frutas ricas em vitaminas c
Ultima atualização: 8 de setembro de 2020

Como escolhemos

25Produtos analisados

21Horas investidas

12Estudos avaliados

86Comentários coletados

É possível que algo “tão bom” como a vitamina C possa ser perigoso? Se você já observou as embalagens dos suplementos deste nutriente, terá percebido que uma dose elevada destes produtos pode causar problemas. Não há dúvidas que a vitamina C pode ser muito benéfica em algumas ocasiões, mas, devemos colocar limites neste antioxidante?

Seguir uma dieta rica em vitamina C irá proporcionar uma fonte de antioxidantes naturais e te ajudará a manter-se saudável. No entanto, a máxima “quanto mais, melhor” não pode ser aplicada aos suplementos desta vitamina. Estes produtos podem provocar um excesso de vitamina C capaz de prejudicar a saúde. Você quer saber como evitá-lo? Continue lendo!

O mais importante

  • A vitamina C é uma molécula que o corpo humano é capaz de eliminar com certa facilidade. Por este motivo, seu excesso não é considerado perigoso.
  • No entanto, se você utilizar suplementos com doses elevadas de vitamina C, pode sofrer mal estar intestinal, pedras nos rins, insônia, dor de cabeça e outros sintomas.
  • Se você quer evitar um excesso perigoso de vitamina C, deve limitar a dose desses complementos, conhecer perfeitamente suas indicações, não utilizar em pessoas sensíveis e consultar um médico diante de qualquer problema consequente da suplementação.

Evite o excesso de vitamina C: suplementos com doses moderadas

Você decidiu utilizar um suplemento de vitamina C? Os produtos que vamos mostrar abaixo vão ajudar a elevar seus níveis deste nutriente sem cair em excessos. Mas lembre-se de consultar seu médico antes de utilizar qualquer suplemento. Confira:

O melhor multivitamínico com vitamina C

Este multivitamínico fornece 100% da quantidade diária recomendada de vitamina C, cerca de 46 mcg. E além disso, fornece outras vitaminas e minerais muito importantes para o corpo humano. Este suplemento é ideal para não ingerir a vitamina C em excesso. Está disponível em uma embalagem com 90 cápsulas e a dose recomendada é de 3 cápsulas ao dia.

A melhor vitamina C com zinco

Este suplemento de vitamina C com zinco é ideal para um bom funcionamento do sistema imunológico, já que auxilia na formação de células defensivas no organismo. Com 1000 mg de ácido ascórbico e 7 mg de zinco, é comercializado em uma embalagem com 60 cápsulas e a dose recomendada por dia é de 2 cápsulas.

As melhores cápsulas de vitamina C

Este suplemento de vitamina C em cápsulas da Life Extension é de alta potência e facilmente absorvido pelo organismo. A vitamina C é um poderoso antioxidante que também auxilia na saúde imunológica, mantém o sistema cardiovascular saudável, a saúde do corpo todo e muitos outros benefícios. Em uma embalagem com 250 cápsulas vegetarianas, a dose recomendada é 1 cápsula ao dia.

A melhor opção de vitamina C em pastilhas efervescentes

Este suplemento de pastilhas efervescentes diluíveis em água da Biovita é composto por 1000 mcg de vitamina C, além de zinco, vitamina A, vitamina B6 e B12. É uma ótima opção para melhorar a imunidade de uma forma fácil de tomar, já que tem sabor de laranja. É vendida em um pacote de 2 unidades, com 16 pastilhas em cada embalagem. A dose recomenda é 1 pastilha ao dia.

Tudo que você precisa saber sobre o excesso de vitamina C

A vitamina C é uma molécula com baixa toxidade. Em geral, seu consumo é considerado seguro, inclusive em doses elevadas. No entanto, o uso indiscriminado deste suplemento pode acabar afetando o bem estar geral. O principal efeito colateral do excesso de vitamina C é o desconforto intestinal, mas podem surgir outros problemas de maior gravidade.

médico de saúde

A vitamina C é considerada segura, inclusive em doses elevadas. (Fonte: Milkos: 93443404 / 123rf.com)

Vitamina C: quanto mais, melhor?

