Neste novo artigo do nosso Guia de Suplementos, abordaremos um tópico muito atual: o uso de probióticos. Estes suplementos podem ser encontrados em supermercados, farmácias e lojas especializadas e são frequentemente recomendados para pessoas que sofrem de distúrbios intestinais, como inchaço ou flatulência. Mas você sabe como eles realmente funcionam?

Os probióticos prometem restaurar o equilíbrio da “flora” microbiana das pessoas que estejam sob estresse, seguindo dietas inadequadas ou que abusam de antibióticos. No entanto, esses suplementos são especialmente delicados e exigem algum conhecimento para serem usados com sucesso.

O mais importante

  • Os probióticos são suplementos que contêm micro-organismos vivos capazes de beneficiar nosso organismo.
  • Existem diferentes espécies e cepas bacterianas, algumas mais eficazes que outras na hora de tratar diferentes sintomas e patologias.
  • O consumo de probióticos é considerado seguro para a maioria das pessoas. No entanto pode desencadear infecções em pessoas imunodeprimidas.

Ranking: Os melhores suplementos probióticos do mercado

Você sabia que existem muitos probióticos com pouca ou nenhuma utilidade? É essencial escolher cepas bacterianas seguras e eficazes se você quiser obter benefícios com o uso desses itens. Use nosso Ranking de probióticos para comprar um produto de qualidade, com resultados comprovados por centenas de consumidores exigentes.

1º – QualiPro Probiótico Lactobacillus

Esse suplemento é composto por 1 bilhão de Unidades Formadores de Colônias (UFC) de Lactobacillus Acidophilus. É um probiótico à base que contém também Cálcio, Magnésio, Vitamina C, B1, B2 e B6, para uma suplementação que irá não só regular sua flora como também outros aspectos da sua saúde.

É indicado para o equilíbrio da flora intestinal e para melhorar a digestão e o sistema imune. Controla infecções intestinais, diarreias e ajuda em caso de constipação. Uma ótima vantagem é que ele contém ingredientes naturais, não possui adoçantes, conservantes, corantes ou aromatizantes artificiais.

Também é ótimo para pessoas alérgicas uma vez que é um produto sem glúten, lactose, açúcar ou sacarose. A dose recomendada é de um a dois sachês por dia diluído em água fria. Um produto com um bom custo-benefício.

2º – Probiótico Duobalance

O Duobalance foi elaborado com as duas cepas de bactérias mais estudadas pela ciência. A combinação das cepas Bifidobacterium lactis HN019 e Lactobacillus acidophilus NCFM permite a atuação do probiótico ao longo de todo o intestino.

Cada cápsula contém, pelo menos, 1 bilhão de UFC de Bifidobacterium lactis NH019 e 1 bilhão de UFC de Lactobacillus acidophilus NCFM até o final do prazo de validade. A embalagem contém 30 cápsulas, que são de origem vegetal e portanto, pode ser consumida por vegetarianos.

A dose aconselhada é de uma cápsula por dia, juntamente às refeições. É um probiótico que contribui para estabilizar a flora intestinal. Quem é alérgico deve tomar cuidado, pois o produto contém glutem. Pode ser encontrado no mercado por um preço razoável.

3º – Mood Boosting Probiotic US

Esse é um probiótico focado em combater a ansiedade e problemas de humor. Possui 9 cepas diferentes que trabalham em conjunto para reparar a flora intestinal. O produto vem com 60 cápsulas contendo 30 bilhões de Unidades Formadores de Colônias (UFC).

Além das cepas, o produto contém também um prebiótico, que prepara o intestino para que a flora seja reconstruída com mais facilidade. A maior praticidade desse probiótico é que ele não requer refrigeração, o que significa que você pode carregar o frasco para onde quiser. Tudo isso a um preço razoável, possuindo um ótimo custo-benefício.

4º – Nordic Naturals Flora US

Esse é um probiótico para pessoas com problemas digestivos ou com problemas de sensibilidade. Possui 13 diferentes cepas formando uma cultura de 15 bilhões de UFC, sendo que uma das cepas é o Lactobacillus acidophilus DDS-1(R).

Para vegetarianos e veganos é uma ótima opção, uma vez que não faz uso de nenhuma substância de origem animal. O produto ajuda a aliviar gases e inchaços abdominais, além de melhorar a imunidade de quem o toma.

Além disso, o composto ainda possui um prebiótico para ajudar a preparar o intestino e receber melhor as cepas. Se você é uma pessoa preocupada com a sustentabilidade, este é um produto indicado para você, pois a marca possui selos que garante a responsabilidade dela com o meio ambiente.

