Ultima atualização: 26 de outubro de 2021

Como escolhemos

21Horas investidas

6Estudos avaliados

30Comentários coletados

A ioga quente, também conhecida como bikram yoga, é uma disciplina desenvolvida por Bikram Choudhury a partir da tradicional hatha yoga. Ele é praticado em uma sala entre 40-42°C e alta umidade.

Ele se concentra em 26 posturas ou asanas, mais duas pranayamas ou respirações, uma no início e uma no final.

As sessões geralmente duram em torno de 90 minutos. Embora ainda não seja bem conhecida, esta prática muito quente, mas também muito eficaz, está sendo praticada por cada vez mais iogues.

Tem muitos benefícios para a nossa saúde e para o nosso corpo. Se você quer saber quais, continue lendo!




O mais importante

  • A ioga quente oferece quase os mesmos benefícios que a ioga tradicional. No entanto, o calor em que ela é realizada pode aumentar os benefícios.
  • Antes de fazer bikram yoga você precisa ter certeza de que você não tem nenhum problema de saúde que o impeça de fazer isso. Lembre-se de que pode ser uma disciplina bastante dura.
  • Os benefícios deste esporte são muitos. Eles podem ser cardiovasculares, esqueléticos e musculares, bem como respiratórios, entre outros.

Os benefícios da ioga quente

A prática destes 26 asanas (dos 84 da tradicional hatha yoga) em condições ambientais muito específicas proporciona uma série de benefícios.

E ele o faz tanto física quanto psicologicamente. Se você vai ousar entrar no mundo da ioga quente, nós lhe dizemos os benefícios deste esporte "escorregadio".

Com a ioga quente você obtém praticamente os mesmos benefícios da ioga tradicional, no entanto, o calor com o qual ela é praticada pode aumentá-los. (Fonte: Dolgachov: 80282633/ 123rf)

Melhora a flexibilidade e previne lesões

Graças a esta forma de yoga você pode desenvolver sua flexibilidade e melhorá-la com a prática. Muitos dos asanas, ou posturas que você irá realizar, requerem um bom nível de flexibilidade.

Conforme você os pratica por meses, você notará que eles se tornam cada vez menos difíceis de executar. Além disso, o ambiente quente no qual o yoga quente é praticado ajuda nossos músculos a se esticarem mais facilmente.

Você também alcançará uma maior variedade de movimentos. Vários estudos têm mostrado que pessoas que praticaram bikram yoga melhoram sua flexibilidade (1, 2).

Isto é especialmente verdadeiro para a parte inferior das costas, ombros e tendões de pernas (3).

Além disso, fazer estas poses em um ambiente quente faz com que os músculos fiquem menos estressados. Isto reduz o risco de lesões.

Fortalece os músculos

A prática da ioga envolve a maioria dos principais grupos musculares. É um treino de corpo inteiro usando seu próprio peso corporal.

Nesta disciplina, os músculos são fortalecidos. Não é tarefa fácil realizar os diferentes asanas com um corpo suado. Na verdade, algumas pessoas a consideram um grande substituto para o levantamento de peso.

Desenvolve densidade óssea

A osteoporose é a doença óssea mais comum. É causado por uma perda de densidade óssea e aumenta a probabilidade de fraturas.

É chamada de "doença silenciosa" porque você provavelmente não sabe que sofre dela até quebrar um osso. Há muitos fatores que podem levar ao desenvolvimento desta doença. Estes incluem, mas não estão limitados a, o seguinte

  • Fumando
  • Vida sedentária
  • Falta de proteína, vitamina D ou cálcio

Estudos mostraram que a bioteraquia pode ser benéfica na prevenção da osteoporose porque preserva e até aumenta a densidade óssea (4, 5).

JONATHAN MARTÍNDIRECTOR Y PROFESOR DE BIKRAM YOGA SPAIN
"Na aula nós refinamos a pele em um nível inconsciente, deixando-a mais luminosa e eliminando as impurezas com a ajuda do nosso suor. Após o aquecimento do corpo através das posturas e das condições especiais da sala

Queime mais calorias

Esta atividade é considerada fisicamente intensa, por isso pode ajudá-lo a queimar mais calorias do que outros tipos de exercício.

As posturas envolvidas fazem com que nossos músculos se contraiam, exigindo que nosso coração bombeie mais sangue. Desta forma, o oxigênio converte calorias em energia.