A vitamina C (ácido ascórbico) é um nutriente reconhecido por suas propriedades antioxidantes. Esta molécula tem uma função essencial no corpo humano, regula dezenas de reações químicas que permitem que os tecidos se mantenham em bom estado, obtenham a energia dos alimentos e defenda o corpo contra doenças (1).

Manter os níveis adequados desta vitamina é de grande importância para a saúde. Atualmente, a Ingestão Diária Recomenda (IDR) pela ANVISA é de 45 mg para adultos saudáveis (2). A IDR norte americana é maior, aconselhando um consumo de 75-90 mg/dia (3).

Mas, o que acontece se excedemos a IDR? Uma alimentação rica em frutas e verduras frescas permite duplicar ou triplicar a ingestão recomendada desta vitamina, o que pode reduzir a probabilidade de algumas doenças graves sem gerar efeitos colaterais (4). Porém, em algumas ocasiões este excesso de vitaminas pode causar problemas.

Katherine ZeratskyEspecialista em Nutrição dos EUA

“Lembre-se que para a maioria das pessoas, uma dieta saudável proporciona uma quantidade adequada de vitamina C.”

O que pode provocar um excesso de vitamina C?

A vitamina C é um composto hidrossolúvel, ou seja, é dissolvida na água. Se você ingerir uma quantidade elevada desta vitamina, o corpo vai eliminar rapidamente através da urina. Por isso, é considerado muito difícil que ocorra uma “overdose de ácido ascórbico” que afete a saúde (3).

Os alimentos ricos em vitamina C podem elevar a ingestão de ácido ascórbico a 250 mg/dia sem causar efeitos colaterais. No entanto, se você obter a vitamina C exclusivamente de frutas ácidas como o limão, o esmalte dental pode ser danificado (5).

Por outro lado, os suplementos que oferecem uma dose elevada de ácido ascórbico podem causar um excesso desta vitamina. Estes produtos podem fornecer até 5000 mg/dia desta vitamina, colocando em prova a capacidade do corpo de eliminar o excesso.

Recomendamos que você não ultrapasse a IDR tolerável ao seu grupo populacional (3):

Grupo populacional Não ultrapassar
Bebês 1-3 anos 400 mg/dia
Crianças com 4-8 anos 650 mg/dia
Crianças 9-13 anos 1200 mg/dia
Jovens 14-18 anos 1800 mg/dia
Adultos maiores de 19 anos 2000 mg/dia

Quais são as consequências do excesso de vitamina C?

Tomar muitos suplementos de vitamina C (ou uma dose muito elevada) pode provocar, em um primeiro momento, desconforto no trato digestivo.

Muitas vezes, o excesso desta vitamina não é absorvido, mas ela permanece no intestino atuando como um “laxante” e dando lugar a diarreia, náuseas e dor no estômago (3).

Além disso, “exagerar” nos suplementos de ácido ascórbico pode provocar problemas mais graves em algumas pessoas (3, 6):

  • Se você tem tendência a sofrer pedras nos rins (nefrolitíase), o excesso de vitamina C pode causar recorrência nestes episódios tão dolorosos.
  • Se você tem hemocromatose (uma condição que faz com que o ferro da dieta se acumule e danifique seus tecidos), a vitamina C pode aumentar a absorção deste mineral e piorar seu problema.
  • Se você segue um tratamento farmacológico (especialmente medicamentos para normalizar os níveis de colesterol ou tratamentos oncológicos), os suplementos de vitamina C podem afetar a eficácia destes medicamentos.
  • Além disso, também foi vinculado o excesso de suplementos de vitamina C com o surgimento de sintomas “menos específicos”, como dor de cabeça e insônia. Se você começar a se sentir mal durante a suplementação com vitamina C, pare de tomar o suplemento e procure o seu médico.

Também tem sido estudado se o consumo de altas doses de suplementos de vitamina C pode ter um efeito contrário ao desejado.

Alguns especialistas acreditam que o uso irresponsável destes suplementos pode, paradoxalmente, chegar a “oxidar” os tecidos do corpo e aumentar a probabilidade de sofrer de doenças graves (como tumores ou problemas de coração) (7).

