benefícios do magnésio
Ultima atualização: 18 de novembro de 2020

Como escolhemos

11Produtos analisados

22Horas investidas

14Estudos avaliados

62Comentários coletados

No mercado de suplementos, você vai encontrar centenas de produtos que prometem melhorar sua saúde de uma forma quase que "milagrosa". A lecitina de girassol é um destes produtos. Há boatos que atribuem todo tipo de benefícios a esta substância. Por exemplo, já foi dito que a lecitina pode ajudar a emagrecer ou reduzir os níveis de colesterol.

No entanto, é verdade tudo o que dizem sobre a lecitina de girassol? Não há dúvidas de que é um produto muito interessante. Pode ajudar a prevenir problemas durante a amamentação e é uma alternativa à lecitina de soja. No entanto, é necessário ter cuidado para evitar seus efeitos colaterais. Você quer aproveitar ao máximo a lecitina de girassol? Não deixe de ler este artigo!




O mais importante

  • A lecitina de girassol é uma substância extraída das sementes de girassol.
  • Este produto oferece vitamina E e fosfolipídios. Esta última substância pode ser benéfica para o organismo em alguns casos. No entanto, também se suspeita que o excesso de fosfolipídios pode ser nocivo.
  • Se você deseja comprar um suplemento de lecitina de girassol, preste atenção na sua composição, seu formato e o método de extração utilizado. Além disso, lembre-se de consultar seu médico antes e durante a suplementação para evitar qualquer complicação.

Os melhores suplementos de lecitina de girassol: Nossas recomendações

Os seguintes produtos vão te permitir incluir a lecitina de girassol na sua rotina. Utilize com supervisão médica para obter os melhores resultados e evitar qualquer efeito colateral. A qualidade vai te surpreender!

A melhor lecitina de girassol em cápsulas

Estas cápsulas gelatinosas da Now Foods fornecem 1200 mg de lecitina cada. A quantidade recomendada pelo fabricante é de 2 cápsulas por dia, mas é importante sempre verificar esta informação com o seu médico. Este suplemento é de alta qualidade, não contém glúten, nem soja.

A melhor lecitina de girassol líquida para uso culinário

Esta lecitina de girassol líquida é indicada para o uso culinário. Funciona como um emulsificante e pode ser utilizada nas mais variadas receitas, desde biscoitos até sorvete. Em uma embalagem com 1 kg, a quantidade recomendada por receita varia de acordo com os demais produtos utilizados, mas não deve ultrapassar 25 g.

A melhor lecitina de girassol em pó

Este produto de lecitina de girassol em pó da Now Foods é feito a partir da lecitina refinada, criando um pó fino que pode ser adicionado em vitaminas, sucos e iogurte. É uma ótima opção para quem não gosta de consumir cápsulas e precisa da suplementação. A dose recomendada é 1 colher e meia por dia, mas é importante consultar seu médico. Este produto é vendido pela Amazon Americana.

Guia de compras: Tudo que você precisa saber sobre a lecitina de girassol

A lecitina de girassol é um produto obtido das sementes desta planta. Seu conteúdo elevado de fosfolipídios pode ajudar o corpo a manter um bom estado de saúde, protegendo o fígado ou aliviando alguns problemas na amamentação. No entanto, seu uso descuidado pode ser muito perigoso.

lecitina de girassol

A lecitina de girassol pode ajudar as mães que estão amamentando. (Fonte: Guzhva: 47734677 / 123rf.com)

O que é a lecitina de girassol?

A lecitina de girassol é uma substância fabricada a partir do refinamento das sementes de girassol. Sua composição inclui nutrientes essenciais, gorduras e fosfolipídios. Estas últimas moléculas fazem parte das membranas celulares.

De acordo com os especialistas, incluí-la na deita pode ser muito bom para a saúde. Este produto é muito utilizado na indústria alimentícia, como um emulsificante, ou seja, um produto que "mistura" substâncias que geralmente se repelem (como a água e o óleo).