5º – Probiotics for Women US

Esse é um probiótico formulado especialmente voltado à saúde feminina e contém as seguintes quatro cepas: Lactobacillus Acidophilus, Bifidobacterium Lactis, Lactobacillus Plantarum, Lactobacillus Paracasei.

É feito para melhorar o sistema imune, digestivo e urinário, além de equilibrar as bactérias vaginais de modo a proteger contra infecções. Outros efeitos possíveis com a ingestão contínua do probiótico para mulheres é a redução de gases, inchaços e constipações, o que ocorre com a melhora da flora intestinal.

Ao pensar em um produto feito especialmente para mulheres, é normal imaginar que ele seja um pouco mais caro que o normal, mas esse não é o caso. O preço é muito barato.

Guia de Compras: O que você deve saber sobre os probióticos

Os termos “bactérias” e “microrganismos” nos levam a pensar imediatamente em doença. No entanto, existem micróbios benéficos para a nossa saúde que fazem parte da flora normal dos seres humanos saudáveis. Se a nossa microbiota (flora) normal morre, podemos restaurá-la usando suplementos probióticos.

Mulher retirando vidro de iogurte da geladeira

Onde armazenar seus probióticos? Recomenda-se colocá-los na geladeira, junto aos iogurtes e outros laticínios.(Fonte: Om: 25864227/ 123rf.com)

O que é um probiótico?

Um probiótico é um tipo de suplemento que contém microrganismos vivos (bactérias ou leveduras) com a capacidade de gerar efeitos benéficos. As bactérias mais popularmente usadas como suplementos probióticos são aquelas pertencentes aos gêneros (classes bacterianas) Lactobacillus e Bifidobacterium.

Um erro comum é confundir esses artigos com os chamados suplementos prebióticos. Prebióticos são compostos não vivos que ajudam ou colaboram na formação de um ambiente adequado para o crescimento de uma microbiota saudável. Eles são compostos de carboidratos que fornecem energia para a flora normal.

Quais critérios um suplemento deve cumprir para ser considerado um probiótico?

Não é possível usar nenhuma bactéria presente no nosso organismo para criar um suplemento probiótico. O uso indiscriminado de certas espécies microbianas não oferece nenhum benefício e, “no pior dos casos”, pode ser uma ameaça à saúde. Um probiótico deve atender aos seguintes critérios antes de poder ser comercializado:

  • Evidência científica: É necessário que a eficácia do protobiótico tenha sido validada por estudos científicos de qualidade.
  • Segurança: Os microrganismos do probiótico não podem, sob nenhuma circunstância, tornar-se agressivos e causar infecções em uma pessoa saudável.
  • Vitalidade: Depois de encapsular o produto, as bactérias ou leveduras do probiótico devem permanecer vivas.
  • Sobrevivência: Será necessário que pelo menos metade dos microrganismos probióticos sobreviva à ingestão, digestão ou aplicação do produto, chegando vivos ao seu destino.
  • Estabilidade: Os organismos microscópicos contidos no probiótico devem permanecer vivos depois de embalados e permanecer ativos até a data de validade do produto.
  • Cepa adequada: Cada espécie bacteriana é dividida em diferentes “cepas” ou subtipos (pense em diferentes membros da mesma família). Será essencial escolher uma cepa ativa e com ações favoráveis. Por exemplo, a cepa 431 da espécie L. casei (L. casei 431 ®).
  • Etiqueta: Informações probióticas devem aparecer em um rótulo visível, com informações verdadeiras que sejam fáceis de ler e entender.

O uso de probióticos se tornou popular, com vários laboratórios farmacêuticos desenvolvendo novas cepas que prometem efeitos maravilhosos. Infelizmente, essas bactérias nem sempre satisfazem as condições que um probiótico de qualidade deve satisfazer. Aprenda com cuidado antes de decidir sobre um produto específico.

Uma colher de pau cheia de kefir

O kefir é um alimento rico em probióticos.(Fonte: Zidar: 34037457/ 123rf.com)

Que benefícios os probióticos me trazem?

