Ultima atualização: 12 de junho de 2020

Como escolhemos

20Produtos analisados

31Horas investidas

29Estudos avaliados

78Comentários coletados

Vivemos em uma sociedade cansada. O estilo de vida, orientado para a produtividade e competitividade, faz com que as pessoas se sintam exaustas. Mas, tem alguma forma de não estar sempre cansado? Existe algum produto capaz de fornecer mais energia? Se você está pensando em comprar uma vitamina para cansaço, não deixe de ler este artigo.

No mercado, existe uma infinidade de produtos comercializados com o objetivo de preservar ou aumentar os níveis de energia. O certo é que nem todos os especialistas estão de acordo com estas afirmações. Nas seguintes linhas, vamos analisar estes produtos, desmentir mitos e falar de outras alternativas às vitaminas para cansaço. Vamos lá!

O mais importante

  • A fadiga é um sintoma normal que ocorre após esforços ou no final do dia. A fadiga é um cansaço doentio, que não é aliviado com o descanso.
  • As deficiências de vitamina podem causar fadiga, bem como as infecções, desordens metabólicas e transtornos emocionais.
  • Embora os suplementos mais populares para o cansaço sejam as multivitaminas, também podemos recorrer às cápsulas de probióticos, ginseng ou ômega 3.

Vitaminas para cansaço: Os melhores suplementos

É muito difícil encontrar uma vitamina para cansaço online. Isso porque existem muitos produtos que prometem aumentar os níveis de energia, mas, são realmente efetivos e seguros? Depois de revisar muitas opções de suplementos, criamos esta lista com os nossos favoritos. Dê uma olhada:

O melhor multivitamínico para cansaço

O multivitamínico da Max Titanium fornece 100% da ingestão diária recomendada de 21 diferentes nutrientes. Em uma embalagem com 90 cápsulas, a dose recomendada é 3 cápsulas por dia, durando 1 mês. Ajuda a prevenir a fadiga por todas as vitaminas e minerais inclusos.

Um ótimo produto de ômega 3 para cansaço

As cápsulas de ômega 3 são ótimas para melhorar a fadiga e fundamentais para uma rotina saudável. Esta versão com 180 cápsulas contém 100mg por cápsula, com concentração de EPA e DHA. É um produto de alta qualidade e muito bem recomendado.

O melhor e mais completo probiótico

Os probióticos geralmente são utilizados para a saúde intestinal. No entanto, algumas classes de bactérias são benéficas para a fadiga. Este produto na Nutrition Now é bem completo e fornece muitos benefícios. Em uma embalagem com 120 comprimidos, o consumo indicado é 2 por porção, assim, dura 60 dias.

As melhores cápsulas de ginseng para o cansaço

Este suplemento de ginseng com astragalus da Vitafor é fundamental para uma vida mais saudável. Além de ajudar com a fadiga, também pode melhorar a imunidade. Está disponível em uma embalagem com 60 cápsulas com 400mg cada.

Vitaminas para cansaço: Tudo que você precisa saber

Muitas pessoas recorrem aos suplementos de vitamina para lutar contra o cansaço. O certo é que a fadiga, quando aparece, exige um cuidado e suplementação prudente e adequados. Utilizar um complemento alimentar de forma inadequada pode dificultar o diagnóstico de doenças graves ou, inclusive, causar intoxicação.

doctor with a patient

Antes de utilizar vitaminas para cansaço, é necessário fazer uma análise prévia. (Fonte: Suria: 100733622 / 123rf.com)

Cansaço, sonolência e fadiga: no que se diferenciam?

Quando você sentir que seus níveis de energia estão mais baixos que o normal, é possível que você sinta cansaço, fadiga ou sonolência. No entanto, é importante saber que existem algumas diferenças entre estes sintomas.