Outro “risco” atribuído ao consumo excessivo de vitamina C é a perda de outros nutrientes, como a vitamina B12 (8), um problema que pode prejudicar especialmente as crianças. Mais um motivo para não suplementar seus filhos se você não estiver seguindo as recomendações do pediatra!

cítricos ricos em vitamina c

O excesso de suplementos de vitamina C pode provocar dor abdominal. (Fonte: Rradub85: 38159335 / 123rf.com)

Como posso evitar o excesso de vitamina C?

O excesso de ácido ascórbico pode ser prejudicial para a saúde. No entanto, a falta de vitamina C pode colocar em risco o seu bem estar! Como mencionamos no nosso artigo sobre vitamina C, não contar com esta vitamina antioxidante no seu corpo pode causar muitos tipos de doenças.

Uma alimentação rica em vitamina C vai renovar suas reservas desta vitamina.

Então, como evitar a carência desta vitamina sem cair em excessos? Cuidando da sua dieta! Uma alimentação rica em produtos com vitamina C vai renovar suas reservas desta vitamina sem causar efeitos colaterais.

Além disso, também é recomendado evitar alguns hábitos que podem causar o “desperdício” do ácido ascórbico, como o cigarro, um produto tóxico que “gasta” esta vitamina (9).

É necessário que você conheça bem os suplementos de ácido ascórbico. Desta forma, se em algum momento você deseja ou precisa utilizar estes suplementos, pode fazer evitando colocar sua saúde em risco. Vamos dar todas as chaves sobre estes produtos na próxima seção!

Dr. Henry H. BernsteinProfessor de Pediatria em Harvard

“Quando uma criança toma muita vitamina C, seu corpo aprende a eliminar o excesso. Uma vez que você parar de dar os suplementos ao seu filho, o corpo dele pode continuar expulsando uma quantidade muito elevada desta vitamina, o deixando com níveis muito baixos de vitamina C.”

Os suplementos e o excesso de vitamina C: Nossas dicas

Você está pensando em começar a utilizar suplementos de vitamina C? Se você quer utilizar de forma segura, maximizando seus benefícios e minimizando o aparecimento de efeitos colaterais, não deixe de ler estas dicas práticas. Você também pode ler o nosso artigo sobre as propriedades da vitamina C para aprender um pouco mais a respeito desta vitamina.

Limite a dose

Alguns especialistas aconselham não ultrapassar a dose de 1 grama (1000 mg) de vitamina C ao dia. Exceder esta quantidade não é mais benéfico para o corpo e, além disso, aumenta a probabilidade de sofrer com os efeitos colaterais.

Nosso conselho é que você não tome mais do que 1000 mg/dia de suplementos de vitamina C, exceto se o seu médico ou outro especialista recomendar o contrário para você (10, 11).

Lembre-se que a dose “perfeita” de suplemento de vitamina C vai depender das suas características individuais, como o estado da sua saúde, seu peso e até sua dieta habitual.

Por este motivo, é melhor que você consulte seu médico para definir a quantidade de vitamina C que você deve consumir diariamente em forma de suplementos.

foco

Um estudo norte americano descobriu que se você consumir mais que 200 mg/dia de vitamina C, o corpo humano deixa de absorver de forma eficiente este nutriente, eliminando pela urina grandes quantidades de ácido ascórbico.

Conheça suas indicações

Você sabe quando deve utilizar os suplementos de vitamina C? Os especialistas não recomendam a suplementação em pessoas jovens e saudáveis sem justificativa.

Atualmente, a postura dos órgão oficiais é de recomendar estes produtos apenas nos casos de carência nutricional franca, que não pode ser solucionada através da dieta (3).

A utilidade da vitamina para reduzir a duração e intensidade de um resfriado comum está sendo estudada (12). Até que existam dados confiáveis que permitam analisar a utilidade destes suplementos para o resfriado, lembre-se que você não deve utilizar estes produtos como cura ou para prevenir alguma doença, nem como alternativa ao tratamento médico.