Os probióticos oferecem uma variedade de benefícios, que dependem em grande parte do tipo de cepa usada em cada suplemento. Uma vez que os microrganismos se instalem na área “alvo” (podem ser a boca, o estômago, o intestino e até mesmo o trato genital feminino), eles começarão a nos trazer as seguintes vantagens:

  • Digestões leves e mais rápidas
  • Diminuição de flatulências
  • Melhoria do trânsito intestinal
  • Redução do perímetro abdominal
  • Normalização do peso e dos níveis de colesterol no sangue
  • Menor incidência de infecções
  • Menor incidência de processos alérgicos
  • Melhoria de sintomas de ansiedade
  • Aumento dos níveis de ácido fólico, cianocobalamina e vitamina K
  • Aumento da fertilidade (em mulheres)
  • Diminuição da dor associada à menstruação

Se usarmos um suplemento probiótico com numerosas espécies bacterianas, melhoraremos nossa qualidade de vida em geral. Se quisermos resolver problemas específicos, é aconselhável escolher um probiótico com cepas específicas. Por exemplo, existem artigos destinados a perder peso ou a melhorar as defesas contra a infecção.

Jesús SanchisNutricionista

“A ingestão de probióticos (ou melhor dizendo, a melhoria da integridade do epitélio e do ecossistema intestinal) pode ajudar a reverter as alterações imunológicas e metabólicas associadas à obesidade.”

Que tipos de probióticos existem?

Existem centenas de probióticos diferentes, assim como muitas combinações possíveis de microrganismos. Conhecer bem os sintomas que você deseja tratar ajudará você a escolher um produto que ofereça o máximo de benefícios. Consulte a tabela abaixo para escolher um probiótico de acordo com suas necessidades:

Sintoma a tratar Probióticos recomendados (bactéria e cepa)
Diarreia aguda (associada à gastroenterite) Lactobacillus reuteri DSM 17938, Lactobacillus reuteri ATCC 55730, Lactobacillus rhamnosus GG, Lactobacillus casei DN-114 001, Saccharomyces cerevisiae boulardii CNCM I-7454 y Lactobacillus gasseri CP2305
Diarreia (depois do uso de medicamentos) Lactobacillus rhamnosus GG y Saccharomyces cerevisiae boulardii CNCM I-745
Acidez de estomago (infecção por Helicobacter pylori) Lactobacillus johnsonii LA1 e Lactobacillus gasseri OLL2716
Constipação Lactobacillus reuteri DSM 17938, Lactobacillus reuteri ATCC 55730, Lactobacillus rhamnosus GG, Propionibacterium freudenreichii CIRM-BIA 129 e Lactobacillus gasseri CP2305
Síndrome do intestino irritado Lactobacillus acidophilus AD031, Lactobacillus acidophilus SDC 2012,2013, Lactobacillus casei DG, Lactobacillus plantarum 299v e Bifidobacterium longum NCC3001
Resfriado comum e infecções virais Lactobacillus casei Shirota y Streptococcus salivarius K12
Caries e problemas de gengiva Streptococcus salivarius M18
Sobrepeso e colesterol alto Lactobacillus gasseri BNR17, Lactobacillus gasseri SBT2055 e Bifidobacterium animalis
GCL2505
Sintomas depressivos Bifidobacterium longum NCC3001
Sintomas de ansiedade Lactobacillus gasseri CP2305, Lactobacillus rhamnosus NCC4007 e Bifidobacterium longum NCC3001

Esta tabela é apenas uma pequena amostra do incrível mundo dos probióticos. Se você quiser tratar outros problemas mais específicos (por exemplo, distúrbios menstruais, diverticulite ou doença de Crohn), você deve consultar um profissional de saúde para ajudá-lo a escolher o suplemento mais adequado para você.

Como devo tomar meu suplemento probiótico?

Os probióticos contêm microrganismos vivos. Por isso, devemos seguir uma série de diretrizes específicas para garantir a vitalidade dessas células. Caso contrário, estaremos ingerindo centenas de bactérias mortas ou enfraquecidas, incapazes de nos ajudar. Siga o nosso conselho para tirar o máximo de proveito do seu probiótico:

  • Quando? Pode ser tomado a qualquer momento. Se você usar um probiótico para melhorar a digestão, é recomendável que você tome cerca de meia hora antes das refeições.
  • Como? Você pode tomar o suplemento apenas com água ou junto com a comida. No entanto, não ingira com alimentos ácidos nem líquidos muito quentes. Calor e ácido podem destruir os microrganismos probióticos.
  • Quanto? Cada probiótico tem uma dose certa, que estará em seu rótulo. Para pessoas que usam probióticos pela primeira vez, se aconselha uma dose diária máxima de 15 bilhões de unidades formadoras de colônias (UFC).