Conhecê-los pode te ajudar a identificar melhor o que está acontecendo:

  • O cansaço é um sintoma fisiológico (normal) que afeta todas as pessoas em maior ou menor medida. Geralmente aparecem como resultado de alguma atividade intensa. Desaparece após algumas horas de descanso (1).
  • A sonolência é uma necessidade de dormir mais intensa que o normal. Pode aparecer de forma fisiológica se você ficar muito tempo sem dormir, como consequência do uso de alguns medicamentos ou efeito de alguma doença ou infecção. Existem doenças que o sono é o principal sintoma (2).
  • A fadiga é considerada por especialistas como um cansaço doentio. O indivíduo que sofre com este problema se esgota rapidamente após qualquer atividade física ou intelectual, sendo impedido de levar uma vida normal. Geralmente, não melhora depois de uma boa noite de sono, já que depende de fatores físicos, emocionais e psicológicos (3).

Além disso, a fadiga pode se manifestar com sintomas físicos (dificuldade de locomoção, intolerância ao exercício, tontura e desconforto), psicológicos (problemas de concentração, falhas de memória e depressão) ou ambos os problemas.

Também pode ser associada a insônia ou dores musculares. Dependendo da idade, sexo e grupo populacional, você pode precisar de um cuidado mais intenso com a sua saúde. Não deixe de consultar seu médico com frequência.

Dra. Nerina Ramlakhan (Inglaterra)Terapeuta do sono

“Se você se hidrata adequadamente, as células do seu corpo poderão funcionar de forma mais eficiente, elevando seus níveis de energia.”

O cansaço e a dieta: o que comer para ter mais energia?

Você segue uma dieta equilibrada? Tem uma alimentação baseada no consumo de frutas e legumes ou come muita besteira? Hoje em dia, “comer bem” é um verdadeiro desafio. Alguns erros na dieta podem estar tirando sua energia:

  • Sua ingestão de alimentos processados é excessiva. Os alimentos processados são ricos em sal, açúcar e gordura. Seu conteúdo de vitaminas, antioxidantes e fibras é deficiente. Se você basear sua alimentação nestes alimentos, além de causar sobrepeso, pode afetar drasticamente nos seus níveis de energia (4).
  • Abuso da cafeína. Muitas pessoas não se atrevem a imaginar como seria começar o dia sem uma xícara de café. No entanto, abusar desta substância ao longo do dia vai interferir no seu descanso noturno. Cedo ou tarde sua saúde, e sua energia, vão pedir socorro (5).
  • Não comer o suficiente. Se você está de dieta ou tem um trabalho exigente, é possível que pule o café da manhã, almoço ou jantar. Você pode também ter parado te consumir algum nutriente (como carboidratos). A falta de calorias e nutrientes pode acabar com suas reservas de energia (8).
  • Não beber água. A desidratação leve pode se manifestar como uma sensação de cansaço. Se você não beber uma quantidade adequada de água, pode sentir menos energia que o normal, devido a falta de hidratação (6, 7):
Grupo populacional Ingestão de água diária recomendada*
Bebês de 0 a 6 meses 100 – 190ml por kg de peso
Bebês de 6 a 12 meses 800 – 1000 ml
Crianças de 2 a 4 anos 1,1 – 1,6l
Crianças de 4 a 8 anos 1,6l
Meninas de 9 a 13 anos 1,9l
Meninos de 9 a 13 anos 2,1l
Mulheres maiores de 14 anos 2 – 3,1l
Mulheres grávidas 2,3 – 3,4l 
Mulheres amamentando 2,7 – 3,8l
Homens maiores de 14 anos 2,5 – 4l

* Inclui água, bebidas e líquido contido nos alimentos. Para simplificar, é recomendado a ingestão de 8 copos de água por dia.

Para evitar o cansaço e a fadiga, evite cometer estes erros. Sua saúde e seus níveis de energia vão melhorar muito se você seguir uma dieta equilibrada e bem planejada, que forneça nutrição a hidratação adequadas para o dia a dia.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), uma dieta saudável deve incluir frutas e legumes, carnes magras, oleaginosas e grão integrais. Além disso, limitar o consumo de açúcar, sal e gorduras saturadas.

Não existe nenhuma “dieta milagrosa” contra o cansaço, os especialistas recomendam apenas uma alimentação da forma mais equilibrada possível (12).

girl drinking water

Hidratar-se de forma adequada ajuda a prevenir a fadiga. (Fonte: Serezniy: 107467285 / 123rf.com)

Descanso, exercícios e saúde mental: sua rotina contra o cansaço

Outro aspecto, muitas vezes ignorado, é o auto cuidado. Hábitos importantes como o exercício (para a saúde e como ferramenta para entrar em forma), o descanso e o cuidado com a saúde mental interferem diretamente na qualidade de vida.

