomates

Lave bem os alimentos e mãos antes de comer. (Fonte: Undrey: 93397559 / 123rf.com)

Dores abdominais na gravidez: Tudo que você precisa saber

As dores abdominais fazem parte da gravidez. Isso ocorre porque o corpo está acomodando uma nova vida, capaz de fazer uma completa “remodelação” de todos os órgãos e hormônios para que o bebê cresça à vontade (9).

As causas mais comuns da dor abdominal da gravidez são:

  • Gases e constipação: são comuns nesta etapa pelas mudanças hormonais que atrasam o trânsito gastrointestinal.
  • Acidez estomacal: como os hormônios relaxam a musculatura do esôfago e o bebê pode comprimir o estômago, os ácidos estomacais sobem e causam desconfortos.
  • Contrações de Braxton Hicks: também chamadas de “contrações de treinamento”, pode ser uma grande causa de confusão e preparação, já que são facilmente confundidas com o início do trabalho de parto. Na seguinte tabela vamos explicar como diferenciá-las:
Características Contrações Braxton Hicks Trabalho de parto
Intervalos Irregulares Regulares: a cada 2 a 3 minutos
Duração Menos de um minuto e meio De 90 a 120 segundos
Intensidade Leve (causam desconforto)
Não aumentam em intensidade
Elevada (causam dor)
Aumentam em intensidade
Outras características Geralmente ocorrem no fim do dia ou depois de esforços físicos São acompanhados de aumento do fluxo vaginal
Pode ocorrer a perda do tampão mucoso (vedação que mantém o colo do útero úmido e protegido)

Outras causas importantes da dor abdominal são as infecções urinárias, gravidez ectópicas (gestação que ocorre fora do útero) ou problemas durante a gravidez. Estes problemas exigem uma consulta imediata ao médico.

Como perceber se há algo de errado?

Se você está grávida, preste atenção aos sinais de alerta que vamos mencionar abaixo (10):

  • Dor persistente ou severa;
  • Febre e/ou calafrios;
  • Sangramento vaginal;
  • Corrimento vaginal intenso; 
  • Náuseas e/ou vômitos;
  • Ausência e/ou diminuição acentuada dos movimentos fetais;
  • Fraqueza.

Se você apresentar qualquer destes sinais ou sintomas, não deixe de procurar imediatamente seu médico.

Dores abdominais em crianças: Tudo que você precisa saber

As dores abdominais em crianças podem ser uma fonte de angústia. Esta é uma das principais causas de consultas ao pediatra (11). Aqui vamos dizer o que você precisa saber sobre as dores abdominais nas crianças para que você saiba quando procurar ajuda.

Principais causas de dor abdominal em crianças:

  • Problemas do aparelho digestivo (constipação, diarreia ou apendicite);
  • Infecções (urinárias, do trato digestivo, ou aparelho reprodutor);
  • Problemas relacionados com os alimentos (intolerâncias alimentares ou consumo de grandes quantidades de comida);
  • Cólicas menstruais.

Dependendo da idade da criança, os sintomas das doenças abdominais podem variar. Você deve observar os seguintes sinais de alerta na criança, se apresentar dores abdominais, ou em bebês, se estiverem muito irritados e rejeitando comida (12):

  • Febre e/ou calafrios;
  • Palidez e/ou suores;
  • Vômito e/ou diarreia com mais de 24 horas de duração;
  • Dor abdominal severa;
  • Sangue no vômito ou fezes;
  • A criança dorme mais do que o normal ou parece estar com sono;
  • Aparecem sinais de desidratação, como secura nos olhos, lábios e língua ou diminuição na produção de urina (em bebês: umedecem menos de 4 fraldas por dia).

Ao apresentar qualquer um destes sinais de alerta, você deve procurar imediatamente um pediatra, que te dará instruções apropriadas para cada caso.

grupo de pessoas meditando

Se você sofre com estresse ou ansiedade, tente meditar ou realizar atividades relaxantes. (Fonte: Davydov: 95044568 / 123rf.com)

Critérios de compra

Você quer um bom produto para aliviar a dor abdominal e não sabe por onde começar? Não tem problema! Aqui você vai encontrar tudo que precisa saber para escolher o melhor produto para você sem as intermináveis horas de pesquisa!

Principais características

Existem muitos produtos que não precisam de receita médica para o tratamento dos desconfortos abdominais. Os mais populares podem ser divididos em três grupos: antiácidos, enzimas digestivas e suplementos probióticos.