A medicação pode representar um desafio extra quando se trata de suplementação com probióticos. Se você tomar antibióticos, tenha em mente que eles são prejudiciais aos microrganismos probióticos. Aconselhamos que você espere no mínimo duas horas entre tomar seus medicamentos e seu probiótico.

Dra. Whitney BoweDermatologista

” Comece com um probiótico que contenha de 10 a 15 bilhões de UFC e vá aumentando a dose, pois você poderá sentir algum inchaço ao voltar a colonizar seu intestino.”

Como devo conservar suplementos probióticos?

Como prolongar a vida desses microrganismos tão apreciados? Especialistas aconselham armazenar seus probióticos em baixas temperaturas. O frio da geladeira (nunca o do congelador!) diminuirá o metabolismo das bactérias e prolongará sua vida útil. O calor e a exposição à luz solar terão o efeito contrário.

Por outro lado, não se esqueça do prazo de validade deste suplemento. Embora você possa ser mais “permissivo” com a data de vencimento dos elementos inertes (como minerais ou vitaminas), os probióticos só serão eficazes enquanto mantêm sua vitalidade, que desaparecerá logo após a data de validade.

Frasco de suplemento lacrado

Seu suplemento probiótico deve estar perfeitamente lacrado. Um selo de proteção intacto é indispensável.(Fonte: Boonpeng: 61822789/ 123rf.com)

Que efeitos secundários têm os probióticos?

Os efeitos colaterais mais comuns associados ao uso de probióticos são derivados do rápido crescimento da microbiota. Pessoas que usarem este tipo de suplemento pela primeira vez podem apresentar inchaço abdominal, flatulência e sensação de peso no estômago. Estes sintomas irão desaparecer progressivamente com o uso continuado.

Em casos mais raros, os probióticos são capazes de gerar infecções graves. Essa complicação aparece de maneira incomum em pessoas afetadas por algum tipo de déficit imunológico ou com um sistema imunológico pouco desenvolvido.

Se você é uma pessoa saudável no geral, o uso de probióticos provavelmente não lhe causará nenhuma complicação.

Andreu PradosFarmacêutico e nutricionista

“Antes de usar um probiótico, certifique-se de que a indicação para a qual você o usa é apoiada por ensaios clínicos bem feitos. É sempre conveniente considerar individualmente o risco/benefício do seu uso em cada pessoa depois de obter a aprovação do seu médico e/ou farmacêutico”.

Quais são as contraindicações dos probióticos?

Existem vários estudos que avaliaram a segurança dos probióticos durante anos. Embora os resultados sugiram que esses suplementos sejam seguros para o consumo humano, mesmo em doses elevadas, recomenda-se precaução especial e exame médico antes de pessoas pertencentes a qualquer um desses grupos usarem o produto:

  • Indivíduos imunodeprimidos: Nos casos de imunossupressão secundária a infecção por HIV, transplantes ou alterações genéticas, o uso de probióticos é desencorajado. Neste caso, o microrganismo pode desencadear septicemia (infecção grave disseminada por todo o corpo).
  • Bebês: Existem probióticos especialmente projetados para aliviar a diarreia de bebês. No entanto, casos específicos de sepse (doença grave desencadeada por inflamação que se espalha pelo organismo diante de uma infecção) foram descritos em recém-nascidos gravemente doentes. Portanto, é aconselhável que o uso de probióticos em crianças seja acompanhado de perto por um pediatra.
  • Grávidas e mulheres em período de amamentação: Embora existam artigos orientados ao uso por mulheres grávidas, geralmente é aconselhável consultar o médico antes de adicionar qualquer suplemento à dieta de mulheres grávidas ou lactantes.
  • Pessoas com implantes de válvula cardíaca: Alguns estudos mostram casos de endocardite (infecção grave que afeta o coração) causada pela colonização de válvulas artificiais por microrganismos probióticos. Aconselha-se precaução ao utilizar estes produtos entre pessoas submetidas a cirurgias cardíacas.

Infecções causadas pelo uso de probiota são pouco comuns. No entanto, suas repercussões (sepse, endocardite e invasão fúngica) são potencialmente graves. Para evitar complicações derivadas da ingestão de probióticos, consulte seu médico regularmente e escolha cepas cuja eficácia tenha sido confirmada pelos especialistas.

Mulher de roupão branco se olhando no espelho

Depois que você toma seu probiótico, podem aparecer reações alérgicas, como coceira repentina e inflamação na pele.(Fonte: Popov: 39679362/ 123rf.com)

Quanto custam os suplementos probióticos?