Alguns hábitos podem melhorar o cansaço, a fadiga e sonolência:

  • Sete horas de sono: A maioria dos adultos exige um mínimo de sete ou oito horas de descanso noturno. Dormir menos do recomendado pode reduzir seus níveis de energia e predispor doenças metabólicas, como a diabetes (13).
  • Energia em movimento: Quando você se sente cansado, se mexe menos. No entanto, foi observado que o exercício leve pode beneficiar pessoas que sofrem de fadiga crônica (14). Se a sua saúde permitir, tente incluir algum exercício leve em sua rotina, comece com 5 minutos por dia, vai ajudar muito!
  • Mente sã, corpo são: Você sabia que a fadiga pode ser um sintoma de ansiedade ou depressão? Se você estar aparentemente saudável, mas não consegue levantar da cama pela manhã, consulte um médico ou psicólogo. Esta decisão pode te ajudar a resolver conflitos internos e devolver a alegria de viver (15).

Os suplementos e o cansaço: Mitos e verdades

Muitas pessoas procuram nos suplementos um remédio para o cansaço. No mercado, existem todos os tipos de produtos que prometem melhorar o rendimento físico ou mental, eliminar o cansaço e devolver a vitalidade.

Na próxima seção, vamos avaliar os suplementos para cansaço mais populares e vamos ver o grau de certeza dessas afirmações.

girl sleepy

Os transtornos depressivos e ansiosos também podem se manifestar como cansaço. (Fonte: Wavebreak Media Ltd: 72782427 / 123rf.com)

Vitaminas e minerais para cansaço: realmente funcionam?

Existem muitos estudos sobre a influência das vitaminas e minerais sobre o cansaço. A deficiência de ferro (que afeta muito as mulheres em idade fértil) causa anemia, que se manifesta como fadiga. Nos veganos, a falta de vitamina B12 também pode provocar diminuição de energia (16).

Nestes casos, uma consulta médica vai poder resolver este problema, com suplementos receitados adequadamente por um profissional. Se não houver nenhum déficit, o uso destes suplementos de vitaminas e minerais pode ser controverso (12, 17, 18):

  • Minerais: Foram encontrados baixos níveis de zinco e magnésio entre pessoas afetadas por doenças que causam fadiga. Ao administrar suplementos com estes minerais, foi possível conseguir melhorar de forma leve o cansaço em alguns indivíduos.
  • Vitaminas: O déficit vitamínico geralmente é manifestado como fadiga em suas fases iniciais. Além disso, foi comprovado que doses altas de vitaminas com efeito antioxidante (A, C e D, principalmente), tiveram resultados positivos em alguns casos.

Apesar destas descobertas, os especialistas e profissionais da saúde não recomendam o uso de suplementos de vitaminas ou minerais para o tratamento do cansaço. Os estudos sobre isso não foram claros.

Em pessoas saudáveis que sentem cansaço além do normal, a efetividade dos suplementos de vitaminas ou minerais é discutível. Ainda assim, muitas pessoas usam estes produtos e garantem se sentir menos cansadas.

Se você está decidido a utilizar, não deixe de verificar se você tem alguma doença ou problema de saúde, mantenha um estilo de vida saudável, observe interações medicamentosas e tome cuidado com a dose diária máxima recomendada (19):

Nutriente Dose recomendada/dia* Não superar
Vitamina A Homens: 900mcg
Mulheres: 700mcg
2800mcg
Vitamina C Homens: 90ml
Mulheres: 75ml
2000ml
Vitamina D Adultos 18-70 anos: 600UI (15mcg)
Maiores de 70 anos: 800 UI (20mcg)
4000 UI (100mcg)
Vitamina E 15mg 1000ml
Magnésio Homens: 420mg
Mulheres: 320ml
350ml**
Zinco Homens: 11ml
Mulheres: 8ml
40ml

*Valores aplicáveis a adultos saudáveis. Não aplicável a mulheres grávidas.