A lecitina de girassol é uma substância utilizada na indústria alimentícia, farmacêutica e de suplementos.

A lecitina dará aos alimentos uma textura macia e cremosa (como o creme de cacau com avelã, que agrada tanto os mais pequenos) (1).

Além disso, a lecitina também faz parte de cosméticos (que oferece efeitos hidratantes), medicamentos (melhorando sua absorção) ou suplementos dietéticos.

Neste último caso, a lecitina pode ser utilizada para melhorar o rendimento destes produtos (é o caso dos suplementos lipossomais) ou pode ser utilizado como um suplemento "sozinho". Desta forma, existirão suplementos exclusivamente a base de lecitina de girassol.

A indústria de suplementos atribuiu à ela muitos benefícios. Por exemplo, foi afirmado que a lecitina pode baixar o colesterol, ajudar a perder peso ou inclusive "reparar" os neurônios e proteger a memória. Porém, estes "benefícios" ainda estão sendo estudados.

lecitina de girassol

O efeito da lecitina na saúde do coração está sendo estudado. (Fonte: Amikishiyev: 88091150 / 123rf.com)

Quais as diferenças entre a lecitina de girassol e a lecitina de soja?

Você sabia que a lecitina não é obtida apenas do girassol? O ovo e a soja também contêm este ingrediente interessante. De fato, a lecitina de soja é muito mais conhecida e utilizada que a de girassol.

Porém, o girassol se tornou mais popular como fonte de lecitina que a soja. Você quer saber o motivo?

Livre de hexanos

Para extrair a lecitina da soja, é necessário recorrer aos solventes químicos, como o hexano. No entanto, algumas pessoas preferem evitar qualquer substância artificial em seus suplementos.

Nestes casos, a lecitina de girassol é extraída por métodos físicos (como prensagem à frio) e será mais adequada (2).

Baixo teor de fitoestrogênios

A soja é rica em fitoestrogênios, um ingrediente parecido com os hormônios "femininos" (estrogênios). Em alguns casos, é aconselhado que algumas pessoas evitem consumir muitos fitoestrogênios.

A lecitina de girassol contém uma quantidade muito menor destas moléculas, por isso é uma boa alternativa para estas pessoas (3).

Livre de OGM

Mais de 80% da soja cultivada atualmente é OGM (organismo geneticamente modificado (4). Não são muito conhecidos os riscos que estes alimentos podem ter para a saúde.

No entanto, algumas pessoas preferem evitá-los completamente. Felizmente, a maioria das sementes de girassol não são modificadas geneticamente. Por outro lado, a principal "desvantagem" da lecitina de girassol é o seu preço.

É possível encontrar suplementos à base de girassol mais caros que os de soja. A lecitina de girassol é um composto muito mais popular que a de soja, por estar livre de solventes, hexanos e fitoestrogênios.

Mesmo seu preço sendo mais elevado que outros produtos com lecitina, muitas pessoas preferem investir em algo a mais para obter seu "suplemento perfeito".

A lecitina de girassol "diminui" o colesterol?

Os fosfolipídios da lecitina podem reduzir o colesterol "ruim" e inclusive reduzir a pressão arterial, de acordo com um estudo (5).

No entanto, ainda é necessário um estudo de maior validade para poder afirmar que a lecitina de girassol é útil para estes problemas. Até obtermos resultados mais completos, não consuma sem a indicação do seu médico.

Andrew WeilMédico e biólogo dos EUA

"Não importa qual suplemento ou medicamento você utiliza para controlar o colesterol, certifique-se de fazer exercícios por pelo menos 30 minutos ao dia e reduza a quantidade de gorduras saturadas e trans da sua dieta."

A lecitina de girassol ajuda a emagrecer?

Com certeza você já ouviu falar que a lecitina é vendida como um "solvente de gorduras". Muitos anúncios garantem que este composto se une às gorduras e ajuda a expulsá-las do corpo humano.