Probióticos têm um preço moderado. A maioria dos artigos tem um custo que varia entre 60 e 100 reais. A principal diferença será no número de cápsulas ou comprimidos por frasco. Alguns laboratórios são mais generosos e oferecem até 180 comprimidos por caixa, permitindo a suplementação por vários meses.

Será necessário levar em conta outros fatores que aumentam o preço do probiótico. Por exemplo, a qualidade do recipiente e o uso de cápsulas vegetarianas aumentará o custo do item. Da mesma forma, os fabricantes que usam cepas exclusivas, desenvolvidas em seus próprios laboratórios, vendem seus probióticos a um preço mais alto.

O que é a microbiota?

A microbiota é composta de bactérias e leveduras que habitam a pele, o intestino e até o trato genital de humanos saudáveis. Sua presença impede a colonização por germes patogênicos e proporciona uma série de benefícios como, por exemplo, digestão mais leve ou síntese de algumas vitaminas.

Mulher praticando corrida na natureza

Os probióticos são essenciais para nosso bem-estar físico e mental.(Fonte: Gojda: 47838189/ 123rf.com)

Os estudos parecem confirmar que o desenvolvimento da microbiota começa após algumas horas de vida. Durante o parto, a criança entra em contato com a flora materna e com microrganismos presentes no ambiente externo. Estas bactérias e leveduras colonizarão o recém-nascido e darão origem a uma microbiota única e pessoal.

A microbiota se fixará nas superfícies e membranas mucosas que estão em contato com o ambiente externo. Desta forma, falamos de microbiota cutânea, intestinal, vaginal, oral e até ocular. A flora intestinal afeta o bem-estar de todo o organismo, sendo especialmente interessante do ponto de vista da suplementação.

Que microrganismos fazem parte da microbiota intestinal normal?

A microbiota intestinal é composta de bilhões de bactérias diferentes. Genética individual, dieta e fatores ambientais condicionam o número e a variabilidade das espécies microbianas que habitam o trato intestinal de cada pessoa. É possível distinguir entre três divisões bacterianas (três filos) principais:

  • Fimicutes: Até 70% dos microrganismos da microbiota normal pertencem a esta divisão. Entre eles encontramos a bactéria Lactobacillus, sendo a mais conhecida a Lactobacillus casei (L-casei inmunitas).
  • Bacteroidetes: Eles compõem 20% da microbiota normal. As bactérias mais conhecidas desta divisão são aquelas pertencentes ao gênero Bacteroides (Bacteroides fragilis, Bacteroides ovatus e Bacteroides dorei).
  • Actinobacteria: Embora este filo seja encontrado em uma proporção menor (5%) em comparação com o resto, ele contém as indispensáveis Bifidobactérias (“Bifidus Ativos”).

Tem sido demonstrado que pessoas obesas, por exemplo, têm uma proporção maior de Firmicutes do que o normal. Isso levou especialistas a concluir que a proporção dessas divisões bacterianas, e não apenas a quantidade total de micróbios, confere à “flora” intestinal uma certa capacidade de regular o metabolismo.

Travessa de comida sobre a mesa

Os alimentos fermentados são ricos em probióticos.(Fonte: Madeleinesteinbach: 90447295/ 123rf.com)

Quais são as funções da microbiota intestinal?

As funções da microbiota intestinal não se limitam ao estômago e ao intestino. Os estudos mais recentes descobriram que os efeitos dessas benéficas bactérias se estendem a todo o organismo. Até agora, são conhecidos cinco processos diferentes que dependem da microbiota intestinal:

  • Defesa contra bactérias malignas (patógenos): A presença da microbiota intestinal previne ou dificulta a colonização do sistema gastrointestinal por bactérias patogênicas capazes de causar infecções.
  • Regulação da imunidade e de inflamações: Observou-se que algumas espécies bacterianas da microbiota são capazes de induzir a resposta imune do organismo, atenuando a resposta inflamatória e prevenindo o surgimento de alergias e intolerâncias.
  • Metabolismo e digestão: Os seres humanos são capazes de digerir certos compostos presentes nos alimentos, como os amidos, graças às bactérias da flora intestinal. Além disso, a microbiota intervém na síntese de compostos essenciais para o ser humano: biotina, ácido fólico e vitamina K.
  • Interação com fármacos e substâncias tóxicas: A microbiota também é capaz de interagir com drogas e substâncias tóxicas, alterando sua função e até mesmo inativando-as por completo.
  • Neuromodulação (eixo “microbiota-intestino-cérebro”): O intestino tem uma rede neural complexa que está em contato direto com o cérebro. A microbiota intervém nessa relação, regulando a produção de substâncias químicas vitais para o funcionamento normal do sistema nervoso.