**A dose máxima se refere únicamente ao magnésio, procedente de suplementos.

Cafeína e guaraná para o cansaço: os estimulantes funcionam?

A cafeína e outros estimulantes como o guaraná são ingredientes muito presentes nos suplementos multivitamínicos. Mas, são realmente úteis para melhorar o cansaço? Nem s especialistas conseguem esclarecer.

O guaraná e a cafeína podem melhorar o rendimento intelectual.

Aparentemente, a cafeína e o guaraná podem melhorar o rendimento intelectual e evitar a fadiga intelectual (20). No entanto, a efetividade destes estimulantes no combate ao cansaço físico não foram significativos (21).

Outros produtos que podem ter uma leve ação revitalizante são o ginseng e o chá verde. São produtos seguros que podem melhorar os sintomas do cansaço, embora ainda existam poucos estudos comprovatórios (22).

A teanina e os polifenóis do chá verde podem melhorar o rendimento intelectual e exercer uma ação antioxidante, diminuindo a fadiga. No entanto, o consumo destes suplementos podem danificar o fígado (23), o melhor é consumir o chá.

Probióticos para o cansaço: podem ajudar?

Os probióticos não se limitam a melhorar o funcionamento intestinal. A relação íntima que existe entre as bactérias do intestino e cérebro chamou a atenção dos cientistas. Atualmente, é investigado se o uso de suplementos com microorganismos pode aliviar sintomas do cansaço.

Embora seja necessário estudos adicionais para confirmar estes resultados, os probióticos podem ser uma ótima opção para pessoas com problemas gastrointestinais e esgotamento.

Os microorganismos Lactobacillus casei, L. fermentum, L. rhamnosus, L. plantarum y Bifidobacterium longum podem ajudar nestes casos (25, 26).

vitamins liquid gels

O ômega 3 pode melhorar o cansaço, devido a sua atividade anti-inflamatória. (Fonte: Gayvoronskaya: 95306287 / 123rf.com)

Quando o cansaço esconde algo mais grave: fibromialgia e SFC

É possível que, apesar de utilizar suplementos para o cansaço, não vejamos uma melhora no nível de energia. A Síndrome da Fadiga Crônica (SFC) e a fibromialgia são condições que podem se manifestar com esgotamento, dor e mal estar geral.

Estas doenças são difíceis de diagnosticas e de tratar, inclusive por profissionais experientes. A SFC e a fibromialgia podem não aparecer em exames clínicos e de imagem (27, 28).

Ou seja, você pode estar aparentemente saudável, mas continua com dor e cansaço. Esta situação desesperadora pode levar a abandonar o tratamento médico e abraçar tratamentos alternativos.

Não recomendamos que você abuse de suplementos para cansaço se tiver alguma dessas doenças. É indicado encontrar um médico que atenda sua queixas e ofereça um tratamento adaptado para você.

Então, com o controle de um especialista, você pode incluir um destes suplementos em sua rotina. Lembre que menores de idade, mulheres grávidas ou amamentando não devem utilizar estes produtos sem recomendação médica.

Kathryn PinkhamFundadora da The Sleep Clinic (Inglaterra)

“Quanto mais sedentário formos, menos energia teremos.”

Qual produto escolher?

Você decidiu comprar um suplemento que forneça energia? Depois de avaliar todos os produtos anunciados no mercado como “solução para a falta de energia”, chegamos em quatro produtos muito promissores. Se você quer saber como escolher, utilizar e conservar adequadamente, não deixe de ler esta seção.

Multivitamínicos

Se você acredita que sua fadiga vem de uma dieta que não proporciona os micronutrientes necessários, você pode tentar recuperar o equilíbrio com um complemento de vitaminas e minerais.

Lembre de escolher um produto que não supere a dose diária máxima recomendada para cada ingrediente.

Características dos multivitamínicos Descrição
Formato de apresentação Pó, líquido, cápsulas
Modo de usar De acordo com a instrução do fabricante, geralmente uma dose ao dia
Duração do tratamento Até resolver a carência nutricional
Efeitos colateriais Interações farmacológicas
Reações alérgicas
Intolerância digestiva

Ginseng

O Panax ginseng é uma planta que pode melhorar o bem estar e rendimento. Utilizado de forma correta, este remédio é útil contra a fadiga mental. Este suplemento pode ser adquirido como pó ou extrato concentrado.