Da mesma forma, o calor da ioga quente e algumas posturas fazem nosso sistema digestivo funcionar melhor. Eles o tornam mais eficiente e aumentam nossa taxa metabólica.

Quanto maior a taxa metabólica, mais calorias nosso corpo gasta (6, 7).

Embora não haja dados sobre a resposta metabólica de uma sessão de bikram yoga, é provável que seja um pouco maior do que uma sessão de hatha yoga (3).

Diminui os problemas respiratórios

Na prática de yoga quente, o controle da respiração é de grande importância. Você vai aprender a respirar da maneira correta.

Isto é de grande benefício para as pessoas que sofrem de ataques de asma. Pode até prevenir outras condições respiratórias como bronquite ou doença pulmonar intersticial (8).

Por sua vez, esta adaptação dos pulmões também nos ajudará a realizar ações cotidianas como subir escadas ou praticar outros esportes. Respirar corretamente permitirá que você absorva todo o oxigênio que precisar.

Desta forma, seus músculos também recebem mais oxigênio, permitindo que eles trabalhem mais e mais duro.

Exerce o sistema cardiovascular

Bikram yoga também é benéfico para o seu sistema cardiovascular (9). Graças ao calor e intensidade com que é realizado, seu coração também recebe um "treino", pois ele acelera (10).

Um coração saudável e forte é capaz de bombear sangue por todo o seu corpo, reduzindo assim a chance de pressão alta. Desta forma, você pode prevenir doenças cardíacas, doenças das artérias e derrames.

Além disso, pulmões saudáveis e um coração saudável darão aos seus músculos mais oxigênio. Desta forma, você será capaz de realizar atividades diárias ou esportes mais facilmente.

Antes de fazer bikram yoga, é necessário ter certeza de que você não sofrerá de nenhum problema de saúde que o impeça de praticá-la, pois pode ser uma disciplina bastante dura. (Fonte: Koldunov: 126218205/ 123rf)

Reduz os níveis de glicose no sangue

O yoga é um dos exercícios que ajuda a reduzir os níveis de glicose no sangue (11, 12). A ioga quente pode ser útil para pessoas com risco aumentado de diabetes tipo 2.

Vários estudos têm mostrado que a ioga em biquídrama melhora a sensibilidade insulínica. Também melhora a tolerância à glicose (4). Entretanto, mais pesquisa é necessária para tirar conclusões mais sólidas sobre isso.

Pele mais nutrida

É claro que yoga quente fará você suar até o ponto de não ter retorno. Na verdade, é um dos principais objetivos, pois melhora o fluxo sanguíneo, trazendo nutrientes e oxigênio para nossas células da pele.

Desta forma, este órgão está sendo nutrido por dentro, refletindo-o por fora. Graças ao suor, a circulação é ativada, promovendo a regeneração celular. Isto resulta em uma pele mais uniforme, com mais luz e elasticidade, e menos impurezas.

Além disso, outros problemas dermatológicos, como a acne, melhoram graças à expulsão de substâncias nocivas através do suor e da oxigenação.

Reduz o estresse e alivia a depressão

Estudos científicos mostram que aqueles que fazem yoga regularmente têm um baixo nível de cortisol, o hormônio do estresse (4, 13).

Como declarado pela Associação Americana de Psicologia, assim como outros corpos, o bikram yoga tem uma influência sobre o cortisol.

Ele ajuda muitas pessoas a reduzir seu nível de estresse percebido, bem como os sintomas de depressão (2, 15).

Isto pode ser devido aos hormônios que nosso corpo produz quando nos exercitamos. E mesmo porque temos que nos concentrar tanto que esquecemos dos problemas e colocamos de lado os pensamentos negativos.

Os benefícios que este esporte pode trazer podem ser cardiovasculares, esqueléticos, musculares e respiratórios, entre outros. (Fonte: Southtownboy: 66824969/ 123rf)

Melhora a concentração

O cérebro, como qualquer outra parte do corpo, requer treinamento. A ioga quente é uma boa maneira de fazer isso. Durante as sessões, é necessário manter um estado constante de concentração e meditação.

Ao praticar regularmente, você notará uma melhora significativa ao realizar tarefas que requerem concentração em sua vida diária. Você achará mais fácil lembrar endereços, números de telefone, ou fazer cálculos rápidos.

Na verdade, a ioga pode ser uma boa ferramenta para melhorar a atenção e concentração em pessoas com Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (DDAH) (16).

Conclusão

Como nós mostramos a você, há uma grande variedade de benefícios para a prática de ioga quente. É uma ótima maneira de exercitar não apenas seu corpo, mas também sua mente.