Infelizmente, não existem estudos que comprovem este "mito" e, inclusive, existem alguns que o contradizem (6). Se você deseja emagrecer, consulte seu médico ou nutricionista.

Uma dieta baixa em calorias e rica em nutrientes será sua melhor aposta para eliminar os "quilos a mais". Combine um padrão de alimentação como a dieta mediterrânea com exercícios físicos, você não vai se arrepender!

A lecitina de girassol é "boa" para o fígado?

Para manter uma boa saúde, o fígado precisa manter um equilíbrio entre os fosfolipídios e outros compostos, como a betaína. Foi observado que a suplementação com lecitina pode ajudar a alcançar este objetivo (7, 8).

No entanto, estes experimentos foram feitos em animais. É necessário realizar mais estudos em humanos antes de poder recomendar o seu uso.

lecitina de girassol

A lecitina de girassol também é rica em vitamina E. (Fonte: Proskurina: 150811079 / 123rf.com)

A lecitina de girassol favorece a amamentação?

Você sabia que a La Leche League (uma organização internacional que apoia a amamentação) aconselha o uso de lecitina para prevenir obstruções do leite (9)? Este problema na hora de amamentar pode ser muito doloroso para as mães.

Se aparecer um "bloqueio" para o leite passar, será necessário procurar ajuda médica. Porém, é possível prevenir obstruções futuras com este suplemento. Lembre-se sempre de consultar um especialista antes de tomar qualquer suplemento durante a amamentação.

A lecitina de girassol é boa para o cérebro?

O cérebro utiliza grandes quantidades de fosfolipídios para se manter saudável. Em experimentos com animais, foi observado que a suplementação com lecitina (rica em fosfolipídios) ajuda as células do cérebro a desenvolver todo seu potencial (10).

O que estas descobertas podem contribuir para os humanos? Foi informado que a lecitina pode melhorar a memória ou prevenir o surgimento de doenças como o Alzheimer. No entanto, ainda são necessários mais dados para poder afirmar estas hipóteses.

lecitina de girassol

Consulte seu médico antes de usar a lecitina de girassol. (Fonte: Supaleka: 119017793 / 123rf.com)

Posso obter a lecitina de girassol através dos alimentos?

As sementes e o óleo de girassol são ótimas formas de enriquecer seus pratos com lecitina e o antioxidante da vitamina E. Porém, evite abusar destes produtos, já que são muito ricos em calorias (11):

  • 600 quilocalorias por cada 100 gramas de sementes de girassol;
  • 900 quilocalorias por cada 100 gramas de óleo de girassol.

A lecitina não está presenta apenas nas sementes e no óleo de girassol. Este composto está presente em muitos alimentos, dando uma textura homogênea e agradável. Observe o rótulo dos seus produtos favoritos.

Você pode se surpreender com a quantidade de lecitina que podem oferecer! Felizmente, a lecitina dos alimentos é considerada relativamente segura para o consumo humano.

Como tomar os suplementos de lecitina de girassol?

Você deve considerar que a lecitina de girassol é um suplemento muito novo. Não foi estabelecida uma dose recomendada, nem um tempo máximo de uso. Por isso, recomendamos que você defina o seu tratamento com a ajuda do seu médico ou nutricionista.

No campo dos estudos, foram utilizadas quantidades de lecitina que vão desde as 500 miligramas até 2 gramas ao dia. Muitas vezes, é possível dividir esta dose e tomá-la com suas principais refeições (1).

Os efeitos benéficos da suplementação sobre o fígado, o colesterol, as defesas do organismo ou a fadiga foram observados mais de quatro semanas após o início do tratamento.

Rachael LinkNutricionista

"A lecitina de girassol é uma opção superior à outras fontes de lecitina, porque não contém organismos geneticamente modificados, é vegana e é obtida utilizando métodos de extração mais seguros."

A lecitina de girassol é segura?