Os suplementos feitos de extrato de ginseng são muito mais potentes que o pó da raíz (22).

Características do ginseng Descrição
Formato de apresentação Pó, cápsulas, infusão
 Modo de uso De acordo com a instrução do fabricante, 200-400mg de extrato de ginseng
Duração do tratamento 2-3 semanas
Efeitos colaterais Interações farmacológicas
Problemas de coagulação
Reações alérgicas
Diarréia
Intoxicação (se consumido em excesso)

Probióticos

Os probióticos podem ser uma opção segura e acessível se você estiver se sentindo mais cansado que o normal. Escolha um produto que inclua os microorganismos associados a uma melhora no bem estar (Lactobacillus e Bifidobacterias, principalmente).

Além disso, preste atenção da data de validade do produto. Estas bactérias devem estar vivas para poder te ajudar.

Características dos probióticos Descrição
Formato de apresentação Cápsulas e alimentos fortificados
Modo de uso De acordo com a instrução do fabricante, geralmente um dose ao dia
Duração do tratamento O mínimo possível (até resolver a carência nutricional)
Efeitos colaterais Reações alérgicas
Intolerância digestiva
Infecções (em imunossuprimidos ou crianças)

Ômega 3

Os ácidos graxos poliinsaturados ômega 3 podem ajudar as pessoas que, depois de curar de alguma doença, continuam se sentindo cansadas (12, 29).

Além disso, sua importância para a saúde cardiovascular o torna um complemento muito benéfico para quase qualquer rotina. Lembre de escolher um produto livre de contaminação por metais pesados.

Características do ômega 3 Descrição
Formato de apresentação Cápsulas e líquido
Modo de uso De acordo com as instruções do fabricante, geralmente uma dose de 250-500 mg ao dia
Duração do tratamento 1-3 meses (consultar um especialista)
Efeitos colateriais Interações farmacológicas
Reações alérgicas
Náuseas
Mal gosto na boca
Intoxicação (no caso de consumo excessivo)

Resumo

O cansaço e a fadiga são problemas cada vez mais frequentes na sociedade. Infelizmente, se você não se adaptar a vida moderna, poderá ver suas reservas de energia diminuir. Se você já consultou um especialista e sabe que está saudável, pode recorrer a um suplemento de vitaminas, probióticos ou extratos de plantas.

Recomendamos que você utilize as vitaminas para o cansaço como apoio enquanto melhora sua dieta e seus hábitos de vida. Lembre de dormir sete ou oito horas por noite, evite usar drogas e não abuse dos estimulantes, serão as melhores armas para preservar sua energia.

Se você gostou do nosso artigo sobre vitaminas para cansaço, compartilhe este artigo em suas redes sociais.

(Fonte da imagem destacada: Olegdudko: 102307930 / 123rf.com)

Referências (29)

1. What is the difference between tiredness and fatigue? [Internet]. [2020 Abril 26].
Fonte

2. National Sleep Foundation. Excessive Sleepiness | National Sleep Foundation [Internet]. [2020 Abril 26].
Fonte

3. Greenberg DB. Clinical dimensions of fatigue. Prim Care Companion J Clin Psychiatry. 2002;4(3):90–3.
Fonte

4. Fuhrman J. The Hidden Dangers of Fast and Processed Food* [Internet]. Vol. 12, American Journal of Lifestyle Medicine. SAGE Publications Inc.; 2018 [2020 Abril 28]. p. 375–81.
Fonte

5. Butt MS, Sultan MT. Coffee and its consumption: Benefits and risks [Internet]. Vol. 51, Critical Reviews in Food Science and Nutrition. 2011 [2020 Abril 28]. p. 363–73.
Fonte

6. Scientific Opinion on Dietary Reference Values for water. EFSA J [Internet]. 2016 Mar 23 [2020 Abril 28];8(3).
Fonte

7. Popkin BM, D’Anci KE, Rosenberg IH. Water, hydration, and health [Internet]. Vol. 68, Nutrition Reviews. Blackwell Publishing Inc.; 2010 [2020 Abril 28]. p. 439–58.
Fonte