Uma microbiota diversificada é necessária para que todos esses processos possam ser realizados. Cada espécie bacteriana tem uma ou várias funções diferentes que agem em harmonia com o restante da microbiota.

A seguir você pode consultar uma tabela que relaciona as principais bactérias com seus efeitos mais relevantes:

Bactéria Filo ou divisão Função
Bacteroides fragilis Bacteroidetes Defesa contra bactérias malignas
Bacteroides melaninogenicus Bacteroidetes Defesa contra bactérias malignas
Bacteroides oralis Bacteroidetes Defesa contra bactérias malignas, metabolismo e digestão
Bifidobacterium bifidum Actinobacteria Defesa contra bactérias malignas, regulação da imunidade e da inflamação, metabolismo e digestão
Lactobacillus Fimicutes Defesa contra bactérias malignas, metabolismo, digestão e neuromodulação
Prevotella Bacteroidetes Defesa contra bactérias malignas, metabolismo e digestão

Quais fatores afetam a composição da microbiota intestinal?

Há um grande número de fatores que afetam a composição e a variabilidade da microbiota de cada indivíduo, proporcionando a cada pessoa uma flora intestinal individualizada. Na lista abaixo estão resumidas as principais características capazes de alterar o número e a proporção de bactérias intestinais:

  • Anatomia: O estado do trato digestivo (por exemplo, alterações na produção de ácidos gástricos ou da bílis) determinará o tipo de bactéria que se tornará parte da microbiota normal.
  • Genética: Uma microbiota semelhante foi encontrada entre pessoas da mesma família, especialmente entre irmãos gêmeos.
  • Idade: As crianças têm uma microbiota menos diversificada. Ao longo da vida, vão aparecendo novas espécies que se tornam parte da flora intestinal.
  • Dieta: Dietas extremas (como as puramente “carnívoras” ou as estritamente vegetarianas) causarão o desaparecimento de algumas espécies comumente encontradas na microbiota de pessoas que seguem dietas variadas. O uso de adoçantes também afeta negativamente o estado das bactérias intestinais.
  • Medicação: O uso de antibióticos indiscriminadamente irá destruir grande parte da microbiota.
  • Substâncias tóxicas: O tabaco é capaz de induzir mudanças na variabilidade da microbiota normal.
  • Estresse, ansiedade e depressão: Estresse emocional e outros transtornos mentais são acompanhados por alterações na microbiota. Discute-se se a alteração da microbiota é causada pelo sofrimento emocional, ou vice-versa.

Quanto mais distante a composição da microbiota de uma pessoa das porcentagens “ideais”, maior a probabilidade de ela sofrer desequilíbrios metabólicos no longo prazo. Por exemplo, um aumento exagerado de Bacteroides fragilis fará com que esse microrganismo inicialmente inofensivo se torne patogênico e cause infecções, como apendicite.

Mais uma vez, não devemos esquecer a importância da dieta para a nossa saúde. Se uma dieta inadequada é seguida, com abundantes gorduras, açúcares e adoçantes, as diferentes populações da microbiota serão alteradas em número e proporção. Isto favorecerá o aparecimento de diferentes doenças.

foco

Você sabia que, embora o termo flora intestinal seja muito popular, não é correto? Os especialistas recomendam usar o termo microbiota para se referir a esses microrganismos (que não pertencem ao reino vegetal).

Quais consequências pode ter o desequilíbrio da microbiota intestinal?

Quando a composição da microbiota intestinal se afasta do que é considerado um equilíbrio bacteriano saudável em pessoas saudáveis, falamos em disbiose intestinal. Esta alteração causa uma deterioração na saúde a longo prazo. As principais manifestações desse desequilíbrio são as seguintes:

  • Alterações na digestão: Isso impede o processo de digestão de alguns compostos, como a fibra. O que, por sua vez, pode causar o aparecimento de desconforto abdominal, diarreia, constipação e flatulência.
  • Sobrepeso e obesidade: Tem sido observado que dietas ricas em açúcar e gordura causam um aumento nos níveis de bactérias do filo Bacteroidetes. Estas bactérias aumentam a absorção de gorduras, o que contribuirá para o aparecimento de excesso de peso, obesidade, hipertensão e elevação dos níveis de colesterol no sangue.
  • Infecções do trato digestivo: A disbiose intestinal favorecerá o crescimento de bactérias patogênicas ou oportunistas (microrganismos normalmente inofensivos que se aproveitam da fraqueza das defesas para se tornarem agressivas) que causam gastroenterite, diarreia e até mesmo colite.
  • Inflamação: Está provado que o desequilíbrio da microbiota causa um estado de inflamação constante. Isso pode ter consequências desagradáveis, como flatulência e inchaço abdominal, mas também está associado a repercussões mais graves, como o aumento da incidência de câncer de cólon.
  • Alterações do sistema nervoso: A disbiose produzirá uma alteração no eixo microbiota-intestino-cérebro, provocando e favorecendo todos os tipos de doenças do sistema nervoso: ansiedade, depressão, insônia, entre outras.