Consulte o seguinte quadro para ter uma ideia esquemática das diferentes características de cada produto:

Tipo de produto Ação Apresentação Precauções
Antiácidos Neutraliza a acidez estomacal Comprimidos mastigáveis
Tabletes
Cápsulas
Não deve ser administrado por tempo prolongado
Enzimas digestivas Facilitam a digestão de alimentos e nutrientes Comprimidos mastigáveis
Tabletes
Cápsulas
Sensibilidade aos componentes
Problemas no fígado e rins
Probióticos Suplementos que contém bactérias benéficas para a saúde Cápsulas
Injeções
Sachês em pó
Ler as instruções de conservação
Uso limitado por pessoas com problemas do sistema imune (HIV, lúpus, câncer)

Leia muito bem a bula de cada produto para observar as informações sobre precauções, prevenção e interações com outros medicamentos.

Produtos aptos para veganos

Se você é um seguidor da dieta vegana, é fundamental prestar atenção nos ingredientes dos suplementos para dor abdominal. Só assim você vai conseguir descartar os produtos que utilizam produtos animais na fabricação (13).

Estas são algumas dicas gerais para seguir e conseguir escolher corretamente produtos veganos:

  • Procure selos de certificação;
  • Revise a lista de ingredientes;
  • Se o produto for adoçado, verifique se não utiliza mel;
  • Caso fique com dúvidas, entre em contato com o fabricante.
dor abdominal

Os antiácidos e os probióticos são suplementos relativamente seguros que podem ser utilizados para diminuir os sintomas gastrointestinais e também fazer parte do tratamento. (Fonte: Koch: 36438536 / 123rf.com)

Produtos aptos para celíacos

Evite medicamentos que contenham trigo, cevada, espelta, centeio, aveia e triticale. O amido é um componente importante na fabricação dos medicamentos (principalmente comprimidos e cápsulas).

Geralmente, o amido é extraído do trigo (não apto para celíacos), milho, batata ou arroz (aptos para celíacos). Todos os suplementos devem incluir a informação se contém glúten na composição, sempre verifique a embalagem (14).

Dr. Jay PasrichaProfessor de medicina e neurociência

“Por décadas, os médicos pensaram que a ansiedade e depressão agravavam a síndrome do intestino irritável, mas alguns estudos mostraram o contrário. Isso explica o motivo pelo qual pessoas com esta doença e outros problemas intestinais desenvolverão ansiedade e depressão no futuro.”

Populações especiais: Mulheres grávidas e crianças

Apesar de que no mercado online existam suplementos aptos para mulheres grávidas e também para crianças, a dor abdominal nunca deve ser medicada sem a aprovação e supervisão do médico ou pediatra, principalmente nessa população.

Resumo

O abdômen contém um ecossistema e sistema nervoso próprios que o diferencia de outras cavidades do corpo humano. Graças a todas as suas conexões nervosas, é capaz de expressar as dores de muitas formas. Por este motivo, é muito importante saber o que está provocando dores e como elas podem ser expressadas.

Os produtos que você pode encontrar online podem ser muito efetivos diante de algumas causas da dor abdominal como a diarreia, constipação, inchaço abdominal ou acidez estomacal. Apesar disso, é importante reconhecer quando é necessário procurar ajuda médica, já que a dor abdominal pode ter consequências graves se você não prestar a atenção necessária. Sua saúde em primeiro lugar!

Se você gostou deste artigo sobre a dor abdominal e quer saber mais sobre saúde e bem estar, deixe um comentário para nós e não esqueça de compartilhar este artigo!

(Fonte da imagem destacada: Belchonock: 97160154 / 123rf.com)

Referências (14)

1. Miguel M. Menchu C. Dolor abdominal agudo [Internet]. Unidad de Gastroenterología y Hepatología. Hospital San Jorge. Huesca. [Consultado em 27 de Maio de 2020].
Fonte

2. Mayo Clinic. Dolor abdominal [Internet]. Mayoclinic.org. 2019. [Consultado em 27 de Maio de 2020]
Fonte

3. Dolor abdominal crónico [Internet]. Guías de actuación conjunta Pediatría Primaria-Especializada. 2017. [Consultado em 27 de Maio de 2020].
Fonte

4. Dolor abdominal [Internet]. Medlineplus.gov. 2018 [Consultado em 27 de Maio de 2020].
Fonte

5. Dolor abdominal [Internet]. Empendium.com. [Consultado em 29 de Maio de 2020].
Fonte

6. Minesh K. How Can I Prevent Belly Pain? [Internet]. Webmd.com. 2019. [Consultado em 29 de Maio de 2020].
Fonte

7. Fisterra. Dolor abdominal agudo [Internet]. Centro de Salud Pavones. Servicio Madrileño de Salud. Madrid. España.
Fonte