8. Azzolino D, Arosio B, Marzetti E, Calvani R, Cesari M. Nutritional Status as a Mediator of Fatigue and Its Underlying Mechanisms in Older People. Nutrients [Internet]. 2020 Fev 10 [2020 Abril 28];12(2):444.
Fonte

9. St-Onge M-P, Mikic A, Pietrolungo CE. Effects of Diet on Sleep Quality. Adv Nutr [Internet]. 2016 Set 1 [2020 Abril 28];7(5):938–49.
Fonte

10. WHO | Protein and amino acid requirements in human nutrition. WHO. 2018.
Fonte

11. Mathus-Vliegen EM. Healthy diet. WHO [Internet]. 1995 [2020 Abril 29];102(5):189–93.
Fonte

12. Haß U, Herpich C, Norman K. Anti-inflammatory diets and fatigue. Vol. 11, Nutrients. MDPI AG; 2019.
Fonte

13. Release P. 1 in 3 adults don’t get enough sleep | CDC Online Newsroom | CDC [Internet]. Cdc. 2016 [2020 Abril 30]. p. 1–3.
Fonte

14. Larun L, Brurberg KG, Odgaard-Jensen J, Price JR. Exercise therapy for chronic fatigue syndrome [Internet]. Vol. 2017, Cochrane Database of Systematic Reviews. 2017 [2020 Abril 30].
Fonte

15. Ghanean H, Ceniti AK, Kennedy SH. Fatigue in Patients with Major Depressive Disorder: Prevalence, Burden and Pharmacological Approaches to Management. CNS Drugs [Internet]. 2018 Jan 30 [2020 Abril 30];32(1):65–74.
Fonte

16. Tardy AL, Pouteau E, Marquez D, Yilmaz C, Scholey A. Vitamins and minerals for energy, fatigue and cognition: A narrative review of the biochemical and clinical evidence. Vol. 12, Nutrients. MDPI AG; 2020.
Fonte

17. Ribeiro SM de F, Braga CBM, Peria FM, Martinez EZ, Rocha JJR da, Cunha SFC. Effects of zinc supplementation on fatigue and quality of life in patients with colorectal cancer. Einstein (São Paulo) [Internet]. 2017 Mar 1 [2020 Abril 30];15(1):24–8.
Fonte

18. Cuciureanu MD, Vink R. Magnesium and stress. In: Vink R, Nechifor M, editors. Magnesium in the Central Nervous System [Internet]. Adelaide: University of Adelaide Press; 2011 [2020 Abril 30]. p. 251–68.
Fonte

19. Dietary Supplement Fact Sheets [Internet]. [2020 Abril 30].
Fonte

20. Silvestrini GI, Marino F, Cosentino M. Effects of a commercial product containing guaraná on psychological well-being, anxiety and mood: A single-blind, placebo-controlled study in healthy subjects. J Negat Results Biomed. 2013;12(1):9.
Fonte

21. Higgins JP, Tuttle TD, Higgins CL. Energy beverages: Content and safety. Vol. 85, Mayo Clinic Proceedings. Elsevier Ltd; 2010. p. 1033–41.
Fonte

22. Arring NM, Millstine D, Marks LA, Nail LM. Ginseng as a treatment for fatigue: A systematic review. Vol. 24, Journal of Alternative and Complementary Medicine. Mary Ann Liebert Inc.; 2018. p. 624–33.
Fonte

23. Mohamed Ansari R, Omar NS. Weight Loss Supplements: Boon or Bane? Malaysian J Med Sci [Internet]. 2017 [2019 Nov 24];24(3):1–4.
Fonte

24. WebMD- Vitamins & Supplements Center – Nutritional, Herbal, Dietary, and More [Internet]. [2020 Abril 30].
Fonte

25. Rao AV, Bested AC, Beaulne TM, Katzman MA, Iorio C, Berardi JM, et al. A randomized, double-blind, placebo-controlled pilot study of a probiotic in emotional symptoms of chronic fatigue syndrome. Gut Pathog. 2009;1(1):6.
Fonte