Definitivamente, o ambiente quente e úmido, juntamente com os diferentes asanas e pranayamas, colocarão seu corpo em um estado de tensão. Mas a sensação de bem-estar após as sessões é indescritível.

Este treino de corpo inteiro é perfeito tanto para homens quanto para mulheres. O que você está esperando para experimentá-lo e aproveitar todos os seus benefícios? Se você gostou deste artigo, sinta-se livre para compartilhá-lo com seus amigos iogues em suas redes sociais.

(Fonte da imagem em destaque: Fizkes: 129469092/ 123rf)

Referências (16)

1. Mace C, Eggleston B. Self-reported benefits and adverse outcomes of hot yoga participation. International Journal of Yoga Therapy. 2016;26(1):49–53.
Fonte

2. Hewett ZL, Ransdell LB, Gao Y, Petlichkoff LM, Lucas S. An examination of the effectiveness of an 8-week Bikram yoga program on mindfulness, perceived stress, and physical fitness. Journal of Exercise Science & Fitness. 2011;9(2):87–92.
Fonte

3. Tracy BL, Hart CEF. Bikram yoga training and physical fitness in healthy young adults. Journal of Strength and Conditioning Research. 2013;27(3):822–30.
Fonte

4. Hewett ZL, Cheema BS, Pumpa KL, Smith CA. The effects of Bikram yoga on health: Critical review and clinical trial recommendations. Evidence-based Complementary and Alternative Medicine : eCAM. 2015;2015:428427.
Fonte

5. Sangiorgio SN, Mukherjee AK, Lau NW, Mukherjee A, Mukhopadhyay P, Ebramzadeh E. Optimization of physical activity as a countermeasure of bone loss: A 5-year study of Bikram yoga practice in females. Health. 2014;06(11):1124–32.
Fonte

6. Clay CC, Lloyd LK, Walker JL, Sharp KR, Pankey RB. The metabolic cost of hatha yoga.Journal of Strength and Conditioning Research. 2005;19(3):604–10.
Fonte

7. Hagins M, Moore W, Rundle A. Does practicing hatha yoga satisfy recommendations for intensity of physical activity which improves and maintains health and cardiovascular fitness? BMC Complementary and Alternative Medicine. 2007;7(1):40.
Fonte

8. Guo Y-H, Wang F, Hu J-P, Wang Y, Zhang L-Y. Effect of high temperature yoga exercise on improving physical and mental well-being of overweight middle-aged and young women. International Journal of Clinical and Experimental Medicine. 2014;7(12):5842–6.
Fonte

9. Hunter SD, Laosiripisan J, Elmenshawy A, Tanaka H. Effects of yoga interventions practised in heated and thermoneutral conditions on endothelium-dependent vasodilatation: The Bikram yoga heart study. Experimental Physiology. 2018;103(3):391–6.
Fonte

10. Fritz ML, Grossman AM, Mukherjee A, Hunter SD, Tracy BL. Acute metabolic, cardiovascular, and thermal responses to A single session of Bikram yoga: 593 Board #8 may 28, 3. Medicine & Science in Sports & Exercise. 2014;46(5S):146–7.
Fonte

11. Innes KE, Vincent HK. The influence of yoga-based programs on risk profiles in adults with type 2 diabetes mellitus: a systematic review. Evidence-based Complementary and Alternative Medicine : eCAM. 2007;4(4):469–86.
Fonte

12. Sharma M, Knowlden AP. Role of yoga in preventing and controlling type 2 diabetes mellitus. Journal of Evidence-Based Integrative Medicine. 2012;17(2):88–95.
Fonte

13. Michalsen A, Grossman P, Acil A, Langhorst J, Lüdtke R, Esch T, et al. Rapid stress reduction and anxiolysis among distressed women as a consequence of a three-month intensive yoga program. Medical Science Monitor. 2005;11(12):CR555-561.
Fonte

14. American Psychological Association. Yoga Effective at Reducing Symptoms of Depression (2017)
Fonte

15. Hewett ZL, Pumpa KL, Smith CA, Fahey PP, Cheema BS. Effect of a 16-week Bikram yoga program on perceived stress, self-efficacy and health-related quality of life in stressed and sedentary adults: A randomised controlled trial. Journal of Science and Medicine in Sport. 2018;21(4):352–7.
Fonte

16. Casas-Martínez S. El Yoga como terapia alternativa para mejorar síntomas del trastorno por déficit de atención e hiperactividad. Universidad de Jaén; 2016.
Fonte

Por que você pode confiar em mim?