Durante anos, a importância das bactérias intestinais na saúde humana tem sido subestimada, e alguns tratamentos com antibióticos foram utilizados com pouca prudência. Isso favoreceu o surgimento da disbiose e, com ela, a apresentação de doenças “atuais”: obesidade, diabetes, hipercolesterolemia e hipertensão.

Como posso melhorar o desenvolvimento da minha microbiota intestinal?

A microbiota intestinal coexiste em nosso corpo em um equilíbrio delicado. Segundo especialistas, essas bactérias se movem “entre resiliência e fragilidade”. Se queremos promover o desenvolvimento adequado de nossa flora e evitar a proliferação de patógenos, devemos prestar atenção aos seguintes fatores:

  • Dieta equilibrada: Segundo especialistas, uma dieta com poucas gorduras e açúcares favorecerá o desenvolvimento de uma microbiota equilibrada. Também é aconselhável seguir uma dieta onívora. Veganos, vegetarianos e carnívoros rigorosos devem ter mais cuidado do que o normal para manter sua flora intestinal em bom estado.
  • Evitar edulcorantes e poliálcoois: Muitas pessoas adicionam adoçantes à sua dieta (como stévia ou sacarose) para diminuir a ingestão de açúcares livres. No entanto, tem sido associado a esses produtos o aparecimento de disbiose intestinal. É muito mais saudável se acostumar a uma dieta sem açúcar ou adoçantes.
  • Aumentar o consumo de fibras e alimentos fermentados: A fibra favorece o desenvolvimento de muitas espécies pertencentes à microbiota. Além disso, os produtos fermentados (iogurte, kefir, miso e kimchi) contêm microrganismos benéficos que reforçam a “flora” intestinal, uma vez ingerida.
  • Abandonar o álcool, o tabaco e outros tóxicos: Foi comprovado que estas substâncias tóxicas alteram e destroem a microbiota. Abandonar o consumo destes trará enormes benefícios que vão além do bem-estar intestinal.
  • Adotar uma rotina de alimentação, descanso e esportes: Comer em horas fixas também favorece o equilíbrio da microbiota. O sono regular e a prática de esportes favorecem a manutenção de um estilo de vida saudável, criando um ambiente favorável para o crescimento da flora intestinal.
  • Utilizar medicamentos somente com prescrição médica: Antibióticos e, em menor medida, outros fármacos, como anticonvulsivos e antipsicóticos, causam alterações no equilíbrio da microbiota. Sempre consulte um profissional de saúde antes de tomar qualquer medicação.

Se as medidas anteriores falharem ou se você souber que sua flora intestinal será irremediavelmente destruída (devido à necessidade, por exemplo, de tomar um tratamento antibiótico muito poderoso), aconselhamos a considerar a introdução de um probiótico.

Continue lendo para saber mais sobre esses suplementos que podem “ressuscitar” sua microbiota.

Critérios de Compra

Pode ser difícil escolher um probiótico adequado. Não se preocupe: as informações na primeira parte do nosso Guia permitirão que você decida qual a cepa probiótica mais apropriada para você. A seguir, nossos Critérios de Compra permitirão que você escolha o melhor item disponível, levando em consideração as seguintes características:

  • Nutrição vegana ou vegetariana
  • Intolerâncias e alergias
  • Número de espécies microbianas
  • Embalagem
  • Quantidade de UFC
  • Relação custo-benefício

Nutrição vegana ou vegetariana

Muitos probióticos contêm um substrato (material de cultura) de origem animal. O leite ou seus derivados são frequentemente usados para promover o desenvolvimento desses micróbios. Portanto, lembre-se de procurar o selo vegano em seu suplemento para garantir que ele seja fabricado inteiramente a partir de fontes vegetais.