26. Marotta A, Sarno E, Casale A Del, Pane M, Mogna L, Amoruso A, et al. Effects of probiotics on cognitive reactivity, mood, and sleep quality. Front Psychiatry. 2019;10(MAR).
Fonte

27. Stadje R, Dornieden K, Baum E, Becker A, Biroga T, Bösner S, et al. The differential diagnosis of tiredness: a systematic review. BMC Fam Pract [Internet]. 2016 Dec 20 [2020 Abril 21];17(1):147.
Fonte

28. Wysenbeek AJ, Shapira Y, Leibovici L. Primary fibromyalgia and the chronic fatigue syndrome. Rheumatol Int. 1991 Nov;10(6):227–9.
Fonte

29. Behan PO, Behan WMH, Horrobin D. Effect of high doses of essential fatty acids on the postviral fatigue syndrome. Acta Neurol Scand [Internet]. 1990 [2020 Abril 30];82(3):209–16.
Fonte

Por que você pode confiar em nós?

Anabel Rodríguez Formada em Medicina
Formada em Medicina, tem como missão utilizar o método científico para encontrar novas formas de potencializar o rendimento esportivo e intelectual das pessoas. Quer conversar com as pessoas que desejam se informar sobre suplementação com base em evidências. Seus suplementos favoritos são a L-teanina e as vitaminas do grupo B.
Redatora do Saudável&Forte, Luiza pesquisa com muito cuidado e auxiliar na redação e edição de artigos relevantes que envolvem um dos temas que mais lhe interessam: o universo da suplementação.
Artigo
What is the difference between tiredness and fatigue? [Internet]. [2020 Abril 26].
Ir para a fonte
Site oficial
National Sleep Foundation. Excessive Sleepiness | National Sleep Foundation [Internet]. [2020 Abril 26].
Ir para a fonte
Artigo
Greenberg DB. Clinical dimensions of fatigue. Prim Care Companion J Clin Psychiatry. 2002;4(3):90–3.
Ir para a fonte
Artigo
Fuhrman J. The Hidden Dangers of Fast and Processed Food* [Internet]. Vol. 12, American Journal of Lifestyle Medicine. SAGE Publications Inc.; 2018 [2020 Abril 28]. p. 375–81.
Ir para a fonte
Artigo
Butt MS, Sultan MT. Coffee and its consumption: Benefits and risks [Internet]. Vol. 51, Critical Reviews in Food Science and Nutrition. 2011 [2020 Abril 28]. p. 363–73.
Ir para a fonte
Artigo de Especialistas
Scientific Opinion on Dietary Reference Values for water. EFSA J [Internet]. 2016 Mar 23 [2020 Abril 28];8(3).
Ir para a fonte
Artigo
Popkin BM, D’Anci KE, Rosenberg IH. Water, hydration, and health [Internet]. Vol. 68, Nutrition Reviews. Blackwell Publishing Inc.; 2010 [2020 Abril 28]. p. 439–58.
Ir para a fonte
Artigo
Azzolino D, Arosio B, Marzetti E, Calvani R, Cesari M. Nutritional Status as a Mediator of Fatigue and Its Underlying Mechanisms in Older People. Nutrients [Internet]. 2020 Fev 10 [2020 Abril 28];12(2):444.
Ir para a fonte
Artigo
St-Onge M-P, Mikic A, Pietrolungo CE. Effects of Diet on Sleep Quality. Adv Nutr [Internet]. 2016 Set 1 [2020 Abril 28];7(5):938–49.
Ir para a fonte
Guia OMS
WHO | Protein and amino acid requirements in human nutrition. WHO. 2018.
Ir para a fonte
Guia OMS
Mathus-Vliegen EM. Healthy diet. WHO [Internet]. 1995 [2020 Abril 29];102(5):189–93.
Ir para a fonte
Artigo
Haß U, Herpich C, Norman K. Anti-inflammatory diets and fatigue. Vol. 11, Nutrients. MDPI AG; 2019.
Ir para a fonte
Site oficial
Release P. 1 in 3 adults don’t get enough sleep | CDC Online Newsroom | CDC [Internet]. Cdc. 2016 [2020 Abril 30]. p. 1–3.