8. Jose V., Fernando R., Jesús V. Premedicación, factor de retraso en el diagnóstico y tratamiento quieúrguco de la apendicitis aguda. [Internet]. Cirujano General Vol. 31. 2009. [Consultado em 28 de Maio de 2020].
Fonte

9. Mitchell C. Abdominal pain during pregnancy [Internet]. Gastroenterol Clin N Am. 2003. [Consultado em 28 de Maio de 2020].
Fonte

10. Stomach Pain in Pregnancy [Internet]. American Pregnancy Association. [Consultado em 29 de Maio de 2020].
Fonte

11. Lora G. Dolor abdominal agudo en la infancia [Internet]. pediatriaintegral.es. 2014. [Consultado em 28 de Maio de 2020].
Fonte

12. Abdominal pain in children [Internet]. betterhealth.vic.gov.au. 2013. [Consultado em 29 de Maio de 2020].
Fonte

13. DEAVEGANA. Guía vegana: cómo leer las etiquetas de productos y alimentos [Internet]. Ideavegana.com 2018 [Consultado em 13 de Maio de 2020].
Fonte

14. Maria R. Cómo saber si un medicamento tiene gluten [Internet]. Real E Ilustre Colegio de Farmacéuticos de Sevilla. 2015 [Consultado em 13 de Maio de 2020].
Fonte

Por que você pode confiar em nós?

Angélica Collado Formada em Medicina
O objetivo de Angélica é seguir sua evolução constante no universo da saúde. Apaixonada por encontrar novas e melhores maneiras de aproveitar uma vida saudável e de aliviar as dores das pessoas,
Redatora do Saudável&Forte, Luiza pesquisa com muito cuidado e auxiliar na redação e edição de artigos relevantes que envolvem um dos temas que mais lhe interessam: o universo da suplementação.
Guia médico
Miguel M. Menchu C. Dolor abdominal agudo [Internet]. Unidad de Gastroenterología y Hepatología. Hospital San Jorge. Huesca. [Consultado em 27 de Maio de 2020].
Ir para a fonte
Site oficial
Mayo Clinic. Dolor abdominal [Internet]. Mayoclinic.org. 2019. [Consultado em 27 de Maio de 2020]
Ir para a fonte
Guia médico
Dolor abdominal crónico [Internet]. Guías de actuación conjunta Pediatría Primaria-Especializada. 2017. [Consultado em 27 de Maio de 2020].
Ir para a fonte
Site oficial
Dolor abdominal [Internet]. Medlineplus.gov. 2018 [Consultado em 27 de Maio de 2020].
Ir para a fonte
Artigo científico
Dolor abdominal [Internet]. Empendium.com. [Consultado em 29 de Maio de 2020].
Ir para a fonte
Site oficial
Minesh K. How Can I Prevent Belly Pain? [Internet]. Webmd.com. 2019. [Consultado em 29 de Maio de 2020].
Ir para a fonte
Guia Médico
Fisterra. Dolor abdominal agudo [Internet]. Centro de Salud Pavones. Servicio Madrileño de Salud. Madrid. España.
Ir para a fonte
Artigo científico
Jose V., Fernando R., Jesús V. Premedicación, factor de retraso en el diagnóstico y tratamiento quieúrguco de la apendicitis aguda. [Internet]. Cirujano General Vol. 31. 2009. [Consultado em 28 de Maio de 2020].
Ir para a fonte
Artigo científico
Mitchell C. Abdominal pain during pregnancy [Internet]. Gastroenterol Clin N Am. 2003. [Consultado em 28 de Maio de 2020].
Ir para a fonte
Site oficial - American Pregnancy Association
Stomach Pain in Pregnancy [Internet]. American Pregnancy Association. [Consultado em 29 de Maio de 2020].
Ir para a fonte
Guia médico
Lora G. Dolor abdominal agudo en la infancia [Internet]. pediatriaintegral.es. 2014. [Consultado em 28 de Maio de 2020].
Ir para a fonte
Site oficial
Abdominal pain in children [Internet]. betterhealth.vic.gov.au. 2013. [Consultado em 29 de Maio de 2020].
Ir para a fonte
Blog
DEAVEGANA. Guía vegana: cómo leer las etiquetas de productos y alimentos [Internet]. Ideavegana.com 2018 [Consultado em 13 de Maio de 2020].
Ir para a fonte
Site oficial - Colegio Farmacéutico de Sevilla
Maria R. Cómo saber si un medicamento tiene gluten [Internet]. Real E Ilustre Colegio de Farmacéuticos de Sevilla. 2015 [Consultado em 13 de Maio de 2020].
Ir para a fonte