Artículo científico
Mace C, Eggleston B. Self-reported benefits and adverse outcomes of hot yoga participation. International Journal of Yoga Therapy. 2016;26(1):49–53.
Ir para a fonte
Artículo científico
Hewett ZL, Ransdell LB, Gao Y, Petlichkoff LM, Lucas S. An examination of the effectiveness of an 8-week Bikram yoga program on mindfulness, perceived stress, and physical fitness. Journal of Exercise Science & Fitness. 2011;9(2):87–92.
Ir para a fonte
Artículo científico
Tracy BL, Hart CEF. Bikram yoga training and physical fitness in healthy young adults. Journal of Strength and Conditioning Research. 2013;27(3):822–30.
Ir para a fonte
Artículo científico
Hewett ZL, Cheema BS, Pumpa KL, Smith CA. The effects of Bikram yoga on health: Critical review and clinical trial recommendations. Evidence-based Complementary and Alternative Medicine : eCAM. 2015;2015:428427.
Ir para a fonte
Artículo científico
Sangiorgio SN, Mukherjee AK, Lau NW, Mukherjee A, Mukhopadhyay P, Ebramzadeh E. Optimization of physical activity as a countermeasure of bone loss: A 5-year study of Bikram yoga practice in females. Health. 2014;06(11):1124–32.
Ir para a fonte
Artículo científico
Clay CC, Lloyd LK, Walker JL, Sharp KR, Pankey RB. The metabolic cost of hatha yoga.Journal of Strength and Conditioning Research. 2005;19(3):604–10.
Ir para a fonte
Artículo científico
Hagins M, Moore W, Rundle A. Does practicing hatha yoga satisfy recommendations for intensity of physical activity which improves and maintains health and cardiovascular fitness? BMC Complementary and Alternative Medicine. 2007;7(1):40.
Ir para a fonte
Artículo científico
Guo Y-H, Wang F, Hu J-P, Wang Y, Zhang L-Y. Effect of high temperature yoga exercise on improving physical and mental well-being of overweight middle-aged and young women. International Journal of Clinical and Experimental Medicine. 2014;7(12):5842–6.
Ir para a fonte
Artículo científico
Hunter SD, Laosiripisan J, Elmenshawy A, Tanaka H. Effects of yoga interventions practised in heated and thermoneutral conditions on endothelium-dependent vasodilatation: The Bikram yoga heart study. Experimental Physiology. 2018;103(3):391–6.
Ir para a fonte
Artículo científico
Fritz ML, Grossman AM, Mukherjee A, Hunter SD, Tracy BL. Acute metabolic, cardiovascular, and thermal responses to A single session of Bikram yoga: 593 Board #8 may 28, 3. Medicine & Science in Sports & Exercise. 2014;46(5S):146–7.
Ir para a fonte
Artículo científico
Innes KE, Vincent HK. The influence of yoga-based programs on risk profiles in adults with type 2 diabetes mellitus: a systematic review. Evidence-based Complementary and Alternative Medicine : eCAM. 2007;4(4):469–86.
Ir para a fonte
Artículo científico
Sharma M, Knowlden AP. Role of yoga in preventing and controlling type 2 diabetes mellitus. Journal of Evidence-Based Integrative Medicine. 2012;17(2):88–95.
Ir para a fonte
Artículo científico
Michalsen A, Grossman P, Acil A, Langhorst J, Lüdtke R, Esch T, et al. Rapid stress reduction and anxiolysis among distressed women as a consequence of a three-month intensive yoga program. Medical Science Monitor. 2005;11(12):CR555-561.
Ir para a fonte
Simposio
American Psychological Association. Yoga Effective at Reducing Symptoms of Depression (2017)
Ir para a fonte
Artículo científico
Hewett ZL, Pumpa KL, Smith CA, Fahey PP, Cheema BS. Effect of a 16-week Bikram yoga program on perceived stress, self-efficacy and health-related quality of life in stressed and sedentary adults: A randomised controlled trial. Journal of Science and Medicine in Sport. 2018;21(4):352–7.
Ir para a fonte
Trabajo Fin de Máster
Casas-Martínez S. El Yoga como terapia alternativa para mejorar síntomas del trastorno por déficit de atención e hiperactividad. Universidad de Jaén; 2016.
Ir para a fonte
Resenhas