Dentro dos limites estabelecidos pelos fabricantes de suplementos, a lecitina é considerada segura. No entanto, as doses muito elevadas de lecitina de girassol (mais de 25 gramas ao dia) pode causar diarreia, dor de estômago e náuseas (1).

No entanto, o maior cuidado na hora de suplementar com lecitina é um achado preocupante que pode ser visto em vários estudos. As bactérias intestinais podem "transformar" os fosfolipídios da lecitina em compostos nocivos para o coração, principalmente em diabéticos (13).

Estas bactérias aparecem com mais frequência nas pessoas que consomem muita carne e em indivíduos que já possuem problemas no coração. Ou seja, é possível que uma flora intestinal desequilibrada converta a "boa" lecitina em um composto "ruim".

Estes achados precisam ser confirmados por estudos mais completos. Porém, recomendamos ter precaução:

  1. Evite usar a lecitina se você tem qualquer doença grave (do coração ou qualquer outro tipo). Não utilize se você for diabético ou menor de idade.
  2. Não tome lecitina durante a gravidez e consulte seu médico antes de utilizá-la durante a amamentação.
  3. Verifique com seu médico antes de suplementar com lecitina, especialmente se você tem risco elevado de sofrer de problemas do coração ou se você toma algum medicamento.
  4. Não substitua seu tratamento médico pela lecitina. Mantenha um estilo de vida saudável e limite seu consumo de carne vermelha e gorduras saturadas.
  5. Faça seus exames de rotina programados e lembre de informar seu médico caso esteja suplementando com lecitina.
  6. Não tome lecitina durante longos períodos de tempo (mais de um mês) sem o consentimento expresso do médico.
  7. Evite ultrapassar a dose de lecitina recomendada pelo fabricante sem a recomendação de um médico.

Critérios de compra

Então você decidiu comprar um suplemento de lecitina de girassol? Neste caso, recomendamos que você dê uma olhada no nosso guia. Vamos mostrar como escolher um produto que se ajuste às suas necessidades.

Restrições dietéticas

A lecitina de girassol, por si só, pode ser consumida por veganos, celíacos e alérgicos à lactose, a soja e as oleaginosas. No entanto, é possível que este suplemento contenha ingredientes adicionais (como cápsulas de gelatina), ou seja, fabricado em um local com alérgenos.

Para evitar qualquer problema, recomendamos que você leia muito bem a lista de ingredientes do seu suplemento. Escolha apenas produtos que certifiquem a ausência de alérgenos ou produtos de origem animal. Procure sempre o selo de qualidade no rótulo.

lecitina de girassol

Os alimentos com textura "suave", como o creme de avelã, contêm lecitina. (Fonte: Trebizan: 52988838 / 123rf.com)

Método de extração

Muitas vezes, a lecitina de girassol é obtida mediante a extração mecânica (prensagem a frio) das sementes desta planta. Infelizmente, também existem empresas que criam a lecitina utilizando solventes ou petróleo.

Se isso é uma coisa que te preocupa, não compre o produto sem se informar antes sobre o método de extração da lecitina de girassol.

Proporção de fosfolipídios

A lecitina de girassol contém fosfolipídios e óleo de girassol. Na hora de comprar um produto, como evitar escolher um que a maior parte seja de óleo? Fácil! Observando cuidadosamente a proporção de fosfolipídios do suplemento.

  • As sementes de girassol contém cerca de 1% de fosfolipídios. O óleo pode ter uma proporção ainda mais reduzida.
  • Por outro lado, cerca de 43% da lecitina deve ser composta por fosfatidilcolina e outros fosfolipídios (14).