Cuide das pessoas mais frágeis

Lembre-se que os menores de idade não devem tomar suplementos sem a autorização de um profissional. Mesmo que você esteja querendo suplementar com vitamina C seu filho para “fortalecer suas defesas”, é muito melhor para as crianças manter uma dieta rica em frutas e verduras.

Da mesma forma, mulheres grávidas ou amamentado, idosos mais frágeis e pessoas com problemas crônicos de saúde (como hipertensão, diabetes ou problemas oncológicos) devem sempre consultar um médico antes de utilizar qualquer suplemento, até os de vitamina C. Evite correr riscos desnecessários!

velho casal fazendo compras

É recomendado obter a maioria da vitamina C através da dieta. (Fonte: Nd3000: 120514481 / 123rf.com)

Peça ajuda a um profissional

Manter uma boa comunicação com o seu médico ou nutricionista de confiança é fundamental! Se você quer suplementar com vitamina C de forma segura, fale com um especialista para garantir que este suplemento nutricional é a melhor ideia para o seu caso.

Sempre procure um médico se você tiver qualquer problema ou efeito colateral durante a suplementação. Talvez uma consulta médica apenas para falar dos suplementos pode parecer um pouco inconveniente.

Porém, esta simples ação de falar com o médico vai te ajudar a colocar sua saúde em primeiro lugar e evitar complicações derivadas da suplementação. Não deixe para amanhã!

Resumo

Mesmo que a vitamina C seja um nutriente fantástico que é necessário consumir diariamente para manter a saúde em dia, o uso imprudente de suplementos de ácido ascórbico pode ter efeitos colaterais. O desconforto intestinal será o primeiro risco associado ao excesso de vitamina C e é discutido se esta hiper dosagem pode estar por trás de algumas condições mais graves.

Evite colocar sua saúde em risco e faça um consumo responsável destes suplementos. Não ultrapasse as doses recomendadas, evite os suplementos com doses muito altas e consulte seu médico antes da suplementação. Não esqueça que a sua principal fonte de vitamina C deve ser encontrada na sua dieta!

Se, graças a este artigo você aprendeu mais sobre o excesso de vitamina C, por favor, deixe um comentário para nós e compartilhe este artigo em suas redes sociais!

(Fonte da imagem destacada: Arinahabich: 40197292 / 123rf.com)

Referências (12)

1. Padayatty S, Levine M. Vitamin C: the known and the unknown and Goldilocks. Oral Dis [Internet]. 2016 Sep ;22(6):463–93.
Fonte

2. Resolução RDC nº 269, de 22 de setembro de 2005 - ANVISA - O "REGULAMENTO TÉCNICO SOBRE A INGESTÃO DIÁRIA RECOMENDADA (IDR) DE PROTEÍNA, VITAMINAS E MINERAIS".
Fonte

3. Vitamin C — Health Professional Fact Sheet [Internet]. National Institutes of Health Office of Dietary Supplements. 2018.
Fonte

4. Subar A, Patterson B. Fruit, Vegetables, and Cancer Prevention: A Review of the Epidemiological Evidence [Internet]. Vol. 18, Nutrition and Cancer. Nutr Cancer; 1992 . p. 1–29.
Fonte

5. Dental erosion and nutrition – PubMed [Internet].
Fonte

6. Lykkesfeldt J, Michels AJ, Frei B. Vitamin C. Adv Nutr [Internet]. 2014 Jan 1 ;5(1):16–8.
Fonte

7. Seon Hwa Lee, Oe T, Blair IA. Vitamin C-induced decomposition of lipid hydroperoxides to endogenous genotoxins. Science (80- ) [Internet]. 2001 Jun 15 ;292(5524):2083–6.
Fonte

8. Jacob RA, Sotoudeh G. Vitamin C function and status in chronic disease [Internet]. Vol. 5, Nutrition in clinical care : an official publication of Tufts University. Nutr Clin Care; 2002 . p. 66–74.
Fonte

9. Schectman G, Byrd JC, Gruchow HW. The influence of smoking on vitamin C status in adults. Am J Public Health [Internet]. 1989 Feb ;79(2):158–62.
Fonte