Ir para a fonte
Artigo científico
Larun L, Brurberg KG, Odgaard-Jensen J, Price JR. Exercise therapy for chronic fatigue syndrome [Internet]. Vol. 2017, Cochrane Database of Systematic Reviews. 2017 [2020 Abril 30].
Ir para a fonte
Artigo
Ghanean H, Ceniti AK, Kennedy SH. Fatigue in Patients with Major Depressive Disorder: Prevalence, Burden and Pharmacological Approaches to Management. CNS Drugs [Internet]. 2018 Jan 30 [2020 Abril 30];32(1):65–74.
Ir para a fonte
Artigo
Tardy AL, Pouteau E, Marquez D, Yilmaz C, Scholey A. Vitamins and minerals for energy, fatigue and cognition: A narrative review of the biochemical and clinical evidence. Vol. 12, Nutrients. MDPI AG; 2020.
Ir para a fonte
Estudo clínico
Ribeiro SM de F, Braga CBM, Peria FM, Martinez EZ, Rocha JJR da, Cunha SFC. Effects of zinc supplementation on fatigue and quality of life in patients with colorectal cancer. Einstein (São Paulo) [Internet]. 2017 Mar 1 [2020 Abril 30];15(1):24–8.
Ir para a fonte
Artigo
Cuciureanu MD, Vink R. Magnesium and stress. In: Vink R, Nechifor M, editors. Magnesium in the Central Nervous System [Internet]. Adelaide: University of Adelaide Press; 2011 [2020 Abril 30]. p. 251–68.
Ir para a fonte
Site oficial
Dietary Supplement Fact Sheets [Internet]. [2020 Abril 30].
Ir para a fonte
Estudo clínico
Silvestrini GI, Marino F, Cosentino M. Effects of a commercial product containing guaraná on psychological well-being, anxiety and mood: A single-blind, placebo-controlled study in healthy subjects. J Negat Results Biomed. 2013;12(1):9.
Ir para a fonte
Artigo científico
Higgins JP, Tuttle TD, Higgins CL. Energy beverages: Content and safety. Vol. 85, Mayo Clinic Proceedings. Elsevier Ltd; 2010. p. 1033–41.
Ir para a fonte
Estudo
Arring NM, Millstine D, Marks LA, Nail LM. Ginseng as a treatment for fatigue: A systematic review. Vol. 24, Journal of Alternative and Complementary Medicine. Mary Ann Liebert Inc.; 2018. p. 624–33.
Ir para a fonte
Artigo
Mohamed Ansari R, Omar NS. Weight Loss Supplements: Boon or Bane? Malaysian J Med Sci [Internet]. 2017 [2019 Nov 24];24(3):1–4.
Ir para a fonte
Site oficial
WebMD- Vitamins & Supplements Center – Nutritional, Herbal, Dietary, and More [Internet]. [2020 Abril 30].
Ir para a fonte
Estudo clínico
Rao AV, Bested AC, Beaulne TM, Katzman MA, Iorio C, Berardi JM, et al. A randomized, double-blind, placebo-controlled pilot study of a probiotic in emotional symptoms of chronic fatigue syndrome. Gut Pathog. 2009;1(1):6.
Ir para a fonte
Artigo científico
Marotta A, Sarno E, Casale A Del, Pane M, Mogna L, Amoruso A, et al. Effects of probiotics on cognitive reactivity, mood, and sleep quality. Front Psychiatry. 2019;10(MAR).
Ir para a fonte
Estudo
Stadje R, Dornieden K, Baum E, Becker A, Biroga T, Bösner S, et al. The differential diagnosis of tiredness: a systematic review. BMC Fam Pract [Internet]. 2016 Dec 20 [2020 Abril 21];17(1):147.
Ir para a fonte
Artigo
Wysenbeek AJ, Shapira Y, Leibovici L. Primary fibromyalgia and the chronic fatigue syndrome. Rheumatol Int. 1991 Nov;10(6):227–9.
Ir para a fonte
Estudo
Behan PO, Behan WMH, Horrobin D. Effect of high doses of essential fatty acids on the postviral fatigue syndrome. Acta Neurol Scand [Internet]. 1990 [2020 Abril 30];82(3):209–16.
Ir para a fonte