Outra característica a ter em conta é a composição da cápsula. Os comprimidos com uma cobertura composta de gelatina não são adequados para vegetarianos ou para veganos, uma vez que este material é sintetizado a partir de colágeno animal. Felizmente, existem cápsulas veganas feitas de celulose.

foco

Você sabia que as cápsulas vegetais são feitas de hidroxipropilmetilcelulose, uma modificação da celulose de origem natural? Esta substância é utilizada na indústria farmacêutica, alimentícia e cosmética.

Intolerâncias e alergias

É possível que o seu probiótico tenha sido fabricado em uma indústria que usa glúten, nozes, peixe ou lactose. Se você tem intolerância a qualquer um desses produtos, procure um artigo que especifique em sua rotulagem a ausência desses alérgenos.

Consulte o seu médico se houver algum sintoma inesperado após tomar o seu suplemento.

Número de espécies microbianas

Seu suplemento probiótico pode conter uma única espécie bacteriana (por exemplo, Bifidobacterium animalis) ou vários gêneros em um único comprimido (por exemplo, Bifidobacterium animalis e diferentes espécies de Lactobacillus). Alguns estudos consideram que o uso de uma única bactéria é a estratégia mais eficaz.

Probióticos que contêm diferentes espécies bacterianas são considerados melhores na prevenção de infecções, mas se um efeito específico é desejado, é aconselhável procurar por cepas mais específicas. Por exemplo, o uso de Bifidobacterium animalis para tratar a obesidade será mais eficaz do que tomar um probiótico com várias espécies.

foco

Você sabia que as bactérias competem umas com as outras pelo mesmo substrato (oxigênio e comida)? Se um probiótico com vários microrganismos é usado, é crucial que eles sejam capazes de cooperar uns com os outros. Caso contrário, o suplemento perderá eficácia.

Embalagem

Probióticos são suplementos muito delicados. Portanto, é crucial que você examine cuidadosamente a embalagem de seu item antes da compra.

Descarte qualquer recipiente danificado. Se o ar ou a luz penetrarem no recipiente, os microrganismos podem morrer ou se enfraquecer.

Quantidade de UFC

Seu suplemento deve conter um número suficiente de bactérias probióticas (medidas em Unidades Formadoras de Colônias, UFC). Levando em conta que uma parte dos microrganismos morre durante a embalagem e a ingestão, será necessário usar uma quantidade alta de UFC (cerca de 10 a 15 bilhões) para garantir sua eficácia.

View this post on Instagram

Boa noite! Lanche da noite 👉🏻Leite fermentado (probióticos), eles são organismo vivos que proporcionam alguns benefícios para a saúde humana: ajudam no controle do colesterol, aumentam a imunidade e protegem a microbiota intestinal de patógenos. 💪❤️ #tododiaédia #devagaresempre #habitossaudaveis #bonshabitos #alimentacaosaudavel #nutricionistafortaleza #nutricionista #nutrição #qualidadedevida #probioticos #saúde #emagrecercomsaude #planoalimentar #dietasemsofrer #dieta #healthy #healthylifestyle #nutricaocomamor #treino #lanchedamanha #lanche #nutrir #semterrorismonutricional #nutricaocomciencia #projetovidao #projetovidão #bodypositive #dicasdanutri

A post shared by Nutricionista Fortaleza,CE (@nutricionistapatriciacastro) on

Relação custo-benefício

Normalmente, esses artigos contêm recipientes com 30 ou mais cápsulas. Se levarmos em conta que os efeitos benéficos aparecem aproximadamente após um mês de uso, será aconselhável que você adquira um suplemento de tamanho “econômico” que lhe permita tomar os probióticos por dois meses ou mais.

Resumo

A introdução de probióticos em sua dieta ajudará a melhorar sua qualidade de vida. Esses microrganismos fortalecerão suas defesas e aliviarão seu desconforto gastrointestinal. Se você cuida do exterior de seu corpo através de exercícios e cosméticos, por que não adicionar os probióticos à sua rotina e reforçar sua saúde interna?

Esses itens exigem medidas de conservação muito mais cuidadoras quando comparados a outros suplementos, como vitaminas ou minerais. No entanto, seus benefícios estão entre os mais altos entre qualquer tipo de suplemento. Não hesite e aproveite todas as vantagens oferecidas pelos probióticos.

Esperamos que este artigo sobre probióticos tenha sido útil para você. Adoraríamos ler seus comentários. E, se você gostou, compartilhe!

(Fonte da imagem destacada: Zidar: 32277956/ 123rf.com)

Avalie esse artigo

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
61 Voto(s), Média: 4,61 de 5
Loading...