10. By the way, doctor: What’s the right amount of vitamin C for me? – Harvard Health [Internet].
Fonte

11. Levine M, Conry-Cantilena C, Wang Y, Welch RW, Washko PW, Dhariwal KR, et al. Vitamin C pharmacokinetics in healthy volunteers: Evidence for a recommended dietary allowance. Proc Natl Acad Sci U S A [Internet]. 1996 Apr 16 ;93(8):3704–9.
Fonte

12. Bucher A, White N. Vitamin C in the Prevention and Treatment of the Common Cold [Internet]. Vol. 10, American Journal of Lifestyle Medicine. SAGE Publications Inc.; 2014. p. 181–3.
Fonte

Por que você pode confiar em nós?

Anabel Rodríguez Formada em Medicina
Formada em Medicina, tem como missão utilizar o método científico para encontrar novas formas de potencializar o rendimento esportivo e intelectual das pessoas. Quer conversar com as pessoas que desejam se informar sobre suplementação com base em evidências. Seus suplementos favoritos são a L-teanina e as vitaminas do grupo B.
Redatora do Saudável&Forte, Luiza pesquisa com muito cuidado e auxiliar na redação e edição de artigos relevantes que envolvem um dos temas que mais lhe interessam: o universo da suplementação.
Artigo científico
Padayatty S, Levine M. Vitamin C: the known and the unknown and Goldilocks. Oral Dis [Internet]. 2016 Sep ;22(6):463–93.
Ir para a fonte
Tabela IDR
Resolução RDC nº 269, de 22 de setembro de 2005 - ANVISA - O "REGULAMENTO TÉCNICO SOBRE A INGESTÃO DIÁRIA RECOMENDADA (IDR) DE PROTEÍNA, VITAMINAS E MINERAIS".
Ir para a fonte
Site oficial NIH
Vitamin C — Health Professional Fact Sheet [Internet]. National Institutes of Health Office of Dietary Supplements. 2018.
Ir para a fonte
Artigo científico
Subar A, Patterson B. Fruit, Vegetables, and Cancer Prevention: A Review of the Epidemiological Evidence [Internet]. Vol. 18, Nutrition and Cancer. Nutr Cancer; 1992 . p. 1–29.
Ir para a fonte
Artigo científico
Dental erosion and nutrition – PubMed [Internet].
Ir para a fonte
Artigo científico
Lykkesfeldt J, Michels AJ, Frei B. Vitamin C. Adv Nutr [Internet]. 2014 Jan 1 ;5(1):16–8.
Ir para a fonte
Artigo científico
Seon Hwa Lee, Oe T, Blair IA. Vitamin C-induced decomposition of lipid hydroperoxides to endogenous genotoxins. Science (80- ) [Internet]. 2001 Jun 15 ;292(5524):2083–6.
Ir para a fonte
Artigo científico
Jacob RA, Sotoudeh G. Vitamin C function and status in chronic disease [Internet]. Vol. 5, Nutrition in clinical care : an official publication of Tufts University. Nutr Clin Care; 2002 . p. 66–74.
Ir para a fonte
Artigo científico
Schectman G, Byrd JC, Gruchow HW. The influence of smoking on vitamin C status in adults. Am J Public Health [Internet]. 1989 Feb ;79(2):158–62.
Ir para a fonte
Dicas de especialista
By the way, doctor: What’s the right amount of vitamin C for me? – Harvard Health [Internet].
Ir para a fonte
Artigo científico
Levine M, Conry-Cantilena C, Wang Y, Welch RW, Washko PW, Dhariwal KR, et al. Vitamin C pharmacokinetics in healthy volunteers: Evidence for a recommended dietary allowance. Proc Natl Acad Sci U S A [Internet]. 1996 Apr 16 ;93(8):3704–9.
Ir para a fonte
Artigo científico
Bucher A, White N. Vitamin C in the Prevention and Treatment of the Common Cold [Internet]. Vol. 10, American Journal of Lifestyle Medicine. SAGE Publications Inc.; 2014. p. 181–3.
Ir para a fonte