Não esqueça de comprovar esta proporção, que deve estar presenta na embalagem do seu produto. Não se deixe enganar!

lecitina de girassol

A lecitina de girassol pode ser extraída pela prensagem das sementes desta planta. Diferente da lecitina de soja, este processo não exige o uso de solventes químicos. (Fonte: Teen00000: 116379348 / 123rf.com)

Formato de apresentação

É possível encontrar a lecitina de girassol em diferentes formatos. Suas diferenças vão afetar, principalmente, a forma de consumo deste suplemento:

  • Líquido: Em gotas ou “colheradas”. Geralmente a lecitina líquida é vendida em uma embalagem de vidro ou plástico. É fácil e rápido de tomar, mas pode ser difícil levar para alguma viagem.
  • Cápsulas: As cápsulas de lecitina geralmente são cápsulas de gel, por isso serão fáceis de consumir, inclusive por pessoas com problemas para tomar comprimidos. Se você é vegano, opte por revestimentos de celulose e evite as cápsulas a base de gelatina animal.
  • Pó ou granulado: Este formato curioso vai te permitir tomar a lecitina com iogurte ou vitamina. Além disso, é fácil de guardar e transportar.

Escolha o formato que seja mais fácil para você poder consumir o suplemento! Lembre-se de guardar estes produtos em um local seco, fresco e sem exposição à luz. E não consuma caso tenha passado a data de validade.

Resumo

A lecitina de girassol é um produto o qual foi atribuído muitos benefícios. Este produto pode ajudar as mulheres durante a amamentação, proteger o fígado e também melhorar o controle do colesterol. No entanto, seu uso irresponsável pode danificar a saúde. Use sempre com supervisão do seu médico!

Lembre-se que, se você deseja melhorar sua saúde, deve se comprometer a seguir uma dieta saudável e um estilo de vida ativo. Além disso, você deve tratar seus problemas com a ajuda de um profissional da saúde. Os suplementos como a lecitina de girassol podem complementar o seu bem estar, mas sempre com supervisão. Não esqueça!

Se, graças a este artigo, você pode aprender mais sobre a lecitina de girassol, deixe um comentário para nós e compartilhe este artigo em suas redes sociais!

(Fonte da imagem destacada: Gabdrakipova: 83229858 / 123rf.com)

Referências (14)

1. Lecithin Uses, Benefits & Dosage – Drugs.com Herbal Database.
Fonte

2. Mounts TL. Chemical and physical effects of processing fats and oils. J Am Oil Chem Soc . 1981 Jan;58(1):51A-54A.
Fonte

3. Phytoestrogens – Breast Cancer Prevention Partners (BCPP).
Fonte

4. Soy – The Non-GMO Project.
Fonte

5. Eshginia S, Gapparov MM, Mal’tsev GY, Kulakova SN. Influence of dietary therapy containing sunflower oil fortified with phospholipids on the lipid metabolism in patients with hypertension and obesity. Vopr Pitan . 2007 ;76(1):58–62.
Fonte

6. Masi LN, Martins AR, Neto JCR, Amaral CL Do, Crisma AR, Vinolo MAR, et al. Sunflower oil supplementation has proinflammatory effects and does not reverse insulin resistance in obesity induced by high-fat diet in C57BL/6 mice. J Biomed Biotechnol . 2012 ;2012.
Fonte

7. Sherriff JL, O’Sullivan TA, Properzi C, Oddo JL, Adams LA. Choline, its potential role in nonalcoholic fatty liver disease, and the case for human and bacterial genes . Vol. 7, Advances in Nutrition. American Society for Nutrition; 2016 . p. 5–13.
Fonte

8. Lieber CS, Decarli LM, Mak KM, Kim C ‐I, Leo MA. Attenuation of alcohol‐induced hepatic fibrosis by polyunsaturated lecithin. Hepatology . 1990 ;12(6):1390–8.
Fonte

9. Liga de la Leche. Tratamiento de conductos obturados y perlas de leche
Fonte

10. Latifi S, Tamayol A, Habibey R, Sabzevari R, Kahn C, Geny D, et al. Natural lecithin promotes neural network complexity and activity. Sci Rep . 2016 May 27 [cited 2020 Sep 20];6.
Fonte

11. FoodData Central.
Fonte

12. Partridge D, Lloyd KA, Rhodes JM, Walker AW, Johnstone AM, Campbell BJ. Food additives: Assessing the impact of exposure to permitted emulsifiers on bowel and metabolic health – introducing the FADiets study. Nutr Bull . 2019 Dec 1 ;44(4):329–49.
Fonte

13. Zheng Y, Li Y, Rimm EB, Hu FB, Albert CM, Rexrode KM, et al. Dietary phosphatidylcholine and risk of all-cause and cardiovascular-specific mortality among US women and men. Am J Clin Nutr . 2016 Jul 1 ;104(1):173–80.
Fonte

14. Reckziegel Y, Balcaen M, Van der Meeren P. Characterization and comparison of the functionality of fractionated lecithin from different sources. 2015;
Fonte

Por que você pode confiar em mim?

Site oficial
Lecithin Uses, Benefits & Dosage – Drugs.com Herbal Database.
Ir para a fonte
Artigo científico
Mounts TL. Chemical and physical effects of processing fats and oils. J Am Oil Chem Soc . 1981 Jan;58(1):51A-54A.
Ir para a fonte
Site oficial
Phytoestrogens – Breast Cancer Prevention Partners (BCPP).
Ir para a fonte
Site oficial
Soy – The Non-GMO Project.
Ir para a fonte
Estudo em humanos
Eshginia S, Gapparov MM, Mal’tsev GY, Kulakova SN. Influence of dietary therapy containing sunflower oil fortified with phospholipids on the lipid metabolism in patients with hypertension and obesity. Vopr Pitan . 2007 ;76(1):58–62.
Ir para a fonte
Estudo em humanos
Masi LN, Martins AR, Neto JCR, Amaral CL Do, Crisma AR, Vinolo MAR, et al. Sunflower oil supplementation has proinflammatory effects and does not reverse insulin resistance in obesity induced by high-fat diet in C57BL/6 mice. J Biomed Biotechnol . 2012 ;2012.
Ir para a fonte
Artigo científico
Sherriff JL, O’Sullivan TA, Properzi C, Oddo JL, Adams LA. Choline, its potential role in nonalcoholic fatty liver disease, and the case for human and bacterial genes . Vol. 7, Advances in Nutrition. American Society for Nutrition; 2016 . p. 5–13.
Ir para a fonte
Estudo em animais
Lieber CS, Decarli LM, Mak KM, Kim C ‐I, Leo MA. Attenuation of alcohol‐induced hepatic fibrosis by polyunsaturated lecithin. Hepatology . 1990 ;12(6):1390–8.
Ir para a fonte
Site oficial
Liga de la Leche. Tratamiento de conductos obturados y perlas de leche
Ir para a fonte
Estudo em animais
Latifi S, Tamayol A, Habibey R, Sabzevari R, Kahn C, Geny D, et al. Natural lecithin promotes neural network complexity and activity. Sci Rep . 2016 May 27 [cited 2020 Sep 20];6.
Ir para a fonte
Site oficial
FoodData Central.
Ir para a fonte
Artigo científico
Partridge D, Lloyd KA, Rhodes JM, Walker AW, Johnstone AM, Campbell BJ. Food additives: Assessing the impact of exposure to permitted emulsifiers on bowel and metabolic health – introducing the FADiets study. Nutr Bull . 2019 Dec 1 ;44(4):329–49.
Ir para a fonte
Estudo em humanos
Zheng Y, Li Y, Rimm EB, Hu FB, Albert CM, Rexrode KM, et al. Dietary phosphatidylcholine and risk of all-cause and cardiovascular-specific mortality among US women and men. Am J Clin Nutr . 2016 Jul 1 ;104(1):173–80.
Ir para a fonte
Artigo científico
Reckziegel Y, Balcaen M, Van der Meeren P. Characterization and comparison of the functionality of fractionated lecithin from different sources. 2015;
Ir